Matérias Mais Lidas

imagemBill Hudson diz que tatuagem pode ter sido entrave para entrar no Megadeth

imagemMarcos Mion conta história de encontro (e manjada) com Bon Jovi no banheiro

imagemQuando Angus Young, do AC/DC, detonou o Led Zeppelin e os Rolling Stones

imagemO que mais impede Kiko Loureiro de voltar ao Angra? (Não tem nada a ver com o Megadeth)

imagemBeatles: Paul McCartney conta a história por trás de "Ob-La-Di, Ob-La-Da"

imagemEdgard Scandurra, do Ira!, explica atual sumiço do rock nas rádios brasileiras

imagemPhil Campbell conta como era fácil "comprar" Lemmy pra fazer qualquer coisa

imagemRage Against The Machine vem ao Brasil em dezembro, diz José Noberto Flesch

imagemApós viralizar com anúncio, Harppia revela identidade do novo baixista

imagemAutor de "God Save The Queen", Johnny Rotten diz que sente orgulho da Rainha Elizabeth

imagemA curiosa opinião de Ozzy sobre cover do Metallica para "Sabbra Cadabra"

imagemJimmy Page dá opinião sobre streaming e enaltece desconhecido herói dos músicos

imagemBruce Dickinson diz o que o surpreendeu quando retornou ao Iron Maiden

imagemKiko Loureiro explica por que acha uma merda seu solo de guitarra em "Rebirth"

imagemChad Smith chama matéria sobre Taylor Hawkins de "sensacionalista e enganosa"


PRB

Resenha - Titãs (Praia do Boqueirão - Praia Grande, SP, 29/01/2000)

Por Carlos Roberto Merigo Filho
Em 29/01/00

Nota: 8

Os Titãs fecharam a programação do "Show do Verão é Você" em grande estilo. Depois de diversos shows durante todo mês de Janeiro, o público praticamente lotou a arena montada na praia do Boqueirão em Praia Grande para ver os titânicos em ação. É claro, não tem o mesmo peso e atitude de alguns anos atrás, mas o talento musical da banda é indiscutível.
Depois de um atraso de quase duas horas e meia a banda sobe ao palco pedindo desculpas, e sem a presença de Sérgio Brito, que estava preso no transito. A apresentação começa com Branco Melo no vocal cantando "Flores" e depois emendando o clássico "Sonífera Ilha" com Paulo Miklos, o entusiasmo do público era grande e todos cantaram juntos. Nesse momento Sérgio Brito chega ao local e já manda "Homem Primata" para esquentar ainda mais o público.
Depois cantam duas músicas do novo disco, o criticado "As Dez Mais". A primeira foi "Ciúmes" do Ultraje à Rigor que virou uma balada na voz de Nando Reis, logo após Branco Melo assume mais uma vez os vocais para cantar "Gostava Tanto de Você" de Tim Maia. Após terminar de cantar , Branco fala para o público: "Essas duas músicas estão no nosso último disco chamado ‘As Dez Mais’. Um disco muito falado por aí, mas é bom, a gente gosta".
Paulo Miklos assume o comando do microfone novamente e incendeia o público com "Pra Dizer Adeus". Branco Melo então canta "O Pulso" com a participação da platéia, que faz o movimento de abrir e fechar as mãos. O que se segue são mais alguns petardos titânicos como "Desordem", "Querem Acabar Comigo", "Família", "Marvin", "Nem Cinco Minutos Guardados", sempre com Paulo Miklos, Branco Melo e Sérgio Brito revezando nos vocais. Mandaram então "É Preciso Saber Viver" de Roberto e Erasmo Carlos contida no álbum "Volume II", a polêmica regravação de "Pelados Em Santos" foi cantada por Nando Reis, que logo após mandou "Cegos do Castelo". Pronto, a partir daí a parte calma do show acabava e o que seguiria seria uma seqüência de clássicos com um pouco mais de peso, como: "Rotina", "32 Dentes", "Lugar Nenhum", "Bichos Escrotos" e "Polícia". E depois de mais de duas horas de show, voltaram para o bis com: "Aluga-se" de Raul Seixas e "Diversão", e se despediram do público fazendo todo mundo cantar o refrão da música "Pra Dizer Adeus".

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Desde o início já dava-se pra perceber um certo clima de nostalgia. No cenário havia uma cortina prateada, com globos pendurados no teto o que fazia quase que se parecesse como uma discoteca. Realmente os Titãs estão mais calmos, menos "punk’s" e mais baladas, mas o que se percebe é o total domínio da situação por todos os integrantes da banda. Nessas horas a experiência de 18 anos de estrada contam e muito, durante todo o show eles parecem estar na sala de suas casas e sabem muito bem como contagiar o publico. Charles Gavin como sempre estava impecável na bateria, e Toni Belloto demonstrava total intimidade com a sua guitarra, Marcelo Fromer também mostrou muita experiência, e com total tranqüilidade tocava uma atrás da outra sem dificuldade. Aí fica claro que em matéria de apresentações ao vivo, os Titãs continuam mais vivos do que nunca, só o que se espera deles é que voltem a fazerem aquele Rock viril que ficou marcado em discos como "Cabeça Dinossauro" e "Titanomaquia". E também que no próximo disco, que provavelmente será lançado no próximo ano, nós possamos ver material inédito ao invés de simples covers, já que talento eles já provaram ter de sobra.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Como foi o processo de formação dos Titãs, segundo Sérgio Britto




Sobre Carlos Roberto Merigo Filho

Louco por Rock 'n Roll de todos os tipos desde sua criação até os dias de hoje, infelizmente não toca nada. Suas bandas preferidas são Kiss, The Black Crowes, Aerosmith, The Cult, Iron Maiden, Black Sabbath, Queen, Camisa de Venus, Velhas Virgens, etc.

Mais matérias de Carlos Roberto Merigo Filho.