Apocalypse: tecladista recebeu Prêmio Açorianos de Música

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Eliton Tomasi, Fonte: Som do Darma, Press-Release
Enviar Correções  

Press-release - Clique para divulgar gratuitamente sua banda ou projeto.

O compositor, tecladista, professor e pesquisador Eloy Fritsch recebeu no último dia 28 de abril o "Prêmio Açorianos de Música - Menção Honrosa", pela sua contribuição ao cenário musical gaúcho. A entrega do "Troféu Açorianos" foi realizada no Teatro São Pedro em Porto Alegre. A cerimônia foi televisionada pela TV-COM da RBS, retransmissora gaúcha da Rede Globo.

Religião: os rockstars que se converteram

Slayer: Kerry King fala sobre sua relação com religiões

A casa estava lotada para acompanhar a maior premiação de música do Estado do Rio Grande do Sul. Fritsch foi o primeiro homenageado da noite.

A produção do evento fez um documentário sobre a carreira do músico com cenas dos shows do APOCALYPSE extraídos dos DVDs Live in Rio e The Bridge Of Light.

O tecladista falou emocionado ao grande público presente agradecendo aos que o apoiaram em sua trajetória musical.

Eloy F. Fritsch iniciou sua carreira musical em 1983 quando criou, com seus amigos de escola, o grupo de rock progressivo APOCALYPSE, o mais representativo do gênero no sul do Brasil. Ao utilizar diversos sintetizadores e teclados eletrônicos, o músico começou a se destacar através de sua atuação nos palcos e gravações. Em 1993, o APOCALYPSE assinou contrato com a gravadora MUSEA da França para lançamento de três CDs na Europa, divulgando a música feita no Rio Grande do Sul para o mundo todo. Em 25 anos de carreira, o APOCALYPSE já lançou 10 álbuns e dois DVDs.

Eloy Fritsch foi escolhido por quatro vezes como o melhor tecladista de rock progressivo do Brasil, em eleição realizada pelo site Rock Progressivo Brasil (RPB) (www.rockprogressivo.com.br). Em 1991, Fritsch recebeu o prêmio de melhor instrumentista no FestPop e em 1999 foi escolhido o melhor tecladista do festival ProgDay na Carolina do Norte, quando o APOCALYPSE gravou seu álbum duplo ao vivo nos Estados Unidos.

Fritsch também já foi matéria nas revistas "Keyboard" (EUA), "21st Century Music" (Itália), "E-dition" (Holanda) e nas brasileiras "Teclado & Áudio", "Música & Tecnologia"e "Cover Teclado".

Paralelamente ao APOCALYPSE, Eloy Fritsch também desenvolve uma vitoriosa carreira solo voltada para a composição em estúdio com sintetizadores e teclados eletrônicos. O músico já lançou oito álbuns instrumentais e suas composições foram selecionadas para várias coletâneas lançadas em diferentes países: Le Melleur du Progressif Instrumental (França), Margen (Espanha), Mellotron (Argentina), E-dition (Holanda), Planeta Nova Era (Brasil) e Brasil Instrumental 2006 (Brasil). O tecladista foi consultor da Roland do Brasil e atualmente é endorser dos teclados Tokai e dos sintetizadores Labolida.

Após doutorado, Eloy Fritsch assumiu como professor do Departamento de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, criando o Centro de Música Eletrônica do Instituto de Artes - um conjunto de três estúdios de música eletroacústica destinados às atividades de composição por computador. Fritsch foi professor da nova geração de músicos eletrônicos gaúchos e de tantos outros compositores que realizam música eletroacústica. Introduziu a linguagem Max/MSP e diversas técnicas de composição por computador no Rio Grande do Sul. Em 2008 lançou o DVD "Música Computacional e Eletrônica" e o livro "Música Eletrônica – Uma Introdução Ilustrada" pela Editora da UFRGS.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Religião: os rockstars que se converteramReligião
Os rockstars que se converteram

Slayer: Kerry King fala sobre sua relação com religiõesSlayer
Kerry King fala sobre sua relação com religiões


Sobre Eliton Tomasi

Empresário artístico, gestor e produtor cultural, crítico musical. Foi fundador e editor-chefe da revista Valhalla (Rock Hard Brasil) - uma das mais importantes revistas especializadas em rock já existentes no Brasil - através da qual tornou-se um experiente e respeitado jornalista de rock. Há 20 anos atua como produtor de shows e eventos tendo já realizado desde pequenas gigs até produções internacionais de grande porte. Especializou-se na função de empresário e gestor de bandas e artistas nacionais e internacionais, participando da elaboração de diversos projetos culturais na área da música (rock) e realizando turnês freqüentes por todo Brasil e em mais de 15 países da Europa.

Mais matérias de Eliton Tomasi no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin