Kiss: "quando subimos no palco damos valor ao seu dinheiro"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Karina Detrigiachi, Fonte: Star Tribune, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 02/11/09. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Confira abaixo trechos de matéria sobre o KISS publicada originalmente no Star Tribune:

530 acessosMarcos de Ros: Gene Simmons, o Capitalista Malvadão5000 acessosBayley, Wilson e Cherone: grandes erros na história de grandes bandas

Por quê vocês decidiram vender o "Sonic Boom" exclusivamente pelo Wal Mart?

Stanley: "A verdade é que as lojas varejistas de músicas praticamente secaram. A indústria da música está no mínimo, em queda. E a Wal-Mart nos ofereceu a oportunidade de lançar um pacote, e isso meio que seguia a nossa filosofia de dar mais do que apenas um álbum aos fãs. Iríamos incluir uma música do ‘Love Gun’ [álbum lançado pela banda em 1977] ou um cartaz ou uma tatuagem - algo apenas para incrementá-lo.

Fomos capazes de reunir um pacote que (também) tem um CD com regravações de 15 canções e um DVD com trechos do nosso show mais recente em Buenos Aires. Ser capaz de fazer isso por 12 dólares foi muito fácil. Além disso, há muito mais Wal-Marts do que lojas de CDs”.

Como voce se sente tendo finalmente sido indicado para o Rock And Roll Of Fame?

Stanley: “Isso tem um significado muito maior para os fãs do que para mim. Tendo dito isso, gostaria de abraçar a oportunidade por eles. Eu sempre fui ambivalente sobre isso. O problema com o Rock and Roll Hall of Fame é que não há critérios para ser nomeado. Você não tem de vender uma quantidade X de álbuns, você não tem de fazer uma quantidade X de shows. É um conceito vago baseado nos sentimentos de algumas pessoas partidárias de certos artistas ou certos tipos de música. Mas estou muito orgulhoso de ter pessoas que lutam contra nós, assim como estou orgulhoso pelas pessoas que lutam por nós. É tudo parte do Kiss. O fato de que podemos incomodar ou irritar as pessoas é muito engraçado. Eu me irritei algumas vezes. Mas é só música".

Como você acha que o KISS contribui para a música e a cultura?

Stanley: “Você teria que perguntar para todas as pessoas que foram influenciadas por nós, e isso não significa necessariamente bandas de rock. Artistas country, médicos, policiais... Acho que as pessoas aspiram coisas maiores e talvez olhem para nós como um apoio quando estiverem indo por uma estrada solitária, onde todos pensavam que seria um fracasso, e eles sucedem.

Como uma banda de rock nos tornamos um alerta aos fãs sobre o que eles devem esperar das bandas e que não devem aceitar pouca coisa.

E o respeito que os fãs devem ter. E o fato de que o público faz um favor para a banda, indo aos shows, e não vice-versa.
Nossa obrigação, quando subimos no palco é dar a todos o valor do seu dinheiro e fazer jus a tudo que eles esperam.
Se atingirmos as expectativas dessa forma, ótimo".

Leia a matéria completa (em inglês) no link abaixo.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 02 de novembro de 2012

Paul StanleyPaul Stanley
"Guitarristas não aprendem a fazer base"

530 acessosMarcos de Ros: Gene Simmons, o Capitalista Malvadão493 acessosAce Frehley: "Anomaly" ganha versão deluxe; ouça música inédita766 acessosKiss: bicicleta de triathlon em edição limitada0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Kiss"

Paul StanleyPaul Stanley
"Eu queria era fazer certas pessoas desaparecem!"

Ace FrehleyAce Frehley
"Eu sabia que seria um rockstar"

KissKiss
"Psycho Circus foi um pesadelo"

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Kiss"

VocalistasVocalistas
Três grandes erros na história de três grandes bandas

GibsonGibson
As dez melhores composições épicas do rock

Guns N RosesGuns N' Roses
O "Chinese Democracy" que você nunca viu

5000 acessosMarilyn Manson: é do cantor o vídeo mais assustador5000 acessosEm 11/05/1981: Bob Marley morre, vítima de um tumor no cérebro5000 acessosRolling Stone: os 100 melhores álbuns dos anos 905000 acessosTalento: pra quem tem, a idade é apenas um detalhe5000 acessosCapas de álbuns: as mais obscuras e marcantes da história3341 acessosNoisecreep: os 10 melhores álbuns duplo do rock

Sobre Karina Detrigiachi

Designer, nascida na cidade de São Paulo, Kari como é mais conhecida, cresceu ouvindo Deep Purple, Led Zeppelin, Skid Row e Alice Cooper. É apaixonada por todas as vertentes do Metal, porém ouve de tudo um pouco sem se prender a rótulos.

Mais matérias de Karina Detrigiachi no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online