Beatles: a história do integrante temporário vai virar filme

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Mário Pescada, Fonte: Hypeness
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 10/03/17. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Todo mundo sabe de cor e sem titubear a formação dos BEATLES: John, Paul, George e Ringo. Essa formação genuinamente clássica atingiu níveis elevados na cultura pop mundial, sendo reconhecida e idolatrada nos quatro cantos do mundo até hoje. Mas pouquíssimos se lembram, ou mesmo se quer sabem, quem foi Jimmy Nicol.

738 acessosFoo Fighters: como foi gravar com Paul McCartney no último disco?5000 acessosRock In Rio: Freddie Mercury desdenhou dos artistas brasileiros em 1985

Jimmy Nicol (James George Nicol) foi um dos BEATLES - por 13 dias. A oportunidade de assumir as baquetas no lugar de Ringo Starr veio quando a banda estava prestes a sair por uma turnê pelo oriente em 1964. Ringo foi hospitalizado por conta de uma forte amigdalite e para evitar a suspensão dos shows, começaram a procurar seu substituto.

O nome de Jimmy foi sugerido pelo produtor musical George Martin (também conhecido como o “quinto Beatle” devido ao seu trabalho em praticamente todas as músicas do grupo) e pelo empresário da banda Brian Epstein. Houve inicialmente resistência por parte dos outros integrantes, sobretudo de George Harrison. Porém, o lado financeiro de cancelar shows já divulgados e os problemas com fãs no auge da Beatlemania acabaram falando mais alto: Jimmy, então com 24 anos, acabou se juntando ao resto do grupo após ter recebido um corte de cabelo estilo Beatle, ternos adequados ao visual da banda e cerca de 10 mil libras para realizar oito shows, partiu para uma turnê de 13 dias.

Na Austrália, no dia 15 de junho, Ringo reencontrou a banda e Jimmie, da mesma forma como entrou, saiu: subitamente. Ele deixou a banda sem se despedir de ninguém, voltando ao anonimato. Segundo ele, "Os rapazes foram muito gentis, mas eu me sentia como um intruso. Eles me aceitaram, mas não podemos entrar assim num grupo como aquele - eles têm sua própria atmosfera, seu próprio senso de humor. Algo que não é fácil para alguém de fora se adaptar".

Antes da sua saída, ele ainda recebeu um relógio de ouro Eterna Matic com a gravação "From the BEATLES and Brian Epstein to Jimmy - with appreciation and gratitude" (Dos BEATLES e Brian Epstein para Jimmy – com reconhecimento e gratidão).

Mas Jimmy não foi apenas um “quebra-galho”. A música “Getting Better” que viria a ser lançada anos depois no disco “Sgt. Pepper´s Lonely Hearts Club Band” foi inspirada nele que tinha o hábito de responder “It´s getting better” (Vai melhorar) toda vez que alguém da banda perguntava como estava indo.

Toda essa história já havia sido contada com mais detalhes no livro “The Beatle Who Vanished” (algo como O Beatle que despareceu). O livro teve os seus direitos para o cinema comprados por Alex Orbison - filho do cantor ROY ORBISON - e vai virar um filme, espalhando assim a história do “Beatle temporário”.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

George HarrisonGeorge Harrison
Ronnie Von cometeu gafe e deixou de gravar com ele

738 acessosFoo Fighters: como foi gravar com Paul McCartney no último disco?238 acessosBeatles: singles natalinos serão relançados em dezembro858 acessosPipocando Música: 8 teorias de artistas que foram trocados952 acessosPaul McCartney: a máquina do tempo e as canções que não voltam mais0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Beatles"

MilionáriosMilionários
Os músicos mais ricos do Reino Unido

ChargesCharges
O que diriam as capas clássicas se pudessem falar

BeatlesBeatles
O ano em que o grupo revolucionário desapaixonou-se

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Beatles"


Rock In RioRock In Rio
Mercury desdenhou dos artistas brasileiros em 1985

MegadethMegadeth
As 10 maiores tretas da história de Dave Mustaine

Olavo de CarvalhoOlavo de Carvalho
Segundo ele, o Heavy Metal emburrece

5000 acessosShows e Festivais: 13 tipos de metalhead que você sempre encontra5000 acessosGuns N' Roses: o "Chinese Democracy" que você nunca viu5000 acessosInstagram: as fotos mais legais do perfil de James Hetfield5000 acessosIron Maiden: as dez melhores covers feitas pela banda5000 acessosGhost: De quais bandas brasileiras eles gostam?5000 acessosDona de Casa: Corey Taylor tem um talento especial que vai te impressionar

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 14 de março de 2017


Sobre Mário Pescada

Mineiro, leitor compulsivo, ouvinte de todas as vertentes do rock - do blues ao grindcore. Valoriza mais a honestidade e entrega em cima do palco do que a técnica. Guarda os flyers dos shows que vai como se fossem relíquias.

Mais matérias de Mário Pescada no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online