Yngwie Malmsteen: primeira namorada fala sobre o guitarrista

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Samuel Coutinho, Fonte: Metal da Ilha
Enviar correções  |  Ver Acessos

Quando tinha doze anos, ela comprou sua primeira câmera por 5 dólares em um mercado de pulgas. Dois anos depois, ela conheceu YNGWIE MALMSTEEN, um encontro que mudaria sua vida para sempre. Tallee Savage é desconhecida pela grande maioria, mas ela é conhecida por ser a primeira namorada de Yngwie.

Headbanger: mostre que você é true em qualquer oportunidadeNinguém é perfeito: os filhos "bastardos" de pais famosos

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Durante seu longo caso de amor, começou seu longo caminho para se tornar um fotógrafa profissional. Existem várias pessoas da mídia que gostaria de ouvir as próprias palavras de Savage sobre o relacionamento com Yngwie, mas sempre saiam desapontadas quando ela optava por manter a discrição. Porém quando Sven Moren do Rocknytt entrou em contato com ela, para participar de sua biografia sobre Yngwie Malmsteen, ela decidiu ir em frente e compartilhar suas próprias experiências com o visionário guitarra sueco.

Confira alguns trechos da conversa:

Rocknytt: O que Yngwie e você tinham em comum?

Tallee: Nós tínhamos muitas coisas em comum realmente. Ambos viemos de situações precárias. Eu era uma refugiada do Chile e vim de uma família que não estava sempre em harmonia. Eu saí de casa quando eu tinha 15 anos e fui morar com a mãe de Yngwie. A situação familiar de Yngwie também não era estável. Ele foi relativamente solitário, e de muitas formas, frustrado. Ele era mais velho do que eu, tinha a aparência de um cara do 'death metal' e era chamado de Yngwie. Não é muito normal alguém com menos de 60 anos ser chamado de Yngwie na Suécia. Ele era tão sincero que até o colocava em apuros. Tudo isso era muito suspeito, mas ele insistiu em me levar ao cinema e ele finalmente ganhou meu coração. Eu entendia muito bem e tínhamos muitas coisas em comum. Ele era super-protetor o que me deu força e confiança, e que rapidamente, se transformou numa dependência um pelo outro. Passamos todas as horas possíveis juntos e me sentia muito segura. Nós nunca ficávamos sozinhos, claro, sua guitarra sempre ia com a gente (risos). Mas ele tocava para mim, me divertia e era muito leal. Algo que eu sei que muitas da vezes era o oposto da maioria das pessoas. Mas é claro que eu tenho que concordar com o que JOE LYNN TURNER, disse, 'os anos se variam entre a genialidade e a loucura'. Yngwie era um selvagem e mereceu o meu último nome, mais do que eu mesma. Tivemos poucos, mas muito anos importantes juntos, porque ambos vieram de mundos com um grande contraste. Nós deixamos a adolescência e entramos na vida adulta, numa fase inicial. Mas também pelo fato de que Yngwie deixava de ser um garoto incompreendido, que muitas vezes me envolvia em brigas e problemas, onde as pessoas não prestavam atenção nele ou em sua música. Uma vida onde tentávamos encarar as despesas, a uma vida em que, de repente, pudéssemos ter nossa própria limousine com as pessoas gritando: 'Yngwie é deus'."

Rocknytt: Hoje é extremamente difícil de fazer contato com ele, como também se reencontrar com a maioria dos seus amigos mais próximos. Sua esposa April parece mantê-lo preso. E este é mais um sinal de que não há meio-termo? Ou ele domina ou vice-versa. É uma baita de uma esposa quando ele precisa se acalmar?

Tallee: "Bem com Yngwie é assim, quando ele conhece uma garota e se apaixona, ele vai com tudo, ele faz de tudo para escrever canções para ela e ele gosta de levá-la em todos os lugares. Ele não gosta desse estereótipo de 'rock star', onde você deixa sua namorada ou esposa em casa. Eu acho que ele entraria em pânico se vivesse em 'condições normais'. Ele deve ter um controle sobre sua situação familiar até para ser feliz. Esse é o jeito que ele era comigo e com as outras mulheres que compartilharam suas vidas".

Rocknytt: Super-protetor em outras palavras?

Tallee: "De certa forma, mas não no sentido usual da palavra. Ele só se sente mais seguro quando tem algumas pessoas de sua preferência em sua volta. Eu não acho que ela está associada com qualquer necessidade patológica de controle. Ele apenas quer se sentir seguro e estar sempre perto das pessoas que ele mais ama. Também precisamos lembrar que ele foi traído várias vezes. Muitas coisas ruins aconteceram em sua vida. Quando ele ficou mais velho e mais maduro, ele deve ter chegado à uma conclusão de que já era o bastante. Ele queria uma nova vida para si mesmo. Junto de uma mulher que tivesse um caráter forte para ajudá-lo. Mas eu não tiraria todo o crédito do próprio Yngwie. Ele teve o suficiente!"

Leia a entrevista completa (em inglês) no link abaixo:

http://www.rocknytt.net/intervjuer/9583-tallee-savage-readin...




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Yngwie Malmsteen"


Yngwie Malmsteen: A esmerada educação do guitarrista suecoYngwie Malmsteen
A esmerada educação do guitarrista sueco

Yngwie Malmsteen: O lado bom desse cara pra lá de malaYngwie Malmsteen
O lado bom desse cara pra lá de mala


Headbanger: mostre que você é true em qualquer oportunidadeHeadbanger
Mostre que você é true em qualquer oportunidade

Ninguém é perfeito: os filhos bastardos de pais famososNinguém é perfeito
Os filhos "bastardos" de pais famosos


Sobre Samuel Coutinho

Nascido no interior de SP no dia 15/12/1986, em uma cidade chamada Ilha Solteira, Samuel Coutinho se entregou ao heavy metal logo na adolescência. Seu forte sempre foi o heavy metal melódico, variando desde o prog-metal até ao power-metal.

Mais matérias de Samuel Coutinho no Whiplash.Net.

adGoo336