Dave Lombardo: "eu não pratico em casa"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por César Enéas Guerreiro, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar Correções  

A Rhythm, que se intitula "a revista de bateria mais vendida do Reino Unido", entrevistou recentemente o baterista do SLAYER, Dave Lombardo. Alguns trechos desse papo:

Sobre treinar o pedal direito do bumbo em seu chimbal: "O IRON MAIDEN foi o primeiro a fazer isso na música ‘Ghenghis Khan’, onde o chimbal faz o que o bumbo duplo estaria fazendo e havia notas fantasma na caixa para compensar a falta do bumbo. Levei pouco tempo desde a época que usava o chimbal até conseguir o meu segundo bumbo. Tenho que dar crédito ao MOTÖRHEAD pela música 'Overkill'. Quando eu a ouvi pela primeira vez, fiquei fascinado. Embora seja lenta pelos padrões atuais, eu achei que era muito legal".

publicidade

Sobre ser uma "lenda da bateria": "Eu não penso muito sobre ser uma lenda da bateria. Eu não sei o que dizer. O que rolar rolou e eu sou assim mesmo ".

"Vou ter que participar de um workshop na Finlândia, mas fico pensando ‘o que vou fazer?’ Pra ser honesto, eu não gosto desses workshops. Como eu nunca tive aulas de bateria, eu não sei ficar sentado ensinando técnicas para as pessoas. Eu não gosto de escrever porque assim o que se consegue é só um pedaço de papel com um monte de notas e não dá pra tocar seguindo um papel digitado. Você acaba tocando como se estivesse digitando".

publicidade

Sobre a falta de uma rotina de aquecimento: "Realmente, eu fico exausto no palco mas, depois que eu supero essa dificuldade, eu fico bem. Eu já venho aquecido desde o show anterior, então não preciso exagerar. Isso surpreende as pessoas. Eu não pratico em casa, fico só ouvindo música. Quando toco, eu deixo a música fluir. A energia que você vê no palco tem aumentado desde que tocamos nos festivais de Reading e Leeds [Inglaterra], no ano passado. Quando você está há tanto tempo neste negócio, ele acaba se tornando uma coisa muito natural, é o seu trabalho, você simplesmente faz".

publicidade

Dicas para iniciantes: "Toque aquilo que você consegue tocar corretamente. Se você começa com AC/DC, toca um disco inteiro e se sente como se tivesse malhado, então você está indo bem".

"Depois de um tempo, comece a tocar coisas mais complicadas e tente alguma coisa do JUDAS PRIEST antigo e talvez um pouco de bumbo duplo. Se você estiver indo bem assim, passe para o próximo disco. Isso funcionou pra mim".

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Axl Rose: Sobe na porra do palco ou você vai morrer!Axl Rose
"Sobe na porra do palco ou você vai morrer!"

Musas do Metal Nacional: combo de talento e sensualidadeMusas do Metal Nacional
Combo de talento e sensualidade


Sobre César Enéas Guerreiro

Nascido em 1970, formado em Letras pela USP e tradutor. Começou a gostar de metal em 1983, quando o KISS veio pela primeira vez ao Brasil. Depois vieram Iron, Scorpions, Twisted Sister... Sua paixão é a música extrema, principalmente a do Slayer e do inesquecível Death. Se encheu de orgulho quando ouviu o filho cantarolar "Smoke on the water, fire in the sky...".

Mais informações sobre César Enéas Guerreiro

Mais matérias de César Enéas Guerreiro no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin