Lamb Of God: "nosso público está ficando cada vez maior"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: The Scream Queen, Tradução
Enviar Correções  

O site The Scream Queen entrevistou recentemente o baterista Chris Adler dos metaleiros de Richmond, Virginia, LAMB OF GOD. Seguem alguns trechos da conversa.

The Scream Queen: Você já disse que você pensou que a popularidade do LAMB OF GOD tomou seu curso, mas com tudo que aconteceu no último ano ou dois, você acha que a popularidade vai desaparecer?

Adler: É bem difícil dizer. Quero dizer, sei que os fãs do metal podem ser bem, bem peculiares e meio que instáveis quando se trata de sua música. E acho que os fãs de hoje tem desvios de atenção muito próximos, sabe, tem uma nova banda a cada dois minutos no Facebook e MySpace. Elas vem e vão tão rapidamente hoje em dia que é realmente difícil acreditar que chegamos até aqui. Então, como disse, sempre foi uma surpresa para mim que as pessoas se apegaram conosco do jeito que se apegaram e continuam a crescer; nosso público está ficando cada vez maior ao invés de menor. Eu não conheço muitas bandas com algo em torno de 15 anos que tenha esse tipo de história para contar. Temos muita sorte, eu não quero gorar isso e dizer que vai continuar para sempre. É sempre uma surpresa para mim termos tão bem como fizemos e eu obviamente tenho muita sorte de ser parte disso. Espero que continue. Eu não sei, eu sei que estivemos em turnê por muito tempo com bandas como SLAYER e MEGADETH, e METALLICA, esse tipo de legado age como um formador de público, eles podem ir aonde quiserem, tocar aonde quiserem. Teríamos muita sorte de ter esse tipo de situação acontecendo com a gente. Mas isso não cabe a nós decidir, isso são os fãs que nos deixam saber, e até agora, tudo bem!

publicidade

The Scream Queen: Você diria que o LAMB OF GOD já deixou uma espécie de legado?

Adler: (pausa) Eu… É difícil dizer, acho que quando os livros são escritos, é para um outro alguém escrever sobre nós. Eu diria que seria bem presunçoso de minha parte pensar que somos algo especial. Eu acho sim que surgimos em um bom momento, acho que o cenário heavy metal, quando começamos com "New American Gospel" e "Palaces", realmente precisava desse empurrão e mostrar algum sucesso para outras bandas acreditarem que a música poderia voltar e ser bem sucedida. Então, eu certamente acho que tivemos um papel nesse momento, mas eu não sei como será lembrado no fim.

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


LOG: John Campbell chama Trump de assassino e dispara; Estamos fodidosLOG
John Campbell chama Trump de assassino e dispara; "Estamos fodidos"

Lamb Of God: fã se casa ao som da banda (vídeo)Lamb Of God
Fã se casa ao som da banda (vídeo)

Lamb Of God: Willie Adler não falou com irmão Chris desde que o baterista saiu da bandaLamb Of God
Willie Adler não falou com irmão Chris desde que o baterista saiu da banda

LOG: Mark Morton diz que seguidores de Trump não se importam com o que ele fazLOG
Mark Morton diz que seguidores de Trump não se importam com o que ele faz

Consequence Of Sound: os melhores álbuns de metal lançados em 2020Consequence Of Sound
Os melhores álbuns de metal lançados em 2020

Lamb Of God: banda vai realizar "lives" com álbuns na íntegra

Bill & Ted: ouça trilha sonora de novo filme com músicas novas de Mastodon e Lamb of GodBill & Ted
Ouça trilha sonora de novo filme com músicas novas de Mastodon e Lamb of God


Lista: a melhor banda de metal de cada estado dos EUA, segundo a KerrangLista
A melhor banda de metal de cada estado dos EUA, segundo a Kerrang

Rock e Metal: as onze covers mais estranhas da históriaRock e Metal
As onze covers mais estranhas da história


Lemmy: Radiohead e Coldplay são bandas sub-emoLemmy
"Radiohead e Coldplay são bandas sub-emo"

Total Guitar: os melhores e piores covers da históriaTotal Guitar
Os melhores e piores covers da história


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin