The Cult: Electric deve muito ao AC/DC, afirma Billy Duffy

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar correções  |  Ver Acessos

O guitarrista do THE CULT, BILLY DUFFY foi entrevistado semana passada pelo site Guitar International a respeito do álbum 'Electric', da banda, que está celebrando seu vigésimo-quinto aniversário sendo executado na íntegra. O que segue abaixo é um trecho traduzido da conversa:

The Cult: O show sold out da Sonic Temple Tour em MadriIron Maiden: Bruce Dickinson e sua preferência pelo Brasil

Robert Cavuoto: O que é que há em 'Electric' que agrada tanto aos fãs 25 anos depois?

Billy Duffy: "Foi um disco muito honesto. Foi a trilha sonora do que fazíamos naquela época, apenas nos divertíamos tocando rock viajando pelo mundo. Fazendo o que jovens sonham em fazer e o disco parecia capturar aquela energia. Ele estabelecia uma conexão com uma certa geração de pessoas, especialmente nos EUA. Foi a trilha sonora dos dias de faculdade das pessoas.

O disco deve muito ao AC/DC. Eu sempre curti AC/DC. Eu os vi em 1977 com Bon Scott em Manchester, Inglaterra, e consegui encostar na guitarra de Angus com minha mão enquanto Bom o carregava pelo lugar. Aquilo é rock sem frescuras. Eu sempre tive uma coisa com o AC/DC e Malcolm tinha uma [guitarra] Gretsch. O disco 'Electric' usava essa batida e simplicidade honestas. Foi a combinação do tempo em que o fizemos também.

Na mesma época em que 'Electric' fora lançado, o GUNS N' ROSES lançou 'Appetite For Destruction', que era um disco de rock bem básico num estilo mais estadunidense. Estávamos recebendo muita atenção de algumas pessoas muito boas que adoravam o que fazíamos, como Robert Plant e Sammy Hagar, quando ele estava no Van HALEN.

'Electric' era autêntico e nunca conseguiríamos fazer aquele disco de novo, porque não estamos vivendo aquele estilo de vida. O mesmo vale para o LED ZEPPELIN, eles nunca conseguiriam gravar o primeiro disco deles de novo. Ninguém consegue. Você evolui e muda esse torna uma pessoa diferente, mas ainda é ótimo honrar isso agora.

Pra lhe dizer a verdade, trata-se mais de fazer isso pelos fãs porque as pessoas querem ouvi-lo ao vivo. Eu me divirto tanto tocando qualquer material do The Cult. Eu sei que ele significa muito para os fãs e todo mundo sai ganhando. "




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Cult"


The Cult: O show sold out da Sonic Temple Tour em MadriThe Cult: banda relança Sonic Temple para celebrar 30 anos do álbum

São Paulo Trip: As prováveis datas das apresentações...São Paulo Trip
As prováveis datas das apresentações...

Matt Sorum: a entrevista mais reveladora de sua carreiraMatt Sorum
A entrevista mais reveladora de sua carreira


Iron Maiden: Bruce Dickinson e sua preferência pelo BrasilIron Maiden
Bruce Dickinson e sua preferência pelo Brasil

Marilyn Manson: perdi tudo por causa de ColumbineMarilyn Manson
"perdi tudo por causa de Columbine"


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336