Resenha - MicaRock 2003 (Pantheon, Teresina, 11/07/2003)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fabio Pitombeira
Enviar Correções  






Durante quatro dias de julho Teresina se transforma na capital do axé e movimenta tudo e todos para a Avenida Marechal Castelo Branco no Corredor da Folia, certo? Errado! Esse ano foi diferente, muito diferente. Em sua 2ª Edição o MicaRock, como ano passado, foi sucesso absoluto; teve mais de mil pessoas durante as duas noites de muito rock and roll.

O evento, que foi realizado nos dias 11 e 12 de julho, ofereceu uma super estrutura de som e iluminação para as 16 bandas do cast, sendo duas de Fortaleza-CE; porém devido a problemas de saúde tivemos três baixas: Insane Act, Schizophrenia (Sepultura cover) e Scrok não tocaram, ficando assim, sete bandas na sexta e seis bandas no sábado.

A primeira noite começou com Mist of Eternity, uma banda nova e muito profissional, com pontualidade ao entrar no palco e um doom metal de grande qualidade, com destaque para os teclados de Leandro. A segunda banda a tocar foi Dark Season que, como sempre, fez um excelente show. Destaque para Assis (guitarra) que entre as músicas "Iced Hell" e "Darkess Forever" deu um show à parte. Logo em seguida sobe Morbydia pra executar um doom metal com muita melancolia, marca registrada do, agora, quinteto; somente no cover do Cradle of Filth toda a melancolia foi deixada de lado e o que se viu foi um público ensandecido.

A quarta banda da noite foi Into Morphin. Dessa vez o vocalista Petillo não cuspiu sangue, mas seu corpse paint estava mais bem trabalhado do que na última apresentação. Destaque para Otto (bateria) que quebrou quatro pares de baquetas, isso mesmo, quatro pares. Realmente o cara arrebentou!

Passadas as quatro primeiras bandas de Teresina sobe ao palco a Clamus de Fortaleza-CE pra tocar muito thrash death metal, com três vozes e línguas distintas: português, inglês e francês. A diversidade sonora da Clamus veio à tona, chegando aos ouvidos do público como uma das marcas mais originais do grupo. Mais uma vez a banda teve excelente receptividade do público teresinense.

Como tudo tem seu lado ruim, a vez agora é da banda Eletric Funeral (Black Sabbath cover), que nem deveria ter tocado. O quarteto frustrou as expectativas do público que mostrou isso jogando latas de cerveja, água e muita vaia para o vocalista, que perdeu a cabeça, jogou o microfone no chão e saiu do palco se estrebuchando. Para fechar a noite e passar uma borracha em cima do acontecido, entra a nova Phantom of Death com muita destruição. O vocal de Júnior é algo fora do comum.

Na segunda noite do evento tivemos um atraso muito grande, pois na mesma casa de shows, a Pantheon, huve a feijoada VIP dos blocos da Micarina. E demorou-se para colocar tudo em ordem a tempo para o início marcado do MicaRock.

O que se viu na segunda noite foi destruição total da primeira a última banda. Não houve tempo para retomar o fôlego. Começamos com Medievill, que para muitos foi a melhor banda do festival. O vocalista Stephen entrou com o rosto completamente coberto por ataduras e levou o público ao delírio com um black metal muito bem executado. Logo depois foi a vez da Empty Grace, o trio Nanno, Marquinhos e Hugo, continua fazendo um death metal brutal com muita "ignorância".

A terceira banda a subir no palco foi a Dose Lethal de Fortaleza-CE. O quinteto se apresentou com um figurino condizente com o estilo que toca, o heavy metal. Apesar dos problemas na guitarra de Diogo Spider o show foi muito empolgante e contou com uma pequena participação do Kiko, o vocalista da Prowler (Iron Maiden cover). Destaque para a energia contagiante do vocalista Elias que não deixou o público parado um só segundo. Para continuar no clima heavy metal sobe a Prowler com um show impecável, que quase leva a Pantheon abaixo; na hora de "Fear of The Dark", a última música do set list, o público foi à loucura e não houve como conter a invasão do palco.

Plug and Play surpreendeu com o belíssimo cover de Led Zeppelin; mesmo passando das quatro horas da manhã ainda mantinha o público acesso. O clássico "Stairway to Heaven" levou o público ao delírio. E para fechar a noite e o evento veio a Retalhador com um thrash death de primeiríssima qualidade. A banda, apesar de nova no cenário, já é considerada por muitos como uma das melhores bandas da cidade.

Com um saldo totalmente positivo fica a saudade desse ano e a expectativa para o ano que vem.



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Guitarristas e vocalistas: os 10 melhores casamentosGuitarristas e vocalistas
Os 10 melhores "casamentos"

Pink Floyd: o maior concerto de rock já produzidoPink Floyd
O maior concerto de rock já produzido


Sobre Fabio Pitombeira

Trabalha desde 2002 com produção de shows em Teresina. Teve a oportunidade de trabalhar com grandes nomes do Heavy Metal e Rock and Roll como Paul Di Anno, Ira!, Hangar, Angra, Shaman, Andralls, Drowned, Clamus, Dark Season, Megahertz, Anno Zero Empty Grace, Mordydia, Káfila, entre outros.

Mais matérias de Fabio Pitombeira no Whiplash.Net.