Heavy Metal: nove ótimas músicas suaves do gênero

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Pedro Ceballos, Fonte: Popdose, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 


0 acessosBlend Guitar: em vídeo, Top 10 Heavy Metal Bands5000 acessosOzzy e Lemmy: mansão luxuosa, apartamento como caverna

Por Chris Holmes, traduzido por Pedro Ceballos

Vamos encarar o fato, todos nós estamos ficando velhos. Não importa o quanto nosso espírito jovem nos chama para balançar nossas cabeças regularmente, nós apenas podemos fazer isso antes dos danos no pescoço chegarem. O que podemos fazer então? Ouvir Soft Rock ou Música Adulto-Contemporânea? Claro que não! Porém quando chega o tempo de relaxar um pouco, e abaixar os chifres do Metal e satisfazer seu lado calmo enquanto ainda está agradando os deuses do metal, aqui estão nove músicas que irão fazer o trabalho que até o mais insatisfeito quiropraxista aprovaria.

#1. “Epitaph” do JUDAS PRIEST (de “Sad Wings of Destiny”, 1976)

Os primeiros álbuns do JUDAS PRIEST apresentaram um bem mais larga extensão de estilos e material do que exibiriam no começo dos anos 80. Talvez o melhor exemplo seja “Epitaph”, um melancólico, mas belo número (tocado pelo guitarrista Glenn Tipton) que teria lugar num álbum do Queen da época. É tão legal que eu estou disposto a ignorar frases desajeitadas como “So nearly now life once he clung to dearly now lets go”

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

#2. “Strange World” do IRON MAIDEN (de “Iron Maiden”, 1980)

Eu sempre fui um grande fã do debut do Iron Maiden, especialmente devido à faixas como essa. Inserida entre as clássicas (e assinatura da banda) cavalgadas de “Transylvania” e a adoradas pelos fãs, “Charlotte the Harlot” está “Strange World”, um fantasioso pedaço de metal melódico que soa mais influenciado por PINK FLOYD do que por BLACK SABBATH ou THIN LIZZY. O vocalista PAUL DI’ANNO soa um pouco fora de suas características aqui, mas ainda assim, apresenta um bom desempenho.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

#3. “Planet Caravan”, do BLACK SABBATH (de “Paranoid”, 1970)

Eu quase coloquei “Changes”, mas como é a única música que eu evito no excelente “Vol. 4” eu não poderia, em sã consciência, incluí-la aqui. O Sabbath nunca teve medo de mostrar seu lado suave, mas eles raramente o fizeram melhor do que na super viajante “Planet Caravan”. As corridas da guitarra jazz de TONY IOMMI se misturam perfeitamente com os vocais processados de OZZY OSBOURNE e as letras sugestivas de GEEZER BUTLER, sendo o mais próximo que o BLACK SABBATH chegou do Space Rock. O PANTERA fez um excelente cover desta música em 1994 no LP “Far Beyond Driven”.

#4. “Windowpane”, do OPETH (de “Damnation, 2003)

Mikael Åkerfeldt já mostrou uma queda por suaves, fortes e melódicas composições mesmo que seu grupo tenha produzido em massa alguns dos mais viscerais e sombrios temas de Metal das últimas décadas. Porém, não foi até “Damnation” de 2003, que ele finalmente deu o máximo de si, produzindo um álbum que não ilustra sua força pelos vocais guturais ou orquestrações brutais, mas sim pela atmosfera inundada de melancolia no limite do pavor absoluto.

#5. “Whale & Wasp”, do ALICE IN CHAINS (de “Jar of Flies”, 1994)

Por aproximadamente 35 segundos ou mais desse curto instrumental, Jerry Cantrell aparenta estar andando pelo caminho familiar do melancólico e obscuro ALICE IN CHAINS, mas ele se desafia de forma agradável com adoráveis passagens de guitarra e um arranjo de cordas.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

#6. “Evidence” do FAITH NO MORE (de “King for a Day… Fool for a Lifetime”, 1995)

Eu poderia gastar o dia inteiro falando do quanto eu amo este álbum, e provavelmente farei isso em algum momento. Eu apenas direi aqui que uma das minhas músicas favoritas nele é “Evidence”, uma das inúmeras e suaves faixas do catalogo do FAITH NO MORE. Os vocais de Mike Patton são claramente soberbos, mas a estrela desta música é o guitarrista do MR. BUNGLE, Trey Spruance, que temporariamente tomou o lugar vago do demitido Jim Martin. Eu não consigo imaginar como Martin tocaria as partes de Spruance com a mesma fluidez.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

#7. “Out of Mind”, do QUEENSRYCHE (de “Promised Land, 1994)

Me deixa tão triste refletir sobre o triste estado de ruínas em que se encontra o QUEENSRYCHE no século 21. Felizmente, nós ainda temos álbuns como “Promised Land” para servir de testamentos para o uma vez formidável poder que tiveram. E músicas como “Out of Mind”, que servem como testamentos para mostrar que esse poder não foi diminuído nem um pouco ao substituir guitarras acústicas por elétricas – especialmente quando juntadas com letras um tanto quanto inquietantes como esta, que descreve os azarados residentes de uma espécie de instituição para doentes mentais.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

#8. “Intension”, do TOOL (de “10,000 Days”, 2006)

Eu não tenho dúvida de que há uma dúzia de camadas de significado atrás de “Intension” que eu mal posso começar a compreender, então esperançosamente espero que a legião de fãs devotos deles tenham paciência com minha ignorância. O que eu sei é que essa música de mais de sete minutos, relativamente suave, é mais um mantra sombrio. É taciturno como você esperaria de uma música do Tool, mas sem a virtuosidade acima da média que se tornou o cartão de visitas deles. Mas seja lá o que você irá fazer, cara, não vá ao Youtube e chame “Intension” de tapa-buraco. Acredite em mim dessa vez.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

#9. “Joseph Merrick”, do MASTODON (de “Leviathan”, 2002)

Uma franca minoria de “não fãs” do MASTODON resmungou espalhafatosamente sobre como a banda se “vendeu” nos últimos álbuns. Esse é apenas um código para “Eles não me fazem querer bater o carro em toda música e eu os odeio demais”. Ouvintes astutos não devem ter se surpreendido pelo aumento da crença da banda em melodia por agressão, no entanto. Desde o segundo ano da explosão da banda, em “Leviathan”, músicas como “Joseph Merrick” proporcionaram uma tônica para rudes e cruas composições.

Comente: Quais músicas suaves feitas por bandas de Metal você adora?

Os responsáveis são citados no texto. Não culpe os editores. :-)

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Iron MaidenIron Maiden
Expansão do jogo Legacy Of The Beast terá novo Eddie

0 acessosBlend Guitar: em vídeo, Top 10 Heavy Metal Bands726 acessosTales Of The Iron Maiden: "From Here To Eternity" em novo vídeo2463 acessosIron Maiden: 37 anos atrás, o primeiro álbum era lançado0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Iron Maiden"

Iron MaidenIron Maiden
Por que não existem filmagens oficiais da turnê "Somewhere In Time"?

Bruce DickinsonBruce Dickinson
E se ele fosse vocalista de outras bandas?

Bruce DickinsonBruce Dickinson
Câncer pode ter sido causado por sexo oral?

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 17 de abril de 2013
Post de 07 de dezembro de 2014
Post de 09 de dezembro de 2014
Post de 02 de março de 2017

0 acessosTodas as matérias da seção Maiores e Melhores0 acessosTodas as matérias sobre "Judas Priest"0 acessosTodas as matérias sobre "Iron Maiden"0 acessosTodas as matérias sobre "Black Sabbath"0 acessosTodas as matérias sobre "Alice In Chains"0 acessosTodas as matérias sobre "Opeth"0 acessosTodas as matérias sobre "Mastodon"0 acessosTodas as matérias sobre "Queensryche"0 acessosTodas as matérias sobre "Tool"0 acessosTodas as matérias sobre "Faith No More"

ContrastesContrastes
A diferença entre as habitações de Ozzy e Lemmy

MetallicaMetallica
Hetfield: "Fico deprimido quando não pego a guitarra!"

RushRush
Neil Peart leva vida complicada e sofre para tocar ao vivo

5000 acessosLos Angeles: fotos de roqueiros célebres em situações cotidianas5000 acessosIron Maiden: uma releitura de "The Trooper" pelo Cine5000 acessosOut: os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revista5000 acessosZakk Wylde: Os 10 "Álbuns de Guitarra" mais importantes5000 acessosGuns N' Roses: as duas mulheres que conduziram a reunião5000 acessosApocalipse: confira 5 das melhores músicas sobre o tema

Sobre Pedro Ceballos

Nascido em São Paulo, Pedro Ceballos é formado em Jornalismo pela PUC-SP. Descobriu o Rock em 2007 com grandes bandas como Kiss, Scorpions, Iron Maiden, Judas Priest, Queen e Black Sabbath. Fotógrafo e músico nas horas vagas, é grande entusiasta do Hard Rock setentista, AOR oitentista e da NWOBHM.

Mais matérias de Pedro Ceballos no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online