Hell Divine: revista elege 10 discos para sair da mesmice

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Pedro Humangous, Fonte: Hell Divine Magazine
Enviar correções  |  Comentários  | 

Tudo bem, eu sei que bandas como Metallica, Megadeth, Iron Maiden, AC/DC, Motorhead, entre tantas outras clássicas, são ótimas. Isso todo mundo já sabe. Também as ouço de vez em quando, sempre empolgam quando colocamos pra rodar em um churrasco ou no intervalo entre uma banda e outra nos shows. Mas, será que não tá na hora de deixa-las de lado um pouquinho e ouvir coisas novas? Que tal dar uma chance para que outras bandas incríveis também ganhem espaço na sua coleção e nos seus ouvidos? Fizemos então uma pequena lista de discos para que possam conhecer e sair da mesmice! Não são as melhores bandas, nem as mais inovadoras, são apenas dicas de gosto pessoal do redator. Esperamos que gostem e possam compartilhar com os amigos!

5000 acessos50 a menos: Cientistas descobrem que o Número da Besta é 6165000 acessosNo alto do castelo há uma linda princesa...

Não gostou da minha lista? Não tem problema, crie a sua própria lista e poste aqui também! Tenho certeza de que muita gente irá gostar e assim estaremos todos conhecendo mais bandas!

Antes que perguntem: “Mas só tem gringa, onde estão as nacionais?” Calma, fique de olho em nossa página que em breve faremos as dicas das brasileiras ok? www.facebook.com/helldivine

1) Death Of An Era - Black

Sim, é moderno. Sim, é core. Mas, e daí? Acho que já deu pra amadurecer e admitir que existem bandas nesse estilo que podem ser muito boas, e esse é o caso. Um toque de Djent com Deathcore e muitos breakdowns, isso sem falar nas incríveis letras que falam da nossa realidade. Pra você se situar, a banda segue a linha do Chelsea Grin, Whitechapel e afins.

2) Gormathon - Following The Beast

A banda Gormathon surgiu na Suécia no ano de 2009 e de lá pra cá lançou apenas dois álbuns. O mais recente, “Following The Beast”, foi lançado no ano passado através da Napalm Records. O grupo pratica um Death Metal com bastante melodia, composições extremamente viciantes! Indicados para fãs de Amon Amarth e Tyr.

3) King 810 – Memoirs Of A Murder

Aclamado pela crítica mundial, essa é uma das grandes revelações de 2014. Um som moderno, agressivo e diversificado. O grande destaque fica para o estilo vocal utilizado, muitas vezes falado e sussurrado, com uma performance incrível. A banda está em turnê pela Europa com o Slipknot.

4) Bane Of Winterstorm – The Last Sons Of Perylin

Se você achava que o Power Metal pomposo e melódico, que fala de reis, espadas e dragões, era exclusividade dos italianos, se enganou. A Austrália apresenta sua versão do Rhapsody Of Fire, conheçam o excelente Bane Of Winterstorm! O grupo apresenta um Dark Symphonic Power Metal (como eles mesmo se intitulam) e misturam bem aquela fase clássica do Rhapsody com essa mais moderna (após a adição do “Of Fire” no nome). As músicas são todas bem longas, com uma orquestração de tirar o fôlego!

5) Barrier – Eventide

Os amantes do Hardcore não foram esquecidos! Pense em uma versão mais pesada do cruzamento entre o Hatebreed e o Killswitch Engage e terá uma leve noção do que esperar desses americanos do Barrier. O mais legal aqui é a ambientação criada com diversas camadas de distorção de guitarra e sintetizadores, misturada aos vocais insanos e um timbre brutal dos instrumentos. Para fãs de Norma Jean e Everytime I Die.

6) Engel – Blood Of Saints

Melodic Death Metal com Industrial e pitadas de eletrônico? Isso mesmo! O projeto capitaneado pelo vocalista Niclas Engelin é ousado e interessante! Há uma variedade incrível de linhas vocais (masculinas e femininas), além da criatividade sem limites. Seria algo como In Flames + Dubstep, com muito peso e melodias transbordando. Um álbum de extrema facilidade de assimilação, repleto de refrãos grudentos!

7) Damned Spirits Dance – Weird Constellations

Está de pé? Então, sente. É necessário calma e mente aberta para curtir essa loucura em forma de música. Custei a assimilar a proposta desses húngaros. Mas, após algumas audições, o álbum foi tomando forma e soando cada vez mais atrativo. O lance aqui é teatral, viajante e impossível de rotular. É preciso ouvir para crer.

8) Rise Of Avernus – L’Appel Du Vide

Quem aí gosta de um som arrastado, obscuro e pesado? A Austrália vem surpreendendo com a qualidade de suas bandas de Metal. O Rise Of Avernus resolveu tocar um Progressive Gothic/ Doom Metal, e essa “mistureba” ficou sensacional! Uma sonoridade ímpar, com uma construção instrumental belíssima, contrastando com os vocais cavernosos e guturais – sem falar nos vocais femininos. Epica meets Novembers Doom!

9) Aspherium – The Fall Of Therenia

Um dos discos que quase arrancou minha cabeça do pescoço! Um dos melhores trabalhos do ano passado e que pouquíssimas pessoas ouviram falar. Graças à internet e as milhares de horas “gastas” procurando coisa nova pra ouvir, me deparei com “The Fall Of Thereria” completo para audição. As músicas são atmosféricas e ultra técnicas, feitas para bater cabeça enquanto arregala os olhos, assustados com tamanha perfeição. Estruturas complexas e ritmos quebrados do Prog Metal, vocais extremos e uma atmosfera sci-fi de cair o queixo. Com pouco mais de uma hora de duração, eis uma obra de arte que deve ser, obrigatoriamente, conferida!

10) Empires Of Eden – Chanelling The Infinite

Gosta de projetos com vocalistas famosos? Então você precisa conhecer o Empires Of Eden, do guitarrista Stu Marshal (Dungeon). O cara chamou simplesmente Udo Dirkschneider (U.D.O., ex-Accept), Rob Rock (Impelliteri, Avantasia), Steve Grimmet (Grim Reaper, Onslaught), Sean Peck (Cage), Ronny Munroe (Metal Church), Mike Dimeo (ex-Riot, ex-Masterplan), Carlos Zema (Immortal Guardia, ex-Vougan, ex-Outworld), entre outros. Temos aqui um Power Metal de primeira, obviamente voltado para as guitarras e seus talentosos vocalistas. Não chega a ser um álbum fantástico, mas é bem legal para curtir as vozes de cada um emprestadas em músicas energéticas e grudentas!

Os responsáveis são citados no texto. Não culpe os editores. :-)

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 31 de janeiro de 2015


Hell DivineHell Divine
Revista elege 10 discos para sair da mesmice

0 acessosTodas as matérias da seção Maiores e Melhores0 acessosTodas as matérias sobre "Death Of An Era"0 acessosTodas as matérias sobre "Gormathon"0 acessosTodas as matérias sobre "King 810"0 acessosTodas as matérias sobre "Bane Of Winterstorm"0 acessosTodas as matérias sobre "Barrier"0 acessosTodas as matérias sobre "Engel"0 acessosTodas as matérias sobre "Aspherium"0 acessosTodas as matérias sobre "Damned Spirits Dance"0 acessosTodas as matérias sobre "Rise Of Avernus"0 acessosTodas as matérias sobre "Empires of Eden"


50 a menos50 a menos
Cientistas descobrem que o Número da Besta é 616

No alto do casteloNo alto do castelo
As diferenças entre os diferentes estilos de rock e metal

Iron MaidenIron Maiden
Perguntas e respostas e curiosidades

5000 acessosMalmsteen: Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarrista5000 acessosGuitarristas: os maiores do Hard & Heavy segundo a revista Burnn5000 acessosGuns N' Roses: a história da saída de cada integrante5000 acessosGuitarristas: os sete mais influentes de todos os tempos2671 acessosUltimate Classic Rock: As mais belas filhas dos rockstars5000 acessosMetallica: Kirk Hammet fala sobre horror e guitarras

Sobre Pedro Humangous

Pedro Humangous, 28 anos, publicitário headbanger. Dono e editor chefe da revista Hell Divine. Santista apaixonado por música e uma boa cerveja. Atualmente reside em Brasília e não poupa esforços para fazer o metal se fortalecer no país. Já colaborou com as revistas portuguesas Versus e Horns Up, além da coluna “Rolo Compressor” na rádio Nucleo Base. Colecionador de CD´s, DVD´s, Livros e Action Figures, concentra suas forças no metal extremo, sem deixar de lado os demais estilos. Fanático por Opeth, Iron Maiden, Trivium, Kreator, Dream Theater, Baroness, Suicide Silence, entre tantas outras. Siga: @PedroHumangous

Mais matérias de Pedro Humangous no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online