Igor Cavalera: "Max se tornou um produtor incrível"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nathália Plá, Fonte: Blabbermouth.net, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 31/03/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

A revista britânica Rhythm falou recentemente com o baterista Igor Cavalera (CAVALERA CONSPIRACY/ex-SEPULTURA) sobre a produção do novo álbum do CAVALERA CONSPIRACY, "Blunt Force Trauma". Seguem alguns trechos da conversa.

57 acessosButeco do Rock Podcast: álbuns de 20175000 acessosCapas de álbuns: algumas curiosidades e histórias

Rhythm: Quais foram os aspectos mais desafiadores da gravação do álbum?

Igor: "É muito difícil para um baterista se segurar às vezes. Você quer colocar a maior quantidade de apetrechos possível. É como um vício, você tem que bater em coisas, como um viciado. Como se eu pudesse ficar ainda mais viciado e me soltar."

Rhythm: Como esse disco se realizou?

Igor: "Ficou pronto bem rápido. O Max «Cavalera; guitarra/vocais» cresceu muito como produtor. Ele é um produtor incrível agora. Ele sabe exatamente o que quer. Nós fizemos muita turnê com essa formação e entrar pro estúdio com essa formação foi muito satisfatório."

Rhythm: Há alguma faixa que se destaca como favorita?

Igor: "Eu fico mudando de favoritas. Eu gosto muito daquela com o Roger do AGNOSTIC FRONT «'Lynch Mob'». Para mim, eu adoro a combinação das vozes do Roger e do Max juntas. A faixa é uma loucura. A 'Killing Inside' para mim é muito especial porque eu fiz uma percussão industrial então tem uma vibração meio maluca nela."

Rhythm: Qual set-up você usou no estúdio?

Igor: "Eu usei meu conjunto normal. Bem básico para o que eu faço. Eu tentei um som profundo. Eu não posso mudar de equipamento durante um show então eu tenho que dar um tom mais alto, mas quando estou no estúdio eu vou um pouco mais baixo. Eu mudava de equipamento a cada música no estúdio. Gostaria de poder fazer o mesmo ao vivo."

Leia mais no site da Rhythm:
http://www.musicradar.com/rhythm/igor-cavalera-drum-fills-ar...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

SepulturaSepultura
"Chaos A.D." e "Roots" ganharão versões expandidas

57 acessosButeco do Rock Podcast: álbuns de 20171200 acessosSepultura: completamente diferente, sem medo de arriscar!0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Sepultura"

CavaleraCavalera
"Superamos toda a merda que causou nossa separação!"

Mad MaxMad Max
Inspiração em Sepultura, semelhança com Devin Townshend

SepulturaSepultura
Novos vídeos da série "o Eloy não é humano"

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Cavalera Conspiracy"0 acessosTodas as matérias sobre "Sepultura"

Capas de álbunsCapas de álbuns
A história das artes de alguns dos maiores clássicos

Bizarre MagazineBizarre Magazine
Quão bizarro é... Ronnie James Dio

SlayerSlayer
Quando o católico pai de Tom Araya descobriu que a banda era satanista

5000 acessosConfissões de uma groupie - a autobiografia de Pamela Miller5000 acessosMetal: 101 motivos para perceber que você ouve há muito tempo5000 acessosMetallica: gosto musical impediu que se tornassem um Maiden5000 acessosSystem Of a Down: Impressionante versão de "Aerials" com cello5000 acessosGuns N' Roses: como era a dura vida na estrada em 19875000 acessosAC/DC: empresário recorda exigências inusitadas da banda

Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online