Metallica ainda tem muito a dizer, afirma Kirk

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Thiago Coutinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 29/11/05. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

O guitarrista Kirk Hammett, responsável pelas seis cordas do METALLICA, falou com a revista Guitar World que, a fim de homenagear o grupo, colocou Hammett na capa e fez uma análise minuciosa dos vinte anos do lançamento do álbum “Master of Puppets”. Detalhe: os membros de grupos como Mastodon, Lamb of God, Exodus, Every Time I Die e Avenge Sevenfold participaram questionando Kirk acerca dos atuais e antigos álbuns do grupo.

4198 acessosKirk Hammett: fiquei rico e sou generoso com os chegados5000 acessosVocalistas: Os 10 melhores da história do rock

Confira os principais excertos logo a seguir:

Doc Coyle (GOD FORBID) — Você pode nos dizer se o Metallica já atingiu seu ponto máximo em termos de criatividade ou você acredita que esse momento ainda chegará?

Kirk Hammett — Isso é difícil de responder. Talvez se você me fizer essa pergunta daqui a vinte anos eu possa lhe dar uma resposta melhor. Neste exato momento, vejo diversos pontos altos em nossa carreira. O ‘Master of Puppets’ e o ‘Black Álbum’ foram alguns deles. O álbum com a orquestra sinfônica foi um outro ponto alto diferente, enquanto o ‘St. Anger’ foi outro ponto alto distinto. Já tivemos pontos altos de diferentes modos. Algumas pessoas diriam que também já estivemos em vários vales... o que é uma posição correta [risos].

Ainda acho que o Metallica tem muito a dizer. Somos aquele tipo de banda que gosta de experimentar. Não gostamos de ficar parados em algo por muito tempo, e todos os discos após o ‘Black Album’ provam isso. Não nos importamos em nos arriscar artisticamente, mesmo que isso custe a cólera de nossos fãs e alguns amigos.

Zacky Vengeance (AVENGED SEVENFOLD) — “Eu adorei o ‘St. Anger’! Me pareceu que vocês quiseram voltar às suas raízes, como se vocês dissessem ‘Fuck you!’ e fizeram algo totalmente diferente. E mesmo que eu saiba que cortar os solos fez parte desta atitude, eu senti falta deles. Para o próximo álbum, vocês voltaram com os solos?

Kirk Hammett — Para o próximo álbum, o Lars vai se sentar com o seu bateria e eu tocarei um solo de 78 minutos. E então o James vai gritar nele todo enquanto o Rob faz um final mais tranqüilo [riso]. Estou brincando, cara.

Sendo bem honesto, acho que a banda sentiu falta dos solos tanto quanto os fãs. Quer dizer, eu toco solos todos os dias! Todos nos expressamos o fato de acharmos os solos divertidos. Eles são dinâmicos, expressivos e dão outro aspecto distinto ao som do Metallica. E sentimos falta deste aspecto.

Harry Meyers — Você já considerou o fato de gravar um álbum solo?

Kirk Hammett — Sim. Eventualmente, eu gravarei um. Mas, no momento, meu apoio permanece com o Metallica. Estive compondo para o Metallica por vinte anos, mas obviamente há certas coisas que compus que não pertencem aos álbuns do Metallica. Como resultado, há muita música que restou. Mas, você sabe, se eu lançar um álbum solo, não espere que este seja um típico álbum de heavy metal, será algo que você nunca ouvira antes, ou pelo menos algo que você não espera de mim. Recentemente, toquei com um quarteto clássico de cordas em São Francisco chamado Flux. Foi algo colaborativo, com dois violinos, viola, violoncelo, guitarra clássica e guitarra elétrica. Acho que nunca ouvi nada parecido com o que fizemos. E pensei: ‘se eu fizer um álbum solo, talvez chame alguns músicos clássicos’. Mas só estou querendo dizer que se um dia eu fizer um álbum solo, será algo bem eclético. Gostaria de dividir este lado meu tocando com essas pessoas, mas agora não é o momento certo. Minha prioridade é manter o legado do Metallica.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Kirk HammettKirk Hammett
Fiquei rico e sou generoso com os chegados

555 acessosMetallica: vídeo oficial de "Fuel" em Orlando3212 acessosMetallica: e se James Hetfield cantasse no Megadeth?1355 acessosMetallica: e se o "St.Anger" estivesse no "And Justice for All"?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Metallica"

MorteMorte
Confira 15 das melhores músicas sobre o tema

KreatorKreator
Millie Petrozza fala sobre respeito devido ao Metallica

WatchmojoWatchmojo
As 10 músicas mais difíceis de se tocar na guitarra

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Metallica"

VocalistasVocalistas
Os 10 melhores da história do rock

MegadethMegadeth
Recadinho provocante da vocal do Huntress

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
Madman dá conselhos sobre masturbação

5000 acessosHeavy Metal: 5 músicos que não são metaleiros mas amam o estilo5000 acessosAC/DC: "Chuck Berry foi o maior babaca que já vi na vida"5000 acessosDi'Anno: "Harris é como Hitler e o Maiden é entediante!"5000 acessosAndreas Kisser: Max e Igor hoje são "pessoas totalmente diferentes"4152 acessosOzzy Osbourne: entre artistas com letras mais mal interpretadas4955 acessosBon Jovi: "Blaze of Glory" foi composta em guardanapos em um bar

Sobre Thiago Coutinho

Formado em Jornalismo, 23 anos, fanático por Bruce Dickinson e seus comparsas no Maiden. O heavy metal surgiu na minha vida quando ouvi o vocalista da Donzela de Ferro em "Tears of the Dragon", em meados de 1994. Mas também aprecio a voz de pato bêbado do controverso Dave Mustaine, a simplicidade do Ramones, as melodias intrincadas do Helloween, a belíssima voz de Dio ou os gritos escabrosos de Rob Halford. A Whiplash apareceu em minha vida sem querer, acho que seus criadores são uns loucos amantes de rock e acredito que este seja o melhor site de rock do país, sem qualquer demagogia!

Mais matérias de Thiago Coutinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online