Gene Simmons no Brasil e biografia do KISS

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Fillipi Vieira, Fonte: AOL Revista
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 19/12/05. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

A banda Destroyer surgiu em 1984, quando ainda não existia nenhum grupo fazendo cover do Kiss no Brasil. No começo, tudo era encarado como brincadeira. Os integrantes dublavam e se apresentavam apenas para amigos e familiares. Aos poucos, o trabalho ficou mais sério, com apresentações em bares e casas de shows, e, em 1991, eles passaram a tocar e cantar de verdade.

395 acessosMarcos de Ros: Gene Simmons, o Capitalista Malvadão5000 acessosMemoráveis como a música: os 25 melhores logos de bandas

De lá pra cá, aconteceram algumas mudanças na formação até se chegar à atual, com Ricardo fazendo o papel do guitarrista Ace Frehley, Léo como o baterista Peter Criss, Fábio na guitarra como Paul Stanley e Antonio no baixo como Gene Simmons. Assim como outros covers, os integrantes do grupo adotaram os sobrenomes dos ídolos que imitam. Como o maior objetivo da banda sempre foi prestar uma homenagem ao Kiss, ela foi sempre composta exclusivamente por entusiastas do grupo.

O nome Destroyer remete a um dos álbuns do grupo. Todos os figurinos, maquiagens, efeitos e atitudes em palco procuram imitar a turnê de mesmo nome, realizada em 1976. O repertório é bastante abrangente, com todas as fases da banda.

“Nosso negócio é teatral. Um musical teatral”, explica Antonio, que faz o cover do baixista Gene Simmons. “É um trabalho de ator, de imitar uma pessoa. Existe o recurso de maquiagem que ajuda bastante. Mas não é só isso. Você precisa estudar o seu personagem.” E Antonio acha divertidíssimo encarnar o seu. Além disso, ele vê no trabalho com a banda uma possibilidade de ser conhecido e viajar por todo o país. “Hoje em dia os bares e casas de shows não dão oportunidade para bandas de som próprio”. Já para o cover, segundo ele, há bem mais espaço, além de o retorno financeiro ser bem melhor.

Antonio diz não ter nada a ver com o Gene original. “O grande desafio é você não ter nada a ver à paisana e, em cima do palco, ser parecido. Eu finjo que sou o cara, a platéia finge que acredita e todos ficam felizes”, diz.

A banda ensaia semanalmente e se apresenta com freqüência. As preparações para os shows demorem até duas horas e meia, tempo que os integrantes levam para se maquiar. Depois, tudo é mais rápido, mas existe sempre o inconveniente de ficar com “cara de travesti por pelo menos um dia porque só mulher consegue tirar a maquiagem do olho direito”, como diz o próprio Antonio.

Tentativa de fidelidade

O Destroyer procura dar realismo máximo às suas apresentações, levando ao palco os efeitos pirotécnicos característicos da turnê Destroyer, como bombas, fumaça, explosões e fogos de artifício, o que torna a preparação do palco um trabalho demorado e delicado. “A gente procura copiar um show do Kiss, o que não é fácil porque eles são campeões em termos visuais. Nós tentamos fazer algo em escala reduzida”. No show, o público vai ver uma guitarra soltar fumaça e o grupo quebrar instumentos, cuspir fogo e babar sangue. Um pouco daquilo que os privilegiados puderam ver em 1976 nas apresentações originais.

Dentre os anos com eventos mais emocionantes para a banda destacam-se 1994 e 2003. Em 94, o Kiss veio ao Brasil e tomou conhecimento do trabalho do cover. Posteriormente, a Destroyer foi citada na revista Metal Edge como a única banda tributo de Kiss existente na época na América do Sul. Já em 2003, Antonio conseguiu trazer Eric Singer para o Brasil para participar da Kiss Expo. Por ocasião do evento, o grupo teve a oportunidade de se apresentar com o baterista do Kiss em Curitiba e Limeira.

Antonio está tentando viabilizar a vinda de outros integrantes para as próximas edições do Kiss Expo e, já para 2006, a publicação da biografia autorizada do Kiss, “Behind the mask”, pela Editora Nacional. O livro deve sair ainda no primeiro semestre.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Paul StanleyPaul Stanley
"Guitarristas não aprendem a fazer base"

395 acessosMarcos de Ros: Gene Simmons, o Capitalista Malvadão483 acessosAce Frehley: "Anomaly" ganha versão deluxe; ouça música inédita762 acessosKiss: bicicleta de triathlon em edição limitada0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Kiss"

Metal HammerMetal Hammer
Os maiores hits do rock eleitos em votação

KissKiss
Baterista de 12 anos toca com a banda - e manda muito bem

KissKiss
Paul Stanley e o persistente rumor sobre sua sexualidade

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Kiss"

Bandas de rockBandas de rock
O logo pode ser tão memorável quanto o maior hit

Top 10 GuitarristasTop 10 Guitarristas
Matéria empolgada no Jornal da Globo

GuitarpediaGuitarpedia
Os 10 riffs de guitarra mais complicados da história

5000 acessosDave Navarro: conheça a filha atriz pornô do músico5000 acessosSepultura: Pavarotti gravou uma versão de "Roots Bloody Roots"?5000 acessosElvis Presley: De que ele morreu?3788 acessosBlack Sabbath: reuniões, qual se saiu melhor?5000 acessosDerrick Green e Andre Matos: vocalistas falam sobre vegetarianismo e adoção de animais5000 acessosTom Grosset: O mais rápido baterista do mundo segundo o Guinness

Sobre Fillipi Vieira

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online