Broken Jazz Society: ouça o novo álbum do trio

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Eliton Tomasi, Fonte: Som do Darma, Press-Release
Enviar correções  |  Ver Acessos

Press-release - Clique para divulgar gratuitamente sua banda ou projeto.

O Broken Jazz Society foi formado em 2013 em Uberaba, no Triângulo Mineiro, e atualmente conta com Mateus Graffunder (guitarra/vocal), João Fernandes (baixo) e Felipe Araújo (bateria).

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1989Rockstars: 18 roqueiros que já apareceram em filmes

O primeiro álbum, "Tales From Purple Land", foi lançado em 2014. "Gas Station", EP de três faixas, foi o trabalho sucessor e recebeu calorosos elogios da imprensa especializada no Brasil: "Bom pra caramba." (Metalvox); "Você irá se surpreender" (Heavy 'N' Hell); "Um grande trabalho." (Whiplash); "Qualidade acima da média." (Rumors Mag); "Muita energia, requinte e assinatura própria" (Mondo Pop); "Muito Bom!" (A Música Continua a Mesma).

Super satisfeitos com a recepção a "Gas Station", no início do ano o Broken Jazz Society viajou para Goiânia onde deu início às gravações de seu novo disco no Estúdio Rock Lab junto ao produtor Gustavo Vazquez (Hellbenders, Black Drawing Chalks, Uganga, Canábicos). Banda e produtor já haviam trabalho juntos em "Gas Station".

Sete meses depois, o trio entrega "Rubber Talk", seu novo trabalho, o segundo disco de estúdio.

Com uma sonoridade mais pesada e adulta, "Rubber Talk" mantém a escalada stoner sob contexto mais subjetivo, como se o grupo tivesse descoberto e gostado da sua própria identidade (seja ela qual for).
A faixa de abertura, "Mongrel Cat", que já havia sido lançada como single, sublinha o viés identitário do álbum: "Accept Yourself" (Aceite a si mesmo), diz o refrão.

"Rubber Talk" reúne nove faixas no total. Além de "Mongrel Cat", também estão no álbum "Night's Breeze", "Sax Girl", "Pretty High On The 70's Sky", "A Brilliant Fine", "Melted", "I Feel Like A Viking", "Grisly Gaze" e a intro "Granny Smith's Apple".
Apesar da discrição nas intenções, é fato que o Broken Jazz Society apresenta uma evolução tão grande que não sobra espaço para falsa modéstia. "Rubber Talk" traz elasticidade ao rock do power trio que agora soma desde sons acústicos de violão e percussão à timbres eletrônicos dos sintetizadores.

"Rubber Talk é um trabalho mais visceral por ser mais comprometido conceitualmente, mais ambicioso em termos de produção, então mais consciente do que a banda almeja", declara o baterista Felipe Araújo. "Em termos musicais, o álbum demonstra um amadurecimento muito maior como banda em relação aos outros, em todos os aspectos. A abordagem stoner está mais presente, os timbres estão mais coesos, e todo mundo evoluiu tecnicamente durante esse processo".

O baixista João Fernandes destaca a unidade musical do trio como fator determinante pela evolução técnica e criativa em "Rubber Talk".

"Quando o Felipe entrou o Gas Station já estava gravado. Dessa vez tivemos tempo para buscar o entrosamento dessa formação que uniu a experiência trazida de fora pelo Felipe, que já era uma baterista mais estudado, com a que eu e o Mateus havíamos conquistado até aquele ponto".

"Rubber Talk" já foi lançado digitalmente e está disponível nas principais plataformas digitais e pode ser ouvido, na integra, abaixo.

Uma versão física de "Rubber Talk" também será disponibilizada em breve.

Mais Informações:
www.facebook.com/brokenjazzsociety




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Broken Jazz Society"


Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1989Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1989

Rockstars: 18 roqueiros que já apareceram em filmesRockstars
18 roqueiros que já apareceram em filmes

Separados no nascimento: Ritchie Blackmore e Mr. BeanSeparados no nascimento
Ritchie Blackmore e Mr. Bean

Slayer: Kerry King fala sobre sua relação com religiõesSlayer
Kerry King fala sobre sua relação com religiões

Slayer: as preferências do guitarrista Kerry KingSlayer
As preferências do guitarrista Kerry King

Queen: os músicos filhos dos integrantesQueen
Os músicos filhos dos integrantes

Nine Inch Nails: após Oscar, Trent Reznor cogitou acabar com a bandaNine Inch Nails
Após Oscar, Trent Reznor cogitou acabar com a banda


Sobre Eliton Tomasi

Empresário artístico, gestor e produtor cultural, crítico musical. Foi fundador e editor-chefe da revista Valhalla (Rock Hard Brasil) - uma das mais importantes revistas especializadas em rock já existentes no Brasil - através da qual tornou-se um experiente e respeitado jornalista de rock. Há 20 anos atua como produtor de shows e eventos tendo já realizado desde pequenas gigs até produções internacionais de grande porte. Especializou-se na função de empresário e gestor de bandas e artistas nacionais e internacionais, participando da elaboração de diversos projetos culturais na área da música (rock) e realizando turnês freqüentes por todo Brasil e em mais de 15 países da Europa.

Mais matérias de Eliton Tomasi no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336