Matérias Mais Lidas

Freddie Mercury: assistente pessoal explica por que ele nunca assumiu sua sexualidadeFreddie Mercury: assistente pessoal explica por que ele nunca assumiu sua sexualidade

Megadeth: John Bonham ou Neil Peart? Dirk Verbeuren escolhe e explicaMegadeth: John Bonham ou Neil Peart? Dirk Verbeuren escolhe e explica

Angra: Fabio Lione revela a única coisa que não gostou no processo de se juntar a elesAngra: Fabio Lione revela a única coisa que não gostou no processo de se juntar a eles

Mötley Crüe: após meses de negociações eles podem ter recebido quase 1 bilhão da BMGMötley Crüe: após meses de negociações eles podem ter recebido quase 1 bilhão da BMG

Raimundos: vão cancelar Renato Russo?, diz Digão ao postar vídeo com falas do cantorRaimundos: "vão cancelar Renato Russo?", diz Digão ao postar vídeo com falas do cantor

Mortal Kombat: Cinco personagens do famoso jogo que são totalmente heavy metalMortal Kombat: Cinco personagens do famoso jogo que são totalmente heavy metal

Guns N' Roses: Slash fala sobre a turnê de reunião; Seriam apenas alguns showsGuns N' Roses: Slash fala sobre a turnê de reunião; "Seriam apenas alguns shows"

Mike Portnoy: o raivoso motivo pelo qual ele repudia a Retrospectiva SpotifyMike Portnoy: o raivoso motivo pelo qual ele repudia a Retrospectiva Spotify

Power metal: 10 grandes baladas escritas por bandas do estiloPower metal: 10 grandes baladas escritas por bandas do estilo

Paul Di'Anno: bem humorado em vídeo recebendo drenagem linfática pós cirurgiaPaul Di'Anno: bem humorado em vídeo recebendo drenagem linfática pós cirurgia

Zakk Wylde: relembrando experiência assustadora de conhecer o Black SabbathZakk Wylde: relembrando experiência assustadora de conhecer o Black Sabbath

Exodus: música foi inspirada na morte de George Floyd e na brutalidade policialExodus: música foi inspirada na morte de George Floyd e na brutalidade policial

Ozzy Osbourne: todos os álbuns, do pior para o melhor, em lista do Ruthless MetalOzzy Osbourne: todos os álbuns, do pior para o melhor, em lista do Ruthless Metal

Igor Cavalera: ouça o EP Ancient Nocturnal Summoning do projeto Corroded SpiralIgor Cavalera: ouça o EP "Ancient Nocturnal Summoning" do projeto Corroded Spiral

Chorão: viraliza vídeo onde ele incentiva fã a baixar músicas em vez de gastar com CDsChorão: viraliza vídeo onde ele incentiva fã a baixar músicas em vez de gastar com CDs


Garimpeiro
Monolito02

Death Metal: O headbanger que se tornou membro da Al Qaeda

Por Rívia Coimbra
Fonte: New Yorker
Em 01/02/07

(Tradução de trecho da matéria publicada no New Yorker)

Um artigo de 22 de janeiro da revista The New Yorker de Raffi Khatchadourian intitulado "Azzam o Americano" discorre sobre Adam Gadahn — um cidadão americano da California do Sul e membro do "comitê de imprensa" da Al Qaeda, que postou na internet que durante um tempo esteve obcecado com "música Heavy Metal demoníaca" antes de se mudar para Orange County e descobrir a fé Islâmica. Confira um trecho da história a seguir:

"Quando ele completou 15 anos, [Adam] descobriu outra forma de interagir com outras pessoas além da fazenda onde morou até os 16 anos: através de uma 'obscura' subcultura musical chamada Death Metal".

"Death metal é uma derivação extrema do Heavy Metal, uma reação à superficialidade da cultura popular dos anos 80. No início dos anos 90, bandas que tocavam Death Metal se consideravam parte de uma elite de vanguarda. Eles regulavam suas guitarras de maneiras não convencionais, e alguns, influenciados por músicos clássicos, compunham músicas em que eram requeridos um alto grau de disciplina e virtuosidade técnica para serem tocadas. No palco, os artistas frequentemente usavam calças de lycra para ostentar seu físico atlético e se mostrarem despretensiosos; o estilo de vocal que constitui a assinatura do gênero é um grunhido pesado ('Nós gostamos quando é simplesmente podre', disse um músico). É uma subcultura apaixonada por sua ofensividade, e obsessiva em proteger sua pureza artística".

"Phil Gadahn [pai de Adam] 'não era particularmente louco por isso', disse Rich Haupt [um colecionador de discos que se tornou amigo do pai de Adam nos anos 90], 'mas se ele tivesse sido capaz de enxergar além da estética obscura ele poderia ter entendido o interesse de seu filho na música'. Spinoza Ray Prozak, um ex D.J. de Death Metal, falou: 'Death metal é um movimento extremista. Nós somos pessoas que não gostam da sociedade moderna. Nós achamos que ela é um caminho para a morte, perdição, destruição, horror; é parte da maneira moral como vemos o universo. Várias músicas de Death-Metal falam sobre doença, especialmente o tipo de doença que destrói por dentro, que te incapacita, e que não há como lutar contra, de forma que você deve esperar que te consuma lentamente. Muitas músicas são sobre paralisia, ferimento, necroses'. Enquanto Phil Gadahn em sua música se focava em redenção, Death Metal se foca na decadência. Adeptos do gênero geralmente declaram rejeitar a Cristiandade, mas o fazem com uma estrutura religiosa, usando a linguagem e imagens do Paganismo ou do Satanismo, ao invés do ateísmo. Fans que perdem o interesse pela música, o que acontece com a maioria, frequentemente se tornam religiosos".

"Não está claro quando Gadahn conheceu o Death Metal, mas por volta de 1993 ele decidiu aprender o máximo possível sobre isso. Muitos dos seus seguidores, ele descobriu, eram adolescentes pensantes como ele. Eles buscavam, nem tanto por uma maneira de liberar seu ódio mas por uma experiência autêntica e poderosa. 'Enquanto o Heavy Metal atrai muitos caras que levantam peso e amassam latas de cerveja, Death Metal é uma combinação realmente interessante de gente, mas muitos são só nerds', disse Prozak. Gadahn comprava cópias de pequenas revistas alternativas que continham listas de fãs que queriam trocar álbums ou fitas cassete. Ele escrevia para as pessoas das listas, e os envelopes que retornavam eram cheios de fitas e pedaços de papel contendo nomes e endereços de ainda mais fãs que queriam se corresponder. Segundo Prozak, 'ele provavelmente mantinha contato, no mínino, com várias centenas de pessoas pelo mundo todo. Ele levava isso muito a sério. Ele lia sobre a música, ele pesquisava o máximo que podia. E ele, que tinha cerca de dez álbums e achava legal, se transformou em um cara que tinha acesso à quase tudo do gênero'. Na época, a Internet ainda não era comum, e o Death-Metal underground devia parecer exclusivo e de dificíl alcance. Mais importante, essa rede de correspondência tornava a geografia irrelevante. Era um mundo ao qual Gadahn podia pertencer".

"Para os adolescentes do underground do metal que chegaram a conhecer Adam Gadahn, ele foi sempre uma figura obscura. Como um amigo lembrou, ele era 'uma voz no telefone, algumas fitas no correio, algumas cartas'. Alguns dos seus correspondentes se lembram que ele era altamente extremo; outros dizem que ele era bobão. Ele falava sobre questões sociais, ou sobre revistas em quadrinhos da Disney que tinham o Tio Patinhas, e Huguinho, Zezinho e Luisinho, que ele adorava. Algumas vezes ele ficava com amigos tanto tempo no telefone que eles se perguntavam como ele pagava a ligação. Em todas as suas conversas, Gadahn se mostrou educado, altamente culto, e veemente, além de possuir uma voz calma e agradável. Ele tinha como amigos universitários que eram anos mais velhos que ele. 'Adam era realmente inteligente e um cara muito legal', disse John E. Brown II, que era um estudante da Universidade de Wyoming quando Gadahn lhe enviou sua primeira carta. Chris Leffler, que tinha uma banda em Kentucky chamada CATACLYSM, trocou inúmeras cartas com Gadahn e 'nunca percebeu quão novo ele era'. Jeff Hayden, o guitarrista da banda TIMEGHOUL, de Missouri, o relembrou como 'um jovem de grande personalidade e cômico'.

O artigo na íntegra (em inglês) pode ser lido no link abaixo.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Black Sabbath: um Tony Iommi que você não conheciaBlack Sabbath
Um Tony Iommi que você não conhecia

The Voice Kids: garotinha canta Led Zeppelin e conquista todosThe Voice Kids
Garotinha canta Led Zeppelin e conquista todos


Sobre Rívia Coimbra

Colaborador sem descrição cadastrada.

Mais matérias de Rívia Coimbra.