Marcelo Nova: entrevista com o baixista Leandro Dalle

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Alexandre Campos Capitão, Fonte: Redação do Blog Oficial
Enviar correções  |  Comentários  | 


Marcelo Nova acaba de lançar o primeiro blu-ray do rock nacional (Hoje no Bolshoi). Fale suas impressões sobre participar desse registro histórico.
5000 acessosIron Maiden: "se as bandas de metal mandassem no mundo..."5000 acessosIron Maiden: a concepção original de Eddie

Leandro Dalle: Lançamos primeiramente o DVD e o cd duplo, agora saiu o blu-ray. Pra mim foi uma satisfação imensa ter participado desse show, Marcelo não me limitou em nada e é um prazer fazer parte dessa banda, fico muito feliz em saber que de alguma maneira fiz parte da historia do Rock do Brasil ao lado do Nova.

Em Hoje no Bolshoi você faz dois solos de baixo. Conte como é sua abordagem no trabalho com Marcelo Nova e se é diferente de seus outros trabalhos.

Leandro Dalle: Sim, fiz dois solos o primeiro já era um solo estipulado que foi o solo de Quando eu morri, o segundo foi na Simca Chambord. Esse solo saiu no estúdio durante os ensaios para a gravação do DVD, lembro que estávamos tocando a canção e o Marcelo olhou pra mim do nada e disse "vai, sola" (risos). Acabou ficando bacana, deu certo e foi para o show. Apesar de o Marcelo ser um cantor solo de carreira, ele dá liberdade pra poder criar solos, arranjos, idéias, sugestão de set list, tocamos como uma banda onde o Drake Nova (guitarra) e eu temos total liberdade e acaba dando certo, porque nós sabemos também a hora de tirar a mão do instrumento e dar um passo pra trás (risos). A única diferença para outras bandas é que em outras sou sócio e tenho controle de mais coisas, mas é só isso.

Além do trabalho com Marcelo Nova quais são os outros trabalhos que está envolvido?

Leandro Dalle: Além do Nova eu estou com uma banda de Rock que está trabalhando muito pra ganhar um espaço chamada DaMataRock, nessa banda faço produção e sou baixista. Também sou produtor musical, arranjador, compositor, faço free lancer para bandas e trabalho em estúdios oferecendo esses respectivos trabalhos.

Como o contrabaixo entrou na sua vida? Aproveite e conte sua trajetória como músico e de suas outras atividades, como produtor e guitarrista.

Leandro Dalle: O baixo surgiu por volta de 22 anos atrás, quando eu era bem mais novo, meu tio, um grande músico e contrabaixista que tocava na noite, e eu sempre "brincava" com o baixo dele e achava aquilo muito bacana, até que um dia resolvi fazer aula em um conservatório. Fiz apenas um mês de aula e saí pois não gostava de ficar tocando música de criança (risos). E daquela época, meados de 1990 ate hoje, tudo que sei aprendi sozinho e então uma coisa puxa a outra, fui descobrindo que tinha habilidade com a guitarra e seus solos, depois de tocar muito em bar, eventos grandes, artistas consagrados e ter trabalhado ao lado de grandes produtores, (tenho que destacar o Rodrigo Castanho, ótimo produtor e um grande amigo) acabei com um feeling apurado para produzir bandas.

Qual seu setup? Fale sobre seu equipamento.

Leandro Dalle: Hoje em dia eu estou com cinco baixos, três guitarras, dois violões e uma viola caipira. Os baixos são Fender Jazz Base 1967, Yamaha Atittude, Yamaha TRB 5 cordas, Ibanez 1990 e Music Man Bongo. As guitarras são Fender Telecaster reedição de 1972, Fender Strato Richie Sambora e Les Paul Epiphone. Meu ampli de baixo é um Hartke 5.000 com 1 caixa 4x10 e 1 caixa 1x15. Cada baixo tem seu som característico e eu uso cada um de acordo com meu dia, às vezes estou mais pra Rock, outras estou mais pra Jazz por aí vai.

Quais são os músicos que admira? Quais características fazem você prestar atenção num músico ou numa música?

Leandro Dalle: Gosto bastante dos baixistas Victor Wooten, Stu Hamm, Ron Carter, Jaco Pastorius. Entre guitarristas curto Frank Gambale, Allan Holdsworth, Stevie Ray Vaughan, são muitos.

Em um músico o que me faz prestar atenção e quando vejo que o cara esta colocando alma no que esta fazendo, depois vem postura de palco, colocar as notas certas nos lugares certos. Na música o bom senso é algo que difere um bom músico.

Você demonstra desenvoltura em várias técnicas diferentes como slap, tapping, two hands, além do pizzicato. Fale um pouco sobre sua rotina de estudos e como decide a técnica que vai utilizar em cada trecho da música.

Leandro Dalle: Hoje em dia não estou estudando tanto como deveria, muitos shows, viagens, outras bandas para cuidar e acabo não pegando no instrumento para praticar, mas quando comecei a tocar ficava em media de 4 à 7 horas por dia estudando. Em relação a tocar e decidir o que fazer, depende muito do dia, tenho alguns baixos e cada um tem seu som próprio, vai depender de como estiver me sentindo. Não sigo um padrão exato.

Além de músico você também é compositor. Como funciona o seu processo de composição?

Leandro Dalle: Geralmente crio as melodias de voz juntamente com a harmonia, depois disso monto as partes da música, na sequência gravo em casa e depois de estruturada começo fazer os arranjos de guitarra, baixo, teclado, bateria, etc. Geralmente essas melodias costumam vir sem letra e então gravo a melodia em uma espécie de "enrolation" e depois penso na letra (risos).

Existem planos para gravação de um trabalho solo? O que você gostaria de apresentar num trabalho solo?

Leandro Dalle: Planos ainda não tenho, mas tenho vontade sim! Apresentaria composições onde eu consiga expressar coisas que sinto e mostrar a diversidade que tenho entre instrumentos, gravaria algo com baixo claro, mas também muita coisa de violão, guitarras e viola caipira. Colocaria também algum vocal, mas seria outra pessoa cantando porque apesar de ter facilidade pra afinação e colocação de voz, acho que para cantar algo solo não seria tão interessante. Algum dia vai rolar.

Fazendo um exercício de imaginação sem limites, cite 5 músicas que gostaria de ter gravado e por que.

Leandro Dalle: Existem tantas músicas boas, mas acho que minha pretensão de ter feito alguma delas não existe, prefiro que cada autor tenha sua satisfação por cada uma delas assim como eu tenho pelas minhas

Em sua opinião, quais as melhores formas de divulgação que a internet favorece para a música?

Leandro Dalle: Hoje em dia como todos sabem a internet é um dos maiores meios de divulgação que existe. Ali você consegue acessar qualquer pessoa do mundo através de redes sociais, etc.

A internet desde que foi criada vem favorecendo bastante bandas independentes que conseguem através de suas músicas atrair a atenção do público e consequentemente empresários e investidores.

Conte quais são seus próximos trabalhos e o que o público pode esperar quando te ver no palco.

Leandro Dalle: Eu gravei algumas músicas do disco novo do Nova. Esse disco será lançado acho que em meados de março de 2013. Gravei um projeto chamado Brazilian Nude Girls algo como bossa nova em inglês com partes rock and roll, bem interessante, esse disco será lançado aqui no Brasil e possivelmente na Europa e Estados Unidos. Também estou com minha banda de rock chamada DaMataRock, lançaremos um clipe esse ano ainda e terá a premiere de lançamento que será em dezembro. O público pode esperar em shows um cara que toca com a alma, tem atitude, não tem receio de fazer o que quer e tenta levar para as pessoas a felicidade transmitida pela música.

Conte sobre a experiência de tocar num festival com a importância do Lollapalooza.

Leandro Dalle: Pra mim foi uma satisfação imensa ter participado do Lollapalooza 2012,tocamos no palco 1 no mesmo dia do Foo Fighters. A galera estava receptiva, foi um ótimo show! Recebemos elogios de revistas, sites, renomados, fomos considerados um dos melhores shows que o festival teve no dia, com direito a Dave Grohl assistindo e curtindo nosso show do backstage (risos).

Gostaria de agradecer pela entrevista e pedir pra você deixar seus endereços nas redes sociais para quem quiser acompanhar seus trabalhos?

Leandro Dalle: Claro! Para quem quiser saber de agenda,manter contato,adquirir shows e saber da minha carreira seguem os links abaixo:

http://www.facebook.com/leandro.dalle1
http://www.facebook.com/leandrodalle
http://www.twitter.com/leandrodall

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 14 de outubro de 2012

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Marcelo Nova"

Marcelo NovaMarcelo Nova
Treta com Samuel Rosa respingou em Herbert Vianna

Marcelo NovaMarcelo Nova
"Na música brasileira existem belas bundas!"

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Marcelo Nova"

Iron MaidenIron Maiden
"Se as bandas de Metal mandassem no mundo..."

Iron MaidenIron Maiden
A concepção original e os primórdios do mascote Eddie

Iron MaidenIron Maiden
Conheça a equipe e família que viaja com a banda

5000 acessosVitão Bonesso: A imensa coleção do apresentador do Backstage5000 acessosBateristas: os dez músicos mais loucos de todos os tempos5000 acessosMegadeth: as 10 maiores tretas de Dave Mustaine4159 acessosJourney: "Steve Perry era um fenômeno humano", diz baixista do Styx5000 acessosRoberto Sabbag: Colecionador do Slayer e Heavy Metal em geral5000 acessosThe Police: uma idéia criada e visionada por Stewart Copeland

Sobre Alexandre Campos Capitão

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online