Marilyn Manson: assédio deve ser relatado à polícia, não à imprensa

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruce William, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar Correções  

Em entrevista ao Channel 4 News britânico, Marilyn Manson comentou as denúncias que vêm chacoalhando Hollywood e fazem parte de um movimento que foi batizado #MeToo ("Eu também"), onde atrizes relatam histórias expondo nomes como o do produtor Harvey Weinstein, acusado de praticar assédio sexual de forma intermitente durante muitos e muitos anos.

Marilyn Manson: música nova é lançada e detalhes do próximo álbum são revelados

Queen: "Estaríamos fazendo música se Freddie estivesse vivo, mas não sei de John"

Dentre as atrizes que denunciou Harvey está Rose McGowan, que chegou a ser noiva de Manson, que logo de início disse que não ficou surpreso mas não sabia de nada enquanto estava com ela, e em seguida disse que é preciso fazer uma clara distinção entre acusações "sérias" e "não sérias": "Quando alguém começa a reclamar de algo que não parece tão sério quanto um assédio sexual, soa pra mim como um insulto para com as pessoas que foram de fato assediadas. E me irrita quando alguém diz 'Me deram um presente inapropriado'. Isto não é a mesma coisa que ser machucada".

Em seguida, Manson diz que acha que as pessoas que sofrem assédio "devem ir até a polícia e não à imprensa, é o que eu faria". E no fim ele conclui: "Acho que o mundo precisa por as coisas na balança e achar um jeito correto de lidar com esta situação. Não discordo do jeito que minha ex-noiva lida com isto, mas discordo com o efeito bola de neve que está acontecendo, isto pode arruinar a vida de muitas pessoas que não merecem ter a vida arruinada".

Veja no vídeo abaixo a entrevista na íntegra (em inglês, sem legenda).


adWhipDin adWhipDin adWhipDin