Ozzy Osbourne: detalhes sobre livro de maus conselhos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: blabbermouth.net, Tradução
Enviar Correções  


A Grand Central Publishing marcou para 11 de outubro o lançamento do livro "Trust Me, I'm Dr. Ozzy: Advice From Rock's Ultimate Survivor" ("Confie em mim, eu sou o Dr. Ozzy: Conselhos do maior sobrevivente do rock" em tradução livre), (antes chamado "Ask Dr. Ozzy"), escrito pelo lendário vocalista de heavy metal Ozzy Osbourne e Chris Ayres.

A descrição official do livro é a seguinte: "Questionando se a ciência poderia explicar como ele sobreviveu à sua avalanche de drogas e álcool por 40 anos, Ozzy Osbourne tornou-se uma das pouquíssimas pessoas no mundo a terem todo o seu DNA mapeado em 2010. Foi um processo extremamente complexo que custou $65.000 dólares, mas os resultados foram conclusivos: Ozzy é uma anomalia genética. O 'Genoma Completo de Ozzy' continha variantes que os cientistas nunca haviam encontrado e as descobertas foram apresentadas na prestigiada conferência TEDMED em San Diego – chegando às manchetes no mundo todo. O procedimento foi patrocinado em parte pelo The Sunday Times de Londres, que já havia causado furor internacional ao colocar Ozzy Osbourne como seu astro colunista de saúde. O jornal deduziu que as múltiplas experiências de quase morte de Ozzy, histórico de 40 anos de uso abusivo de drogas, e extrema hipocondria o qualificavam mais do que qualquer outro para o trabalho. A coluna virou sucesso de um dia para o outro, sendo rapidamente selecionada pela Rolling Stone para dar ao seu público global de milhões. Em 'Trust Me, I'm Dr. Ozzy', Ozzy responde a perguntas de leitores com seu humor ultrajante e extrema sabedoria, indo fundo em seu passado para contar histórias de sobrevivência jamais antes publicadas e oferecer orientação que nenhum ser humano saudável deveria seguir. Parte humorístico, parte biografia e parte maus conselhos, 'Trust Me, I'm Dr. Ozzy' incluirá o melhor do material de suas colunas publicadas, respostas a questões médicas de celebridades, tabelas e mais."

publicidade

Ozzy disse ano passado que sua coluna no Times não deve ser levada a sério. "Não é coisa séria", disse ele. "Quero dizer, eu sou a última pessoa a se pedir conselhos de saúde. Simplesmente, é algo que não foi feito para ser levado a sério. Quero dizer – e eu não a estou fazendo, eu não estou escrevendo a coluna pessoalmente, eu tenho um cara que vem, o cara que fez meu livro, Chris Ayres, está fazendo a coluna. Ele me traz as coisas da coluna e eu só faço piada com elas, sabe. Porque se você acreditar em mim, você vai acabar num manicômio."

publicidade

Ozzy disse em sua primeira coluna para o Times, "Se as possoas podem aprender pelos meus erros idiotas sem ter de repetir nenhum deles, ou se eles podem obter algum conforto das coisas loucas que a minha família passou ao longo dos anos... isso é mais que o suficiente para mim."

Ozzy acrescentou na coluna, "No fim das contas, eu sou um milagre médico. Quando eu morrer, vou doar meu corpo para o Museu de História Natural."

publicidade

Em resposta a um leitor da Rolling Stone chamado Hugh do Novo México que perguntou se ele deveria ir a uma daquelas "casas de massagem" supondo que sua namorada jamais ficaria sabendo, Ozzy respondeu, "Uma punheta é algo bem pessoal, e depois de uma vida inteira de prática, a maioria dos sujeitos tem uma preferência bem específica quanto ao tipo de técnica que eles gostam. Então, a não ser que você esteja agindo como um co-piloto e dando instruções a sua massagista espertalhona a cada dois segundos, vai acabar parecendo mais como se ela estivesse arrancando a pele de um coelho morto do que te enlouquecendo com prazeres proibidos. Na realidade, parece para mim que você já tem na sua cabeça que vai ser um desapontamento que vai custar caro. Você também não está se sentindo culpado. Está tudo bem em você dizer ao Dr. Ozzy que não parece errado contratar um par de mãos extra para ajudar no departamento de descabelar o palhaço, mas receio dizer que se você for parecido comigo, sua consciência não vai concordar com isso."

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Homônimas: Músicas com o mesmo nome (mas bem diferentes) - Parte 3Homônimas
Músicas com o mesmo nome (mas bem diferentes) - Parte 3

Ozzy Osbourne: cartões dele e de Sharon foram alvos de fraudeOzzy Osbourne
Cartões dele e de Sharon foram alvos de fraude

AC/DC e Sabbath: Geezer puxou uma faca para Malcolm Young mas Ozzy interveioAC/DC e Sabbath
Geezer puxou uma faca para Malcolm Young mas Ozzy interveio

Em 24/10/1995: Ozzy Osbourne lançava Ozzmosis, disco que contou com um dream team do rockEm 24/10/1995
Ozzy Osbourne lançava Ozzmosis, disco que contou com um dream team do rock

Van Halen: Ozzy Osbourne lembra quando Eddie ligou oferecendo o posto de vocalistaVan Halen
Ozzy Osbourne lembra quando Eddie ligou oferecendo o posto de vocalista

Ozzy Osbourne: turnê com Judas Priest é remarcada para 2022; veja datasOzzy Osbourne
Turnê com Judas Priest é remarcada para 2022; veja datas

Lista: do rock sapatênis ao black metal, álbuns que farão 20 anos em 2021Lista
Do rock sapatênis ao black metal, álbuns que farão 20 anos em 2021

Ozzy Osbourne: ele acha que boneco amaldiçoado causou seus problemas de saúdeOzzy Osbourne
Ele acha que boneco amaldiçoado causou seus problemas de saúde

Gustavo Carmo: brasileiro lança EP com Rudy Sarzo, Derek Sherinian e Brian Tichy

Jake E. Lee: por que o ex-guitarrista de Ozzy sumiu por tanto tempoJake E. Lee
Por que o ex-guitarrista de Ozzy sumiu por tanto tempo


Ozzy Osbourne: os 10 melhores covers gravados por outras bandasOzzy Osbourne
Os 10 melhores covers gravados por outras bandas

Ozzy Osbourne: obcecado pelo 1º disco de Phil Collins?Ozzy Osbourne
Obcecado pelo 1º disco de Phil Collins?


Black Sabbath: avó de Iommi era brasileira e pais eram católicosBlack Sabbath
Avó de Iommi era brasileira e pais eram católicos

Sonho de Consumo: os 10 palcos de shows mais desejadosSonho de Consumo
Os 10 palcos de shows mais desejados


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin