Bob Dylan: Elogio à traição em The Cutting Edge

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Claudinei José de Oliveira
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 22/10/15. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Um dos artistas mais "pirateados" da história, desde o início da década de 1990, Bob Dylan resolveu se "auto-piratear", lançando álbuns com gravações até então não aproveitadas em seus discos oficiais. É a famigerada "Bootleg Series" que, do ano de 1991 para cá, já chega a 11 volumes lançados.

2848 acessosBandas de acompanhamento: algumas tão famosas quanto seus chefes5000 acessosMetallica: corrigindo a injustiça contra Jason Newsted

Bob Dylan em meados dos anos 1960
Bob Dylan em meados dos anos 1960

No início de novembro de 2015 será lançado "The Cutting Edge", o volume 12, abordando aquele que é considerado, por especialistas, o período áureo na trajetória artística de Mr. Zimmerman, ou seja, as gravações realizadas entre 1965 e 1966, quando foram lançados os álbuns "Bringing It All Back Home" (1965), "Highway 61 Revisited" (1965) e "Blonde On Blonde" (1966), todos ostentando, com o passar do tempo, a condição de "clássicos".

Bringing It All Back Home
Bringing It All Back Home

Highway 61 Revisited
Highway 61 Revisited

Blonde On Blonde
Blonde On Blonde

Na época, Bob Dylan abandonou a zona de conforto conquistada com seus quatro primeiros álbuns, baseados num minimalismo "folk" com letras que podiam ser interpretadas como "protesto", consideradas, inclusive por poetas renomados, exemplo de poesia, o que acabou lhe rendendo a condição de "voz de sua geração".

Contaminado pela influência do movimento musical chamado "Invasão Britânica", particularmente pela música dos Beatles, Bob Dylan abraçou a eletricidade do rock'n'roll, criando um som bastante carregado em nuances do "Blues de Chicago" como base para letras remetendo às estéticas simbolista, dadaísta e surrealista de poesia.

Tudo isso, somado ao abandono da imagem de simplicidade proletária da fase "folk" em prol de uma excentricidade "rockstar" fez Dylan ser considerado um "herege" pela puritana comunidade da música "folk" norte-americana, rendendo-lhe a alcunha de "traidor".

O fato é que, mesmo dentro da suposta simplicidade de seus primeiros álbuns, era complicado rotular o trabalho de Bob Dylan com base num maniqueísmo simplório bem contra mal.

Na adolescência, o sonho do jovem Zimmerman era se juntar à banda de Little Richard e, parafraseando o título de seu primeiro álbum com elementos rockeiros, Dylan trazia "tudo isso de volta pra casa", isto é, mostrava que o rock podia, novamente, desafiar o marasmo cultural das paradas de sucesso norte-americanas, revigorando um estilo musical que, independente da presença das bandas inglesas, havia se estagnado em solo pátrio, na virada da década de 1950 para a de 1960.

Como é comum nos volumes das "Bootleg Series", muito provavelmente aquilo que foi "descarte" na produção artística da época deve se fazer, ainda hoje, exemplo de uma arte que passa longe do comodismo.

Bootleg Series Vol. 12: 1965-1966 The Cutting Edge
Bootleg Series Vol. 12: 1965-1966 The Cutting Edge

"The Cutting Edge", assim como os outros volumes da "Bootleg Series" terá a imprescindível "Deluxe Edition" para arrancar babas e dólares dos aficionados por um artista que, até hoje, não se furta em "trair" a grandiosidade de suas conquistas em nome do desafio. Rock até o talo.

...em todo seu esplendor
...em todo seu esplendor

Nota:
O título "Elogio À Traição" foi roubado da peça teatral homônima escrita por Chico Buarque e Ruy Guerra na década de 1970.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

2848 acessosBandas de acompanhamento: algumas tão famosas quanto seus chefes3169 acessosRock In Rio: fã cria line-up só com artistas "inéditos" desde 20110 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Bob Dylan"

Rolling StoneRolling Stone
As 500 melhores músicas segundo a revista

Rolling StoneRolling Stone
As melhores faixas que fazem parte de álbuns ruins

Capas clássicasCapas clássicas
Os locais onde foram feitas nos dias de hoje

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Bob Dylan"


MetallicaMetallica
Corrigindo a injustiça contra Jason Newsted

KrisiunKrisiun
Banda lista os 5 picos mais demoníacos do Brasil

Sexo e RockSexo e Rock
Músicas com conotação sexual

5000 acessosMetallica: a capa do "Death Magnetic" lembra uma vagina?5000 acessosSilverchair: a história por trás da capa de Freak Show5000 acessosIron Maiden: Video mostra "erros" da banda ao vivo5000 acessosJanick Gers: descartável ou essencial ao Iron Maiden?5000 acessosBlack Sabbath: Bill Ward desconta no... Ian Gillan?!1977 acessosThe Gravel Spreaders: Iron e Ozzy no melhor estilo folk

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


Sobre Claudinei José de Oliveira

Claudinei José de Oliveira é graduado em História e aproveita o tempo vago para ouvir, ler e escrever rock´n´roll e conversar com seus cachorros. Criou e mantém o blog rollandorocha.blogspot.

Mais matérias de Claudinei José de Oliveira no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online