Turnês de despedida: um baita esquema para inglês ver

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mateus Ribeiro
Enviar correções  |  Ver Acessos

Na última segunda-feira, 18 de novembro, a banda norte-americana Mötley Crüe anunciou seu retorno aos palcos. O último show da banda havia sido realizado em 2015, após o final da turnê "Mötley Crüe Final Tour", que como bem o nome sugere, seria a última vez que o grupo cairia na estrada. Um contrato assinado pelos membros da banda, impedindo que qualquer um utilizasse o nome Mötley Crüe com outra formação, reforçava a impressão de que de fato, a estrada havia acabado para Nikki Sixx e sua turma. Porém, conforme dito no início do texto, a banda retomou suas atividades, mandando o tal contrato para o espaço.

Floor Jansen: "Eu não sou uma puta arrogante"Morbid Angel: "banda satânica, eu jamais voltaria", diz Sandoval

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

É fato que o filme biográfico "The Dirt" fez com que muitas pessoas começassem a se interessar pela banda, ao passo que muitos fãs antigos, obviamente, viajassem no tempo com todas as historias ali mostradas. Porém, os fãs antigos tiveram a oportunidade de ver o grupo, enquanto os que passaram a gostar do grupo após o filme, não. Pois bem, agora isso já não é mais problema. Inclusive, a razão alegada para a volta é que uma nova geração de fãs está vindo após toda a repercussão do filme.

Tudo muito legal para os fãs, tudo muito bonito, mas a grande verdade é que não foi a primeira e jamais será a última vez que alguma banda/artista fará isso. Falando sobre gigantes, ao lado do citado Mötley Crüe, podemos citar Kiss e Ozzy Osbourne, que estão na segunda tour de despedida, algo que faria um pouco mais de sentido se essas turnês fossem anunciadas como um "até logo", e não como um adeus.

Outras bandas também retomaram as atividades após anunciar o rompimento: Megadeth, Carcass, At The Gates, Faith No More e Twisted Sister são apenas algumas que fizeram isso, por motivos A ou B.

Recentemente, o Slayer foi mais uma banda que divulgou a sua SUPOSTA última tour. Por ser uma banda gigantesca, é óbvio que a comoção foi grande. Este que vos escreve foi um dos que ficou comovido. Com o pé atrás, é bem verdade, afinal de contas, apesar do Slayer ser uma banda séria, com essa onda ioiô (vai e volta), fica difícil imaginar que ninguém tenha a brilhante ideia de promover uma tour de reunião com ingressos a preços pornográficos, sob o pretexto de dar a oportunidade de mostrar a banda para quem nunca a viu. Até porque, o fã sempre é a primeira prioridade na vida de bandas, empresários e tudo o mais, né?

Slayer: última turnê não significa o fim da banda, afirma manager

No final das contas, o fã (que normalmente é cego, como todo apaixonado), quer mais é assistir sua banda preferida ao vivo, ouvir um novo álbum, e que se f*** o resto. Eu também sou fã de algumas bandas, também ficaria feliz se alguns grupos que eu não vi voltassem (desde que de maneira digna, sem tentar substituir membros insubstituíveis...). Porém, as bandas poderiam ser um pouco mais originais. Esse papo já não cola tanto, de tão batido que está ficando. Logo, essas tours vão perder a credibilidade com o grande público. Enquanto esse dia não chega, vamos curtindo shows e esperando pela próxima despedida que não é despedida.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Opiniões

Floor Jansen: Eu não sou uma puta arroganteFloor Jansen
"Eu não sou uma puta arrogante"

Morbid Angel: banda satânica, eu jamais voltaria, diz SandovalMorbid Angel
"banda satânica, eu jamais voltaria", diz Sandoval


Sobre Mateus Ribeiro

Fanático por Ramones, In Flames e Soilwork. Limeirense com muito orgulho (e sotaque).

Mais matérias de Mateus Ribeiro no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor