Arandu Arakuaa: entrevista com Adriano Ferreira

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Jakline Costa, Fonte: Fãs Arandu Arakuaa
Enviar correções  |  Ver Acessos

Adriano Ferreira, baterista da Arandu Arakuaa, concede entrevista ao blog de fãs da banda.

Stratovarius: em turnê pelo Brasil, guitarrista reclama da cerveja localBateria: imagine se ele tocasse um equipamento mais decente

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

FAS ARANDU ARAKUAA: Fale um pouco sobre suas principais influências na música, como se tornou baterista e como ocorreu seu primeiro contato com a Arandu Arakuaa.

ADRIANO: Bom, primeiramente gostaria de agradecer pelo espaço e apoio de vocês. Vixi, de influencias, é até difícil falar, pois gosto de tanta coisa. Bom, vamos lá, curto muito System Of A Dowm, Rage Against The Machine, Korn, Lampirônicos, Los Hermanos, Krisiun, Sepultura, e o meu grande mestre, Jorge Ben Jor. Cheguei até a Arandu Arakuaa através da internet, o nosso querido guitarrista Zândhio Aquino viu um anúncio meu na internet e aí firmou, rachou e completou. Antes da Arandu toquei em outras três bandas e pra mim hoje é um honra participar de uma banda tão inovadora como a Arandu.

FAS ARANDU ARAKUAA: As atividades ligadas à arte, aqui no Brasil, geralmente não recebem muito incentivo; principalmente quando se trata da família do artista, que muitas vezes vê esse tipo de atividade como sonho ou perda de tempo, pois muita gente tem dificuldade em ver a arte como expressão cultural, e não percebe a importância que ela tem para a sociedade. Você alguma vez já se sentiu desmotivado a continuar sua carreira como músico? Fale um pouco sobre isso.

ADRIANO: Acredito que as atividades ligadas às artes no Brasil até recebem sim, incentivo, porém, não em todas as áreas e seguimentos; no Rock, por exemplo, não. Infelizmente ainda no século em que vivemos, vemos muito conceitos prévios com relação há muitas coisas, homo afetividade, cor de pele, esportes com o skate, por exemplo, na qual sou atleta amador, e na música como um todo, no rock, sobretudo; daí é claro que tanto o artista quanto a família se sentem desmotivados com relação ao sonho de um dia viver de música e comigo não foi diferente, mas nunca deixei de sonhar e trabalhar com música, pois é um sonho, objetivo, meta que pretendo chegar ao ápice com a Arandu e o legal é que existe uma homeostase na banda com relação a esse objetivo onde fico muito feliz por isso.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

FAS ARANDU ARAKUAA: A cultura autêntica das terras brasileiras geralmente sofre discriminação e é colocada abaixo de culturas muitas vezes menos intensas, menos expressivas que a nossa, devido a questões que têm suas raízes na própria história da ocupação do Brasil. Desde que começou a tocar na Arandu, você já percebeu algum tipo de contribuição da banda no sentido de conscientizar as pessoas da riqueza cultural da nossa terra?

ADRIANO: Certamente, somos às vezes chamados, de "a banda dos índios, a banda meio indígena" e de alguma forma isso nos faz pensar que estamos no caminho certo. A conscientização é muito individual, depende de como cada um pensa e de sua história de vida, mas tentamos fazer a nossa parte. O som da Arandu além do rockão (risos) é regionalismo, baião, cantos e rituais indígenas e metal, ou seja, é uma "mistureba" boa e consciente. Portanto, acho que estamos conseguindo, aos poucos, conscientizar a galera do rock em geral da importância do nativismo e brasileirismo do nosso povo. A ideia é fazer o povo pensar que Brasil é modernidade e tradição ao mesmo tempo.

FAS ARANDU ARAKUAA: O que a banda Arandu Arakuaa representa para você?

ADRIANO: Cara, muita coisa; respeito, rockão, conhecimento, amadurecimento, relação interpessoal e, sobretudo, um sonho que aos poucos está sendo realizado.

FAS ARANDU ARAKUAA: Há alguma curiosidade sobre a banda que você gostaria de compartilhar com a gente?

ADRIANO: Claro, têm muitas! (risos) Posso citar uma, de acordo com que o trabalho vem dando certo e vamos sendo convidamos para shows legais e tal, os camarins vão melhorando com relação há algumas frescuras de artistas, teve um show que tivemos várias frutas a disposição e tal, e tem um integrante da banda que é metido a "alimentação saudável" vocês acreditam que ele teve coragem de levar algumas unidades de uma fruta pra casa! (risos, risos e risos). Descubram quem pode ser?

FAS ARANDU ARAKUAA: Você gostaria de deixar algum recado para os fãs?

ADRIANO: Certamente. Galera, nos esforçamos pra carálio pra tudo isso que vocês estão podendo ver. Ensaiamos todas as semanas, clips, CD tudo do nosso escasso dinheiro, porém isso tudo com um intuito de termos o reconhecimento e apoio cada vez mais de vocês. Sonhamos um dia vivermos de música e não vamos parar enquanto não conseguirmos esse objetivo. Somos focados e sabemos onde queremos chegar, mas dependemos de vocês, fãs. Certamente, nossa vitória não será por acidente.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Arandu Arakuaa"


Stratovarius: em turnê pelo Brasil, guitarrista reclama da cerveja localStratovarius
Em turnê pelo Brasil, guitarrista reclama da cerveja local

Bateria: imagine se ele tocasse um equipamento mais decenteBateria
Imagine se ele tocasse um equipamento mais decente


Sobre Jakline Costa

Formada em química, atualmente envolvida com qualquer tipo de trabalho literário. Meu primeiro contato com o rock foi por volta dos 12 anos de idade, quando fui em uma loja e comprei sem ao menos conhecer, uma camiseta do Iron Maiden. Chegando em casa meu tio todo orgulhoso ficou decepcionado ao saber que mesmo com a camiseta não conhecia nenhum som da banda e a partir daquele momento o objetivo de vida dele foi me ensinar os caminhos do rock. Graças a ele hoje conheço de Iron a Led e tenho todas as minhas influências musicas. Obrigada tio.

Mais matérias de Jakline Costa no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280