Ratt: autobiografia de Pearcy terá "muito sexo e drogas"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar Correções  

O célebre editor literário Jeremie Ruby-Strauss falou com Thomas Scott McKenzie, autor do recente "Power Chord: One Man’s Ear-Splitting Quest To Find His Guitar Heroes" [ainda sem título em português] sobre a história e o futuro da moda das autobiografias de músicos de Heavy Metal, sobre trabalhar com Ace Frehley [KISS] e detalhes sobre a vindoura autobiografia de Stephen Pearcy do RATT.

publicidade

Ruby-Strauss, editor da Gallery Books, uma subsidiária da Simon Schuster, trabalhou anteriormente com Marilyn Manson e com o Mötley Crüe na elaboração de "The Dirt: Confessions Of The World’s Most Notorious Rock Band". Mais recentemente, ele trabalhou com Ace Frehley em "No Regrets: A Rock ‘N’ Roll Memoir", além de ter recém adquirido os direitos do livro de Pearcy.

publicidade

Sobre o que os fãs podem esperar do livro do vocalista do Ratt, ele respondeu: "Haverá muito sexo, quantidades inacreditáveis de drogas, e claro, muito Ratt and roll. Daí o título provisório, ‘Sex, Drugs, Ratt Roll: My Life In Rock’. Também há passagens sobre coisas como ele ter quebrado as duas pernas quando garoto e tudo mais, mas você não está mais intrigado em saber do sexo e das drogas?"

publicidade

publicidade



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Felipe Andreoli: Se você quiser se arriscar a ligar para o ex-cantor do Angra...Felipe Andreoli
"Se você quiser se arriscar a ligar para o ex-cantor do Angra..."

Sepultura: Pavarotti gravou uma versão de Roots Bloody Roots?Sepultura
Pavarotti gravou uma versão de "Roots Bloody Roots"?


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin