DZK: pioneiros do punk nacional; ouça álbuns.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Roberto Rillo Bíscaro, Fonte: DZK
Enviar correções  |  Ver Acessos

Sua formação inicial separou-se em pouco tempo de ensaio. Após várias tentativas com componentes vindos de outras bandas, conseguiu se firmar participando de alguns shows por todo o Brasil. Gravou uma música no disco "O começo do fim do mundo", de 1982, no 1º festival punk da história do país. Nessa época a banda tinha o nome "Decadência Social". Já como DZK, veio a participar de uma coletânea , o "Ronda Alternativa",que era o nome de um programa de Punk Rock da Rádio Clube de Santo André - hoje Rádio Trainon AM - em meados da década de 80, com a música "Juventude".

Guitarristas: os 10 maiores de todos os tempos segundo a TimeFotos de Infância: Janis Joplin

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Essa formação também não durou muito. Após dois anos de parada, restou somente o baterista Makarrão. Tentando a todo custo remontar a banda, colocou anúncios nos jornais, lojas de discos, etc. Surge assim Barata, ex-vocalista da extinta banda Desespero, que vinha tentando se firmar numa banda com os mesmos ideais. Desde então os dois juntos batalharam outros componentes e eis que surge Charuto, que destacou-se pela vontade de tocar, ocupando a o baixo. Pela banda passam vários guitarristas. Em 1992, são gravados 2 compactos duplos, tendo Barão na guitarra. No ano seguinte, as gravações dos dois compactos são relançadas no 1º LP do DZK,"De geração para geração, eternamente punk". O disco também traz seis gravações inéditas, com a participação de Chileninha, guitarrista da banda na época.

Em 1994, Chileninha sai do grupo e a formação é fixada com a vinda do guitarrista Flexa, que já curtia o DZK e frequentava seus ensaios. Em 1997 o LP é relançado em CD com mais 7 músicas. Em dezembro de 2000 é lançado mais um trabalho, o CD "Imperialistas".

Em fevereiro de 2005, Flexa anuncia sua saída. Boka, baterista do grupo Paranóia Nuclear, que de vez em quando assumia algum instrumento quando seus titulares ficavam impedidos de tocar, é convidado e assume o posto de guitarrista a partir de junho de 2004.

No intervalo de 2000 a 2005 são lançadas algumas coletâneas com a participação do DZK, entre elas a coletânea "AvisoFinal", lançada em 2005 com 2 músicas inéditas.

Em setembro de 2006 é lançado o CD "Fui Punk..."

Em Abril de 2007, Boka deixa a banda por motivos particulares, mas mesmo assim o DZK não pára, ocupando seu lugar temporariamente os guitarristas Robson e Cão. Em Novembro de 2007, o DZK volta a ter uma de suas formações mais clássicas com a volta do guitarrista Flexa.

Em Julho de 2008 é lançado o CD "Tributo ao DZK", projeto iniciado pela banda 88Não! juntamente com a Cooperativa Cobain, que ficou na geladeira desde 2005. Dunga (DZK) e Xinêz (Excomungados) retomaram o projeto e o idealizaram. O cd traz 27 Bandas + uma faixa com o DZK.

O objetivo principal da banda é atingir a sociedade em si, retirando totalmente sua máscara, seu alvo predileto é o sistema e sua sociedade capitalista, as guerras e suas vergonhas e a miséria que assola muitas pessoas nessa humanidade doentia. As músicas são próprias e as letras na sua maioria são simples, diretas e objetivas.

"DZK" significa "Dizikilibriu Social"
(10% dominando e 90% dominado).




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "DZK"


Guitarristas: os 10 maiores de todos os tempos segundo a TimeGuitarristas
Os 10 maiores de todos os tempos segundo a Time

Fotos de Infância: Janis JoplinFotos de Infância
Janis Joplin


Sobre Roberto Rillo Bíscaro

Roberto Rillo Bíscaro é professor universitário e edita o Blog do Albino Incoerente desde 2009.

Mais matérias de Roberto Rillo Bíscaro no Whiplash.Net.

adGoo336