Rock Progressivo: 10 álbuns mais underrated da década de 70

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Coelho Rabaiolli, Fonte: Progarchives
Enviar correções  |  Comentários  | 

10. Nautilus - 20000 Miles Under The Sea (1978)

5000 acessosFotos de Infância: Red Hot Chili Peppers5000 acessosBlack Sabbath: Banda deu pesadelos a Robert Trujillo

NAUTILUS foi uma banda suíça, que combinava os talentos de Urs Lerch no baixo, Dieter Ruf e Christian Bauer nas guitarras, Peter Fibich na bateria, e Ralph Stucki nos teclados. Foram lançados apenas dois álbuns antes de se separarem.

O som da banda era bastante nostálgico, dado a época em que os álbuns foram lançados. Nesse tempo, o Rock Progressivo já havia perdido popularidade, e mesmo assim eles decidiram gravar uma grande mistura de Rock Psicodélico com um Rock Sinfônico mais obscuro, lembrando muito alguns álbuns do fim dos anos 60. Tente imaginar como o primeiro álbum do PINK FLOYD soaria com Ritchie Blackmore e Jon Lord no lugar de Syd Barrett e Rick Wright.

9. King Crimson - In The Wake Of Poseidon (1970)

Um ano após o lançamento da obra prima "In The Court Of The Crimson King", o KING CRIMSON grava este ótimo álbum. Infelizmente, ele acabou sendo muito criticado por parecer demais com o álbum anterior, tanto em estilo como em conteúdo.

É compreensível que após o brilhante álbum de estreia, eles não queriam se distanciar muito da 'formula do sucesso', mas mesmo assim, o álbum vale muito a pena.

8. Mutantes - Tudo Foi Feito Pelo Sol (1974)

Sim, existem grandes álbuns brasileiros de Rock Progressivo!

"Tudo Foi Feito Pelo Solo" conta com apenas o guitarrista Sérgio Dias da formação original. Neste álbum a banda da um grande salto em direção ao Rock Progressivo, deixando o Psicodélico para trás.

Uma das curiosidades deste disco foi que ele foi gravado somente em um take. Os músicos estavam gravando a primeira música, "Pitágoras", quando Túlio Mourão sinalizou para os integrantes seguirem as gravações. Assim foram executadas todas as músicas do disco sem interrupções de qualquer espécie ou pausa.

7. Starcastle - Starcastle (1976)

STARCASTLE foi uma ótima banda americana, infelizmente eles eram bastante conhecidos por 'clonarem' o YES, o que foi bastante triste, visto que a banda como um todo era extremamente talentosa e poderiam facilmente criar ótimos álbuns com ideias e estilo próprio.

6. Caravan - Waterloo Lily (1972)

Este álbum foi bastante prejudicado pelo mesmo motivo do numero 9 da lista. A maior obra da banda, "In The Land Of Grey And Pink", foi lançada um ano antes, e por isso as expectativas eram enormes.

"Waterloo Lily" esta longe de ser um álbum ruim, muito pelo contrario, infelizmente não conseguiu alcançar o patamar do lançamento anterior.

5. Greenslade - Greenslade (1972)

Parceiros musicais de longo tempo, com uma origem comum no jazz, Dave Greenslade e Tony Reeves foram membros originais do COLOSSEUM. Dave Lawson foi anteriormente membro das bandas WEB e SAMURAI, enquanto que Andrew McCulloch foi brevemente um membro do KING CRIMSON, tocando bateria no terceiro álbum da banda.

A banda não possuía guitarrista, o que era compensado pelo fato de terem dois tecladistas, o que dava uma sonoridade unica a banda.

Infelizmente, por algum motivo, não obtiveram o sucesso esperado, mas mesmo assim continuaram tentando, lançando mais três ótimos álbuns antes de se separarem.

4. Gnidrolog - Lady Lake (1972)

A banda foi fundada em 1969 pelos irmãos gêmeos Colin e Stewart Goldring (o primeiro já reconhecido por sua participação no clássico "The Yes Album"), tendo se juntado a eles posteriormente o baterista Nigel Pegrum que veio do SPICE (a banda que mais tarde iria tornar-se o URIAH HEEP), o baixista Peter Cowling, o vocalista John Earle e a pianista Charlotte Fendrich. Eles criaram o estranho nome da banda ao inverter e levemente reorganizar o sobrenome dos irmãos. Em 1972 eles lançaram seus dois primeiros álbuns, "In Spite of Harry's Toe-Nail" e "Lady Lake", antes de encerrar a banda devido a falta de sucesso comercial. Apesar de ter realizado turnês com bandas conhecidas como KING CRIMSON, GENTLE GIANT, WISHBONE ASH, SOFT MACHINE, COLOSSEUM e MAGMA, eles sempre permaneceram relativamente obscuros.

O segundo álbum "Lady Lake", era bastante diferente do primeiro, mostrando lindas porém complexas melodias.

3. Gryphon - Red Queen To Gryphon Three (1974)

O multi-instrumentista Richard Harvey e Brian Gulland, seu colega de graduação na Royal Academy of Music e músico de instrumentos de sopro de madeira, fundaram o grupo como um conjunto acústico, que misturava o folclore inglês tradicional com música medieval de influências renascentistas e árcades. Logo depois juntaram-se à dupla o guitarrista Graeme Taylor e o baterista e percussionista David Oberlé. Após sua primeira aparição em público, expandiram seu som para ao incluir guitarras elétricas e teclados junto com os instrumentos de sopro, como o fagote e o crumhorn, nunca usados antes no rock. A música do GRYPHON às vezes soa bastante parecida com a canção de folclore rural inglesa ou canções renascentistas.

Mesmo sendo um grupo extremamente talentoso e criativo, nunca alcançaram grande sucesso comercial.

2. Van Der Graaf Generator - Pawn Hearts (1971)

Para muitos, este é o melhor álbum do VAN DER GRAAF GENERATOR. Ótimas letras explorando temas como alienação e desespero, ainda assim contendo um senso de humor inglês e absurdo, de um jeito que apenas o frontman Peter Hammill conseguiria.

O clima macabro se estende por todo álbum, principalmente na suíte que ocupa o segundo lado inteiro, "A Plague Of Lighthouse Keepers". É a historia de um indivíduo que vive confinado num farol marítimo, como quem estivesse fadado a conviver com uma maldição. Em certa altura, há uma simulação de um choque entre navios. Foi a coisa mais impressionante que já vi em matéria de som gravado. Se o ouvinte fechar os olhos, e der um pouco de asas à imaginação, será capaz de acreditar que está, realmente, diante de uma catástrofe. Foi uma das obras máximas da música do século XX; algo comparável ao Beethoven, que simulou uma tempestade em sua sinfonia Pastoral.

Depois disso, a banda se retirou do cenário artístico por alguns anos. Por incrível que pareça, o motivo era a falta de receptividade por parte do público. Fora alguns países da Europa (Itália, França e Bélgica, principalmente), o resto do mundo ignorava a existência deles (inclusive a mãe Inglaterra).

1. National Health - Of Queues And Cures (1978)

O segundo álbum do NATIONAL HEALTH é sem sombra de duvidas uma das maiores obras da Cena Canterbury. Infelizmente foi lançado tarde de mais, o Rock Progressivo já havia sido quase que totalmente engolido pela maré de Punk que assolou não só a Inglaterra, mas como boa parte do globo, no fim dos anos 70.

O álbum se inicia ao som de pássaros e de um leve sintetizador, até que muda ferozmente, mostrando todo virtuosismo dos músicos, principalmente do baterista Pip Pyle, mas sem se levarem muito a sério, parece que os músicos estavam brincando.

A segunda faixa é mais bem humorada ainda, com tons caribenhos de Calypso em partes da faixa, principalmente pelo uso de tambores de aço. Novamente mostra a incrível criatividade de Pip Pyle, mas dessa vez, sem deixar o resto do grupo para trás, todos executam perfeitamente essa obra. O álbum continua com bom humor e ótima musica, sem ter uma parte ruim sequer.

O que na época estava faltando nos grandes nomes do Rock Progressivo, como YES, no péssimo álbum "Tormato", ou no ELP depois do desastroso "Love Beach", este álbum tinha de sobra: Energia, criatividade, bom humor, e vontade.

Com certeza um dos maiores álbuns da historia do Rock Progressivo, é uma pena não ter sido reconhecido.

Os responsáveis são citados no texto. Não culpe os editores. :-)

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 17 de fevereiro de 2015

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "King Crimson"

Rock ProgressivoRock Progressivo
Os 15 maiores guitarristas do gênero

Mike PortnoyMike Portnoy
Os dez melhores discos de rock progressivo

Rock ProgressivoRock Progressivo
10 álbuns mais underrated da década de 70

0 acessosTodas as matérias da seção Maiores e Melhores0 acessosTodas as matérias sobre "Nautilus"0 acessosTodas as matérias sobre "King Crimson"0 acessosTodas as matérias sobre "Mutantes"0 acessosTodas as matérias sobre "Star Castle"0 acessosTodas as matérias sobre "Caravan"0 acessosTodas as matérias sobre "Greenslade"0 acessosTodas as matérias sobre "Gnidrolog"0 acessosTodas as matérias sobre "Gryphon"0 acessosTodas as matérias sobre "Vander Graaf Generator"0 acessosTodas as matérias sobre "National Health"

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Os membros do Red Hot Chili Peppers antes da fama

Black SabbathBlack Sabbath
Banda deu pesadelos a Robert Trujillo

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
Expulso de reunião de pais por peidar e dormir

5000 acessosMegadeth: Dave Mustaine elege seu top 5 da Austrália e UK5000 acessosPlanet Rock: 40 melhores discos ao vivo de todos os tempos5000 acessosMegadeth: Electra mostra para Kiko como está fera no Português5000 acessosLinkin Park: os boatos idiotas sobre a morte de Chester Bennington5000 acessosDream Theater: Myung não tinha planos de ser baixista5000 acessosVisual rocker: é dos carecas que elas gostam mais?

Sobre Coelho Rabaiolli

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online