Zombie Cookbook: para carnívoros, carniceiros e canibais

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

O Zombie Cookbook vem de Joinville (SC) e consegue aliar um visual de filmes Trash com uma mescla de Death, Thrash e Heavy Metal Tradicional dos mais sujos e esporrentos. Aproveitando que os zumbis acabaram de liberar o EP em vinil "CineTrash", que dá uma prévia do CD que será lançado ainda em 2011, o Whiplash! conversou com Dr. Stinky (voz) e Horace Bones (guitarra) para saber um pouco mais sobre a banda.

5000 acessosManowar: o dia em que a banda arregou pro Twisted Sister5000 acessosCuriosidade: artistas que odeiam suas próprias músicas


Whiplash!: Saudações dos que vivem, pessoal... Vocês já possuíam experiência em outras bandas, como o Flesh Grinder, que conquistou certa posição no underground. Como rolou a concepção do Zoombie Cookbook, que usa tantos elementos extra musicais? Contem aí um pouco de sua história...

Dr. Stinky: Quando éramos vivos, tínhamos nossas bandas, Flesh Grinder (Horace Bones), Lyric Butcher (Hellsoldier e Freudstein), S.O:M.A. (Dr. Stinky e Freudstein) e Praga (Dr. Stinky). Esses grupos nos proporcionaram muitas alegrias (e ainda proporcionam para alguns que voltam à vida normal) e também muita bagagem musical para shows, composições, manhas de palco, etc, etc.

Dr. Stinky: Ao formarmos o Zombie Cookbook, tínhamos ideia do empenho e dedicação que queríamos para esta banda, então começamos a trabalhar em cima das músicas; as temáticas também já estavam na nossa mente, e só precisávamos colocar no papel ou, no caso, nos gravadores. Hehehe!

Whiplash!: Ainda que esteja há pouco tempo tropeçando pelas estradas, o Zombie Cookbook rapidamente assinou com o selo norte-americano Fudgeworthy Records para lançar o EP "CineTrash". Como rolou essa parceria?

Horace Bones: Sempre que fazíamos músicas novas, íamos gravando os ensaios e fomos mandando para umas gravadoras, divulgando pela internet. Parece que gostaram e saíram propostas para lançar CD e splits, mas a Fudgeworthy fez a proposta que a gente queria, gravar um split 7” EP, mas como tínhamos músicas para um full, saiu o “CineTrash”.


Whiplash!: Algo muito legal é que "CineTrash" está sendo liberado em vinil vermelho de 7". O que motivou para que o lançamento deste EP saísse somente neste formato? Não há planos para um lançamento em CD?

Dr. Stinky: Há planos para um próximo split, também pela Fudgeworthy, que em breve esperamos anunciar... A parte de composição já se iniciou e muita coisa boa vem por aí. Lançar o “CineTrash” em CD nunca passou pela nossa cabeça, você é a primeira pessoa que nos diz isso. Hahahahha, pelo menos pra mim, é.

Dr. Stinky: Nós acabamos de finalizar nosso primeiro full-length que deve - deve não! - vai sair este ano ainda, temos contato com algumas pessoas para lançar e algumas coisas que estamos engatilhando, mas tudo a seu tempo. Hehehe!

Horace Bones: Acho bem difícil lançar em CD o “Cinetrash”, mas quem sabe em fita cassete? Vamos ver mais para a frente. Vale a pena ressaltar que nosso full está meio que indo na contra-mão do que as bandas fazem hoje em dia, elas gravam, mixam e masterizam digitalmente ou gravam analogicamente e mixam e masterizam digitalmente... A gente gravou digitalmente e vamos mixar e masterizar analogicamente, tivemos uma palhinha de como vai ficar já... Cara, é excelente a qualidade e o peso!!! O Felipe Lisciel já virou nosso produtor de carterinha!!!

Whiplash!: O Zombie Cookbook possui um forte apelo visual aliado à sua música. O quanto isso contribui para atrair maiores atenções sobre a banda, e até que ponto existe uma preocupação em esse diferencial se desgastar e vocês passarem a ser vistos simplesmente como algo ridículo?

Dr. Stinky: Pois é, cara, isto é uma faca de dois gumes. Mas acredito que (hoje pelo menos) as pessoas não vão a um show nosso para ver apenas “os meninos pintados de zumbi” ou então apenas para curtir nosso som, o que conta é o conjunto da obra, entende? O show do Zombie Cookbook é este, é massa sonora e visual em conexão. Talvez se um dia optarmos por não utilizar maquiagem, seja algo estranho, mas a nossa feiúra assusta bastante gente, então...

Horace Bones: E põe feiúra nisso!!! O som e toda a concepção da banda acabou pedindo que tivesse um visual mais agressivo, acabamos nos tornando os zumbis do release. Foi uma coisa bem natural!

Whiplash!: Independente do aspecto visual, as cinco faixas que fazem parte de "CineTrash" são muito boas. Como o público tem reagido ao EP e como são suas apresentações ao vivo (ou morto-vivo...)?

Horace Bones: Valeu pelas ‘músicas muito boas’... Tem nos surpreendido, o pessoal tem gostado bastante e quando vem falar com a gente, sentimos a empolgação da pessoa falando sobre as músicas!! ‘Legal pra caralho!!’, ‘Muito massa, nem consigo definir o som de vocês!!’ e coisas do tipo.

Horace Bones: Fizemos poucos shows, mas estamos tendo um feedback legal. Parece que, quem vê, acaba gostando do Zombie Cookbook!! Quem estiver a fim de conferir a banda, vamos tocar em Jundiaí (SP) no MORE GORE THAN BEFORE 6.

Whiplash!: Tudo o que está relacionado ao Zombie Cookbook possui ares retrô. Proposta de som, vinil, visual, HQs e filmes trash... O que vocês pensam desta nova geração que se propõe a tocar Heavy Metal, afinal?

Dr. Stinky: Isso é uma discussão meio delicada, e acho que toda banda merece ter o seu valor, sempre vai ter quem goste e quem não goste. Nós, por exemplo, tem muito mais gente que não gosta do ZCB do que gosta, entende? Somos uma banda que, apesar de explorar várias vertentes do rock (Metal, Hardcore, Punk), caímos na sujeira, na podridão. Mas nós escolhemos isto. É o que amamos fazer. Eu só espero que as bandas novas, tocando ou não o Heavy Metal, ou tocando Punk, ou Hardcore, ou Alternativo, sei lá, sejam honestas consigo mesmas. É isto que eu quero tocar? É isto que eu gosto? Então vou trabalhar e lutar pra que isso seja uma atividade prazerosa e não uma obrigação ou uma satisfação de terceiros, sabe, cara?

Whiplash!: A Gore & Shit Records selecionou o Zombie Cookbook para participar do tributo ao Impetigo, obscura banda Death / Grind norte-americana. O disco já foi lançado? Aliás, vocês parecem estar tendo mais oportunidades em registrar sua música nos EUA do que aqui pelo Brasil... A que se deve esse fato?

Horace Bones: Não foi lançado ainda, quando estiver perto de sair a Gore & Shit vai entrar em contato com a gente para resolver algumas coisas sobre encarte e demais informações. Não tenho a menor idéia do motivo de a ‘gringa’ estar se interessando em registrar nossos sons.

Whiplash!: Vocês estão preparando um evento especial para a ocasião do lançamento de seu debut, algo que vai além da Música. O que poderiam adiantar sobre isso?

Dr. Stinky: Estamos aguardando algumas respostas do mundo dos vivos para podermos divulgar isto tudo. Queríamos fazer um evento maior, mas infelizmente o tempo curto e a captação de recursos não esteve conosco desta vez, uma pena, sabe como é o mundo dos vivos, né? Tudo muito devagar. Mas em 2012 queremos organizar um lance bem completo, totalmente voltado para esta parte do Terror, seja na música, cinema, HQs, livros, contos, etc, etc.

Whiplash!: Sobre as canções que farão parte deste primeiro álbum propriamente dito... Segue com a mesma mescla de Thrash, Death e Grind, ou o público pode esperar algo mais?

Dr. Stinky: É basicamente isto, mas acho que elas acabaram puxando para o lado do Death Metal sueco. Ouvimos bastante Death Breath, Entombed, Murder Squad e Dismember antes de compor nosso debut, então acho que alguma coisa aqui ou ali vai lembrar algumas dessas bandas (tomara! Hahahahahaha).

Horace Bones: Diria que vai ser uma mistura de Death Metal com George Romero e Lucio Fulci!!!

Whiplash!: Ok, zumbizada, o Whiplash! agradece pela entrevista e deseja boa sorte ao que resta de sua estadia pela Terra. Há alguma coisa que vocês gostariam de dizer para finalizar?

Dr. Stinky: Porra, Ben, nós queremos agradecer, inicialmente por todo apoio que vêm rolando, não só de você, mas do pessoal do Whiplash! e da imprensa especializada em geral, cada novo dia está sendo uma nova vitória, isso graças ao nosso trabalho, à vocês e a todas as pessoas que se correspondem com a gente, pedindo informação da banda, como adquirir material, onde nós iremos tocar e essas coisas todas.

Horace Bones: O que nós queríamos dizer é que nós estamos muito felizes com tudo que está acontecendo e que logo virão algumas novidades que vão satisfazer a todos os mortos-vivos e devoradores de carne humana em geral. E lembrem-se: não deixem que atirem na cabeça...

Horace Bones: Quando não existir mais lugar no Inferno, os mortos vão andar sobre a Terra. E isso já está acontecendo!!!

Contato:
http://www.myspace.com/zombiecookbook
zombie.cookbook666@gmail.com

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Zombie Cookbook"

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Zombie Cookbook"

ManowarManowar
O dia em que a banda arregou pro Twisted Sister

CuriosidadeCuriosidade
Artistas que odeiam suas próprias músicas

Iron MaidenIron Maiden
Fatos estranhos na gravação de The Number Of The Beast

5000 acessosGuns N' Roses: Axl Rose conversa com fãs e abre o jogo!5000 acessosBeavis e Butthead: como eles seriam se fossem reais?5000 acessosAngra: banda errou na escolha de Fabio Lione?5000 acessosBob Dylan: é dele a "Maior Música de Todos os Tempos"5000 acessosRaul Seixas: 10 importantes obras do Maluco Beleza5000 acessosLemmy: 65 anos com "o fígado de um recém-nascido"

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online