Noisecreep: as 10 músicas mais subestimadas do Iron Maiden

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Samuel Coutinho, Fonte: Metal da Ilha
Enviar correções  |  Ver Acessos

O repertório do IRON MAIDEN é no mínimo, imenso. Sua sequência de sete álbuns clássicos dos anos 80 é incomparável, acumulando uma rica variedade entre as favoritas dentre os fãs, com clássicos memoráveis e outras canções que acabaram obscurecidas pelas sombras esmagadoras proferidas pelos hits. Claro, nós ainda amamos "The Trooper", "Hallowed Be Thy Name" e "Aces High", mas não tem muito o que discutir.

Iron Maiden: setlist, vídeos e fotos do show no Rock in RioA7X: Curiosidades sobre a banda que talvez você não saiba

Com 15 álbuns de estúdio, os fãs do Iron Maiden tem muito motivo para serem felizes. Todos nós temos os nossos preferidos onde podemos ouvi-los até não querermos mais. No entanto, o objetivo aqui é dar uma nova vida a algumas músicas que provavelmente não são mais lembradas, depois que os anos passaram. Felizmente, isso não acontece para um fã incondicional do Iron Maiden, mas o site Noisecreep cavou fundo para desenterrar as 10 músicas mais subestimadas do Iron Maiden.

10. "The Thin Line Between Love and Hate" do álbum 'Brave New World' (2000)


'Brave New World' marcou o retorno de Bruce Dickinson e Adrian Smith, com a uma presença trazendo um aumento evidente na qualidade da banda. A longa canção "The Thin Line Between Love and Hate" aproveita a sua duração melhor do que qualquer outra faixa do álbum. Os vocais duplos de Dickinson mergulham em um efeito interessante nos versos. Se você está se perguntando quem fala: "I f-cking missed it!" no final da música, é Nicko McBrain, citando que sentiu falta dos vocais de Bruce.

09. "The Prophecy" do álbum 'Seventh Son of a Seventh Son' (1988)


Esta canção é uma das duas faixas conceituais do álbum 'Seventh Son of a Seventh Son' que nunca foram tocadas ao vivo. O álbum é baseado no romance de Orson Scott Card, 'Seventh Son', embora a maioria das letras dificilmente descrevem alguma relação com o livro. Aqui temos letras mais diretas, que lidam com a morte iminente e destruição, embora se perceba que a vida está nas mãos de profecias.

08. "Brighter Than a Thousand Suns" do álbum 'A Matter of Life and Death' (2006)


Vários fãs do Iron Maiden ficaram decepcionados quando souberam que a banda iria tocar o seu novo álbum na íntegra na turnê de 2006. Mas independentemente da sua opinião sobre o setlist, todos podemos concordar que ver "Brighter Than a Thousand Suns" ao vivo foi um dos pontos altos. Os tons altos e baixos da voz de Dickinson, acompanhada da guitarra, criam uma certa tensão antes de entrar o refrão explosivo. As letras que seguem o coro são curiosas e seguem em ritmo elevado até transição da música.

07. "Genghis Khan" do álbum 'Killers' (1981)


Naquela época, o Iron Maiden tinha uma propensão para produzir músicas instrumentais ilustres. "Genghis Khan" marca as habilidades maníacas do falecido baterista Clive Burr em seu kit, com partes que poderiam estar no primeiro álbum do Napalm Death. Aqui parece que Clive tem quatro braços direitos sobrando, principalmente antes do 1º minuto, onde Clive dá uma boa surra em sua bateria. Como todas as faixas de 'Killers', essa música é outro frenesi juntamente com os os riffs que o grupo britânico começou a introduzir, causando um impacto no heavy metal.

06. "Sea of Madness" do álbum 'Somewhere in Time' (1986)


É verdadeiramente um crime deixar passar "Sea of Madness". Sem dúvida um das músicas mais cativantes do Iron Maiden, que orgulhosamente ostenta um refrão poderoso com alguns dos tons graves mais interessantes de Harris. Seu baixo é geralmente bem alto nas mixagens, mas aqui ele impulsiona a música com as guitarras sintetizadas, recuando um pouco. Depois de 'Powerslave', Dickinson queria que a Donzela fizesse um álbum com um segmento mais acústico, por isso ele não tem créditos nas composições de 'Somewhere in Time'.

05. "Justice of the Peace" do single 'Man on the Edge' (1995)


Essa é uma das faixas com o qual certamente alguns não estão familiarizados, mas definitivamente merece um lugar na lista das músicas mais subestimadas do Iron Maiden. 'The X Factor' é um álbum sombrio e melancólico, desprovido de momentos mais agitados. As músicas de 'Man on the Edge' não fazem muito o estilo clássico do Maiden, mas "Justice of the Peace" é a melhor delas. Dave Murray nunca contribuiu muito nas composições, mas quando ele faz ele vai direto ao ponto. A voz brilhante de Bayley se adaptou muito bem a esta canção e talvez teria uma aceitação maior se músicas como esta fizessem parte do 'The X Factor'.

04. "Sun and Steel" do álbum 'Piece of Mind' (1983)


"The Trooper" domina quando se fala em 'Piece of Mind', mas a banda conhece a profundidade deste álbum, pelo fato de ter tocado a maioria dessas músicas ao vivo. Uma das que nunca foram apresentadas ao palco é "Sun and Steel", que poderia ter sido um clássico ao vivo. A música é curta, mas eficaz com a sua estrutura tradicional e outra incrível performance de Dickinson. Apesar de fazer algo simples e direto, a banda ainda ofereceu algo de primeira.

03. "Back in the Village" do álbum 'Powerslave' (1984)


A maioria dos fãs sabem que essa música vem antes da faixa-título, "Powerslave". A introdução vertiginosa é suportada por um ritmo saltando entre as transições até o verso. Detalhe para quando Dickinson canta a palavra "Sixes", a palavra "six" é ecoada em um sussurro por duas vezes. A voz do cantor está em boa forma, como de costume, com um pouco do seu famoso rosnado, às vezes, ajudando a transmitir a convicção de suas palavras.

02. "Gangland" do álbum 'The Number of the Beast'
(1982)


Mr. Clive Burr conseguiu novamente, com sua pegada na bateria em "Gangland" antes dos riffs selvagens das guitarras e Dickinson devastando o resto da música. Sua voz áspera atrai a mentalidade da música em um enunciado conjunto com Burr com seu jeito de tocar, fazendo de "Gangland" uma música poderosa. A ferocidade nunca cessa e as melodias harmonizadas na transição que dão forma aos solos dão um toque perfeito, levando esta canção a um outro nível.

01. "Judas Be My Guide" do álbum 'Fear of the Dark' (1992)


Por que ninguém nunca mencionou essa música!? "Judas Be My Guide" é outra joia escondida escrita por Dave Murray e é uma das canções mais clássicas da Donzela de Ferro, escrita após a fase dominante nos anos 80. A banda queria despir seu som e voltar ao básico, mas um pouco mais discreto com este disco. A voz rouca de Dickinson é perfeita para a atmosfera, com momentos interessantes em toda parte, e o refrão não poderia ser mais contatiange. "Judas Be My Guide" é de longe a canção mais subestimada no vasto catálogo do Iron Maiden.

Fonte original desta matéria:
http://noisecreep.com/most-underrated-iron-maiden-songs/



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Maiores e MelhoresTodas as matérias sobre "Iron Maiden"


Iron Maiden: setlist, vídeos e fotos do show no Rock in RioIron Maiden
Setlist, vídeos e fotos do show no Rock in Rio

Iron Maiden no Rock in Rio: Setlist deve trazer clássico que não tocavam desde 1986Iron Maiden no Rock in Rio
Setlist deve trazer clássico que não tocavam desde 1986

Iron Maiden: Livro cobre os impactos audiovisuais do primeiro RIR à Legacy of the Beast

Iron Maiden: no Rio, Steve Harris joga futebol com ator da Globo e ex-atletasIron Maiden
No Rio, Steve Harris joga futebol com ator da Globo e ex-atletas

Rock in Rio 2019: horários do dia do metal passam por pequena alteraçãoRock in Rio 2019
Horários do "dia do metal" passam por pequena alteração

Grandes covers: cinco versões para 2 Minutes To Midnight, do Iron MaidenGrandes covers
Cinco versões para "2 Minutes To Midnight", do Iron Maiden

Entrevista: Martin Popoff, a máquina de escrever do rock/metal

Rock in Rio 2019: bandas de rock são tranquilas com exigências, mas Drake deu trabalhoRock in Rio 2019
Bandas de rock são tranquilas com exigências, mas Drake deu trabalho

Iron Maiden: banda confirma que show no Rock in Rio será transmitido onlineIron Maiden
Banda confirma que show no Rock in Rio será transmitido online

Iron Maiden: definitivo e imortal em Powerslave (vídeo)Iron Maiden: a chegada de Nicko e o magnífico Piece of Mind (vídeo)

Grandes covers: cinco versões para a clássica Wasted Years, do Iron MaidenGrandes covers
Cinco versões para a clássica "Wasted Years", do Iron Maiden

Blaze Bayley: sua triste história no Iron Maiden (vídeo)Blaze Bayley
Sua triste história no Iron Maiden (vídeo)

Iron Maiden: Janick Gers perde guitarra no meio do show; assistaIron Maiden
Janick Gers perde guitarra no meio do show; assista

Download 2020: festival terá Iron Maiden, Kiss, System of a Down e maisDownload 2020
Festival terá Iron Maiden, Kiss, System of a Down e mais

Ace of Spades: se ela fosse do Metallica, Maiden, Nirvana ou ZZ Top?Ace of Spades
Se ela fosse do Metallica, Maiden, Nirvana ou ZZ Top?

Iron Maiden: a reação de Rebecca Vocal Athlete ao ouvir HallowedIron Maiden
A reação de Rebecca Vocal Athlete ao ouvir "Hallowed"

Iron Maiden: Bruce Dickinson explica o seu viagra musicalIron Maiden
Bruce Dickinson explica o seu "viagra musical"


A7X: Curiosidades sobre a banda que talvez você não saibaA7X
Curiosidades sobre a banda que talvez você não saiba

Anos 90: bandas de hard rock e metal que decepcionaram os fãsAnos 90
Bandas de hard rock e metal que decepcionaram os fãs

Tarja Turunen: vocalista reprova cover do COB no The VoiceTarja Turunen
Vocalista reprova cover do COB no The Voice

Intrigas: Bandas em família que terminaram malIntrigas
Bandas em família que terminaram mal

Separados no nascimento: Steven Tyler e Márcia GoldsmichSeparados no nascimento
Steven Tyler e Márcia Goldsmich

Regis Tadeu: Maiden, Bowie, Stones, discos Ruins que ele adoraRegis Tadeu
Maiden, Bowie, Stones, discos "Ruins" que ele adora

Axl Rose: Mick Wall quer desmascarar arregada para Vince NeilAxl Rose
Mick Wall quer desmascarar "arregada" para Vince Neil


Sobre Samuel Coutinho

Nascido no interior de SP no dia 15/12/1986, em uma cidade chamada Ilha Solteira, Samuel Coutinho se entregou ao heavy metal logo na adolescência. Seu forte sempre foi o heavy metal melódico, variando desde o prog-metal até ao power-metal.

Mais matérias de Samuel Coutinho no Whiplash.Net.