Jack White: gênio ou embuste?

Resenha - Help Us Stranger - Raconteurs

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fábio Cavalcanti
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

Se você não esteve totalmente alheio ao rock nos últimos 20 anos, deve ter ouvido falar em um músico inquieto chamado Jack White. O cantor/guitarrista atingiu o sucesso através do duo The White Stripes, e então se aventurou em mais três projetos distintos - incluindo sua carreira solo. Um desses projetos é o The Raconteurs, banda norte-americana formada também por Brendan Benson (voz e guitarra), Jack Lawrence (baixo) e Patrick Keeler (bateria). Após um longo hiato do grupo em questão, temos agora o seu terceiro álbum: "Help Us Stranger" (2019).

Fotos de Infância: Yngwie MalmsteenSupergrupos: Os melhores e piores na opinião da Metal Hammer

Apesar de possuir uma carreira solo "aventureira" em termos de estilos, White aproveitou o The Raconteurs para voltar a tocar um rock "old school" mais coletivo. Assim como nos dois álbuns anteriores, o novo trabalho conta com influências que vão do blues rock ao folk, e ainda fornece letras simples e objetivas sobre a vida, que unem sensibilidade e irreverência. A faixa que melhor representa o espírito do álbum é justamente a ensolarada "Help Me Stranger", a qual mistura bem o acústico, o elétrico, a serenidade e uma pegada suingada, tudo ao mesmo tempo...

Vale lembrar que, mesmo com a sua abordagem despretensiosa, há um nível bacana de refinamento por parte das vozes - incluindo o Benson - e instrumentais, além de pequenas mudanças rítmicas, e ganchos melódicos em várias faixas. No extremo mais roqueiro, a sensacional "Bored and Razed" é o tipo de "porrada" que pode eletrizar todo o corpo de qualquer pessoa que não esteja morta por dentro. No extremo introspectivo, contemplemos a linda - e quase flutuante - "Only Child", além da simpática "Now That You're Gone".

A esquisita "Don't Bother Me" é um momento quase 'jam band', que cativa por parecer uma combustão sônica espontânea. Já "Sunday Driver" puxa uma 'vibe' meio Rolling Stones, que nunca deixa de soar atraente. E "Hey Gyp (Dig the Slowness)" é um alucinado cover do Donovan que evoca o extremo mais dançante e percussivo do blues rock. Por outro lado, há algumas faixas menos inspiradas, como a simplória e 'beatlenesca' balada "Shine the Light On Me"... Sem contar "Thoughts and Prayers", que possui um sabor "country alternativo" meio insosso...

Pode-se concluir que "Help Us Stranger" traz de volta, com sucesso, os cenários rústicos, os altos e baixos, e o "feeling retrô" desmedido que sempre adoramos na maioria dos trabalhos de Jack White - e arrisco dizer que o The Raconteurs pode vir a se tornar o seu projeto mais respeitado. Temos aqui uma banda em que todos os quatro membros se destacam de alguma forma, e que pode fornecer uma experiência deliciosa em sua sutil amplitude. Feche os olhos e escute alto!

Músicas:
1. Bored and Razed
2. Help Me Stranger
3. Only Child
4. Don't Bother Me
5. Shine the Light On Me
6. Somedays (I Don't Feel Like Trying)
7. Hey Gyp (Dig the Slowness) [cover de Donovan]
8. Sunday Driver
9. Now That You're Gone
10. Live a Lie
11. What's Yours Is Mine
12. Thoughts and Prayers




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Raconteurs"Todas as matérias sobre "Jack White"


Jack White: Sem laços de amizade com a eremita Meg WhiteJack White
Sem laços de amizade com a "eremita" Meg White

Jack White: por que a próxima revolução do rock como o grunge é iminente?Jack White
Por que a próxima revolução do rock como o grunge é iminente?

Melhores de 2012: as escolhas do redator Leonardo Daniel TavaresMelhores de 2012
As escolhas do redator Leonardo Daniel Tavares


Fotos de Infância: Yngwie MalmsteenFotos de Infância
Yngwie Malmsteen

Supergrupos: Os melhores e piores na opinião da Metal HammerSupergrupos
Os melhores e piores na opinião da Metal Hammer

Lynyrd Skynyrd: a história da espetacular Simple ManLynyrd Skynyrd
A história da espetacular "Simple Man"

Dream Theater: os segredos do álbum OctavariumDream Theater
Os segredos do álbum Octavarium

Legião Urbana: O dia em que Renato calou a plateia do Programa LivreLegião Urbana
O dia em que Renato calou a plateia do Programa Livre

Black Sabbath: Os melhores e os piores discos da bandaBlack Sabbath
Os melhores e os piores discos da banda

Tracii Guns: Axl é um cara simples num mundo complicadoTracii Guns
"Axl é um cara simples num mundo complicado"


Sobre Fábio Cavalcanti

Baiano, sempre morou em Salvador. Trabalha na área de Informática e ¨brinca¨ na bateria em momentos vagos, sem maiores pretensões. Além disso, procura conhecer novas - e antigas - bandas dos mais variados subgêneros do rock. Por fim, luta para divulgar, sempre que possível, o pouco conhecido cenário rocker da tão sofrida ¨Terra do Axé¨.

Mais matérias de Fábio Cavalcanti no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336