Panzer: Brasileiros respondem ao The German Panzer

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Carlos Garcia, Fonte: Site Road to Metal
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 31/05/15. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Os Thrashers brasileiros do PANZER tiveram que passar por uma situação desagradável, tudo devido à banda alemã formada por um integrante do Destruction e dois ex-integrantes do Accept utilizarem o nome cujos direitos já pertenciam aos brasileiros.

5000 acessosLegião Urbana: a versão de Renato Rocha sobre a sua saída5000 acessosVeraneio Vascaína: Uma ácida crítica à polícia brasileira

Ok, com conversa e bom senso tudo se resolve, não é mesmo? Porém não foi bem assim, e os brasileiros tiveram que pressionar os alemães e a sua gravadora, inclusive com os integrantes da banda germânica sendo até desrespeitosos com os brasileiros em algumas entrevistas, e também, conforme afirmou o guitarrista e fundador André Pars, o assessor do, agora, The German Panzer, o tratou de forma grosseira.

Em entrevista ao site ROAD TO METAL os brasileiros falaram sobre a questão, além disso, também comentaram sobre seu novo DVD "Louder, Day After Day", e um pouco de história. Confira alguns trechos:

RtM: E as recentes polêmicas envolvendo a questão da utilização do nome Panzer (que após, adicionaram “The German” à frente do nome) pela banda alemã formada por Schirmer (Destruction) e Hermann Frank (ex-Accept)? Inclusive vi algumas declarações deles em algumas revistas e sites especializados. Achei algumas frases até um pouco arrogantes por parte deles. Eles chegaram a forçar a barra ou tentar alguma negociação pra usar o nome? Conversaram com vocês?

André Pars: A grande confusão foi que a banda Alemã, não se deu ao trabalho de procurar na internet se havia alguém usando esse nome. Simplesmente batizaram a banda e foda-se. Por serem alemães, se acharam no direito de usar a palavra Panzer e pronto!

Temos o direito legal do uso do nome no Brasil, o nosso nome é registrado. Portanto, eles não podem chegar no nosso país, usar o nome de uma banda que têm 24 anos de carreira, e simplesmente nos ignorar. Não é assim que a coisa funciona. Sabemos dos nossos direitos e informamos o empresário da banda, que foi muito hostil e mal-educado conosco.

Se eles vierem se apresentar aqui no Brasil, é como "The German" que devem ser anunciados pois senão temos todo o direito de embargar o show. E pode ter certeza que o faremos. Somos brasileiros, estamos na batalha e exigimos respeito. Não somos paga-pau de gringo...Quando a galera das bandas e até mesmo o público, entender que o som que o Brasil produz é tão bom ou até melhor que muita coisa lá de fora, talvez a nossa cena cresça de verdade...

Edson Graseffi: Cara, eu fui acusado de ser nacionalista, fui acusado de ser louco, fui tratado de forma mal educada , tudo isso pelo assessor de imprensa deles. Da gravadora dessa banda, tive apenas um pedido de desculpas e veladamente um foda-se. E é assim que estes caras veem o Brasil.

Tudo o que o André disse, eu torno minhas palavras também e fica claro que o nome Panzer dentro do Brasil é nosso, temos registro e trabalhamos com ele há 24 anos. Não pagamos pau para gringos, muito pelo contrário, nossa missão é valorizar o nosso trabalho de mais de 2 décadas.

Toda essa confusão, simplesmente, está sendo levada adiante por interesses financeiros, de se vender uma prensagem de CD , o que me deixa mais abismado. Então, uma prensagem de CD e seu lucro pífio vale mais que um trabalho de 24 anos como o nosso? É patético...

Para conferir a entrevista completa, acesse o link abaixo:
http://roadtometal.com.br/2015/05/panzer-cada-dia-mais-forte...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 31 de maio de 2015

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Destruction"

Thrash MetalThrash Metal
Álbuns injustiçados nos anos noventa.

19861986
O ano definitivo da música pesada

Metal HeavyMetal Heavy
10 clássicos para entender o Thrash Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Panzer"0 acessosTodas as matérias sobre "German Panzer"0 acessosTodas as matérias sobre "Destruction"

Legião UrbanaLegião Urbana
A versão de Renato Rocha sobre a sua saída

Veraneio VascaínaVeraneio Vascaína
Uma ácida crítica à polícia na letra do Capital Inicial

Músicas ruinsMúsicas ruins
As 100 piores segundo o Aol Radio Blog

5000 acessosNamore um cara que goste de Metal5000 acessosSlash: guitarrista enumera seus 10 riffs favoritos5000 acessosSexo: como se comportam os fãs de cada vertente de Metal?5000 acessosMetallica: e se a banda usasse uma afinação mais baixa?5000 acessosJason Newsted: ele nunca teve chance no Metallica5000 acessosNikki Sixx: "um conselho, tente não cheirar a Colômbia"

Sobre Carlos Garcia

Antes de tudo sou um colecionador, que começou a cair de cabeça no Metal e Classic Rock quando o Kiss esteve no Brasil em 1983, a partir daí não parei mais. Criei fanzines, como o Zine Barulho, além de colaborar com outros zines e depois web zines e sites, como os saudosos Metal Attack e All the Bangers. Atualmente sou um dos editores e redator do Road to Metal. O melhor de tudo são as amizades que fazemos, além do contato e até amizade com alguns de nossos heróis.

Mais matérias de Carlos Garcia no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online