RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas


Tom Gabriel Fischer: A juventude problemática do líder do Celtic Frost

Por Rafael Alexandre Tamanini
Fonte: Blabbermouth
Postado em 22 de janeiro de 2007

Em uma entrevista para a revista Guitar World de janeiro de 2007, o líder do CELTIC FROST, Tom Gabriel Fischer, reconta os detalhes chocantes de sua juventude problemática e explica como a música e a guitarra se tornaram a fuga para a sua solidão e agressividade. Alguns trechos da entrevista seguem abaixo:

Celtic Frost - Mais Novidades

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - CLI
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

GW: Você ainda mantém contato com a sua mãe?

Fischer: "Não falo com ela há muitos anos. Eu não sei mais onde ela mora ou mesmo se está viva. Eu não me importo, odeio minha mãe. Há alguns anos atrás minha tia disse que evitou que minha mãe cometesse suicídio, e meus primeiros pensamentos foram que ela não deveria tê-la salvo. Carrego um grande ódio pela minha mãe. E estamos falando apenas de uma pequena parte de minha infância. Passei por milhões de coisas piores quando fiquei mais velho".

GW: Em que ponto da sua juventude você começou a tocar algum instrumento?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - GOO
Anunciar no Whiplash.Net Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Fischer: "No final dos anos 70, uma nova onda do heavy metal estava surgindo, e era muito excitante. Primeiro com a New Wave of British Heavy Metal, e em seguida a América foi contaminada. Quero dizer, como você não pegaria um instrumento se fosse fã da música? E eu tinha muitas emoções presas dentro de mim, esperando para sair, mas eu não tinha nenhum outro jeito de colocá-las para fora. Eu não tomava drogas nem bebia: a música se tornou a minha droga. Eu era tão estranho na minha pequena cidade, que nem uma namorada eu conseguia arrumar. Então o que sobrava? Música".

"Inicialmente eu queria ser um baixista. Eu sempre estava procurando por músicas mais pesadas e logo eu descobri o RUSH. Eu realmente gostava do que Geddy Lee estava fazendo, e especialmente seu baixo Rickenbacker. Depois disso descobri o MOTÖRHEAD e novamente lá esta o baixo no papel principal. A partir daquele momento ficou claro que eu precisava ser um baixista e tocar um baixo Rickenbacker".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - CLI
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

GW: Como você diria que suas habilidades como guitarrista progrediram através dos anos?

Fischer: "Habilidades técnicas nunca importaram para mim, porque tudo estava na forma de se expressar. Eu queria me expressar com sons, não com demonstração de 'técnicas de dedo'. Eu só queria ser capaz de reproduzir na guitarra o que eu sentia dentro de mim, algo que era muito negro".

GW: Deve ser uma sensação muito legal saber que você deixou sua marca na música do mundo, especialmente vendo o jeito que você começou.

Fischer: "Não me levo muito a sério e nem acho que seja importante que eu deixe minha marca no mundo. Tudo é extremamente perecível. Um dia eu morrerei assim como uma folha ou um pedaço de madeira. E isso é bom; é o caminho do mundo. Eu sou só um pedaço da poeira cósmica do Big Bang. È tão importante que Tom Fischer deixe sua marca na música? Eu não acho. Se meus álbuns deixam algumas pessoas felizes por algum tempo, sim é muito legal. Eu sei que estou fazendo uma coisa, mas isto realmente quer dizer algo?"

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - GOO
Anunciar no Whiplash.Net Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal
Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps




publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | Alex Juarez Muller | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Geraldo Fonseca | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Rafael Alexandre Tamanini

Vulgo Tamanini. Catarinense, administrador, chefe escoteiro, futuro historiador e ainda fã de rock and roll. Depois de comprar o disco "Powerslave" do Iron, nunca mais foi o mesmo. Já teve a oportunidade de ver ao vivo Helloween, Iron Maiden, Sepultura, Stratovarius, Ramones, e muitos outros. Além dessas bandas também é fã de carteirinha de Rhapsody of Fire, Black Sabbath, Angra, Blind Guardian e muitas outras. Está aguardando o dia em que o metal nacional irá tomar conta do mundo.
Mais matérias de Rafael Alexandre Tamanini.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS