Paul McCartney: surpreendendo estudantes em faculdade na Flórida

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Roberta Forster, Fonte: Site da Faculdade Rollins, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 28/10/14. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

O evento, que ocorreu em 23 de outubro, onde o frontman beatle de 72 anos apareceu, foi mantido em segredo dos estudantes até o último minuto.

1324 acessosRock: gênero é um trintão decadente, segundo Spotify5000 acessosAutismo: rockstars famosos autistas, ou com suspeita de autismo

Paul disse: “Fazer isso pelos estudantes foi algo muito especial para mim. Espero que tenha sido para eles também.”

Sentado por cerca de uma hora batendo papo com o poeta americano Billy Collins, o criador do hit ‘Live and Let Die’ falou para cerca de 100 estudantes na Knowles Memorial Chapel da faculdade Rollins, em Winter Park, sobre suas habilidades de compositor e sua fama como membro da lendária banda The Beatles.

Quando questionado sobre o que vem primeiro para ele, se letra ou música, ele explicou: “Eu digo aos estudantes o tempo todo, ‘Olha, eu não sei como fazer isso.’ Toda vez que chego perto de uma canção, na há regras. As vezes a música vem primeiro, outras vezes, as palavras – e se você tiver sorte, vem tudo junto.”

Para ilustrar esse ponto, McCartney descreveu como sua inspiração para “Yesterday” veio em um sonho. Uma antiga melodia estava presa em sua cabeça, ele andava por aí cantarolando-a, perguntando se alguém a conhecia. “Depois de duas semanas,” ele disse, “Eu a tomei para mim.”

Quando Collins trouxe a tona sobre como as músicas de McCartney tem sido regravadas por incontáveis bandas através dos anos, Sir Paul demonstrou gratidão e comparou o ato com lisonja. “Se alguém na esquina esta lendo um de seus poemas”, ele perguntou a Collins, “isso irá te incomodar?”

Crescido em Liverpool, McCartney lembrou como marinheiros ingleses voltaram com Blues e gravações Country de lugares como Nova Orleans e Nova York. Ele também contou sobre a emoção que o acompanhou ao aprender alguns acordes de Jazz quando era jovem.

Ao ser questionado sobre a evolução musical dos Beatles na década de 60, McCartney arrancou aplausos e risadas quando ele a chamou de “um natural crescimento que desenvolvemos – e drogas.”

“No começo dos Beatles,” ele disse, “você tinha que lembrar que éramos uma boy band... ela era realmente orientada por fãs. Não é uma coisa ruim, mas depois de um momento você sente que quer seguir em frente.”

Dissecando suas diferentes abordagens sobre a palavra escrita, McCartney e Collins encontraram um lugar comum na intersecção entre letra e poesia. Compartilhando como ele uma vez leu seus próprios poemas para um grupo de estudiosos na cidade de Nova York, McCartney admitiu “foi um pouco estressante” e um pouco diferente do que tocar para platéias barulhentas. “Eu tinha que respeitar o silêncio como se fosse uma grande coisa.”, ele disse.

Depois que Collins leu algumas questões pré-escritas dos estudantes – a maioria querendo saber se Sir Paul poderia se juntar a eles mais tarde - McCartney fechou a noite com “Blackbird,” com sua solene letra oferecendo uma reflexão silenciosa pelo gratificante encontro de estudantes, professores e funcionários.

“Esse foi um maravilhoso evento proporcionado pela generosidade de Paul McCartney,” disse o presidente interino da Rollins Craig M. McAllaster. “Ele queria que fosse íntimo principalmente para os estudantes. Por isso eles preencheram a maioria dos assentos. É uma coisa maravilhosa ter alguém de sua posição e importância dar o seu tempo e talento para a faculdade Rollins.”

Foto: Scott Cook

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 28 de outubro de 2014

VinilVinil
Os dez discos mais vendidos nos EUA em 2017

1324 acessosRock: gênero é um trintão decadente, segundo Spotify392 acessosRingo Starr: novo álbum sai em setembro, e traz Paul McCartney1342 acessosBeatles: Paul McCartney fecha acordo sobre direitos autorais313 acessosSgt. Pepper's: entrevista exclusiva com o Sargento Pimenta0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Beatles"

O Livro dos MortosO Livro dos Mortos
Dissecando a morte de sete Rockstars

BeatlesBeatles
"Fui o bode expiatório para a separação", diz Yoko

Bizarro & AbsurdoBizarro & Absurdo
12 Tristes Realidades da Música

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Paul McCartney"0 acessosTodas as matérias sobre "Beatles"

AutismoAutismo
Rockstars famosos autistas, ou com suspeita de autismo

Oops!Oops!
Dez erros eternizados em gravações

Cradle Of FilthCradle Of Filth
"Pessoas chamam de satânico o que não entendem!"

5000 acessosDavid Bowie: muito mais assustador que Michael Jackson5000 acessosDavid Coverdale e a palavra "Love" - Parte I5000 acessosSepultura: Derrick Green não era o cara certo, diz Max Cavalera5000 acessosKiko Loureiro: como ele vê ser chamado de melhor guitarrista por Dave Mustaine5000 acessosFestivais: As bandas novas começam a sobressair sobre as velhas5000 acessosJosefus, The Dead Man From Texas

Sobre Roberta Forster

Sou paulista, apaixonada por rock'n'roll, fotografia e literatura, nascida nos maravilhosos anos 80, funcionária pública, graduada em Artes Visuais pela Universidade Belas Artes de São Paulo. Especializei-me em fotografia pela Escola Focus em 2008 e, atualmente, estudo Letras na Universidade de São Paulo - USP e atuo como fotógrafa de Rock e Heavy Metal para o Whiplash! quando Chronos permite. Prazer!

Mais matérias de Roberta Forster no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online