Betsy Weiss: ícone do metal influenciou a cena de ska de LA

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Victor Kataóka, Fonte: betsyweissbr
Enviar correções  |  Comentários  | 


The Boxboys foram a primeira banda a tocar Ska em Los Angeles, e de acordo com Kevin Long (vocalist do The Untouchables), o The Boxboys foram os grandes responsáveis por impulsionar a cena ska de Los Angeles, e inclusive foram os grandes motivadores da formação do The Untouchables, e inúmeras outras bandas de L.A
5000 acessosMetal Extremo: chocando os jurados em reality-shows5000 acessosDoom Metal: os dez trabalhos essenciais do estilo

A vocalista do The Boxboys era ninguém menos que Betsy Weiss, uma ícone do Heavy Metal oitentista.

Betsy e sua banda Bitch ficaram famosas como um dos alvos do PMRC e Tipper Gore nos anos 80.

A importância, influência e o impacto dos shows do The Boxboys pode ser comprovada em artigos dos jornais da época, e alguns inclusive estão disponíveis na internet.

A seguir, a entrevista que Betsy concedeu para o blog marcoonthebass, onde ela fala pela primeira vez sobre o The Boxboys, as suas origens musicais, e a cena Ska de L.A nos seus primórdios.

Onde você cresceu e quando descobriu que seria uma cantora?

Eu vivi os 10 primeiros anos da minha vida na costa de New Jersey em uma ilha chamada Brigantine – acima da ponte de Atlantic City. Eu sempre fui muito ligada com a música, e descobri que seria vocalista na época da escola.

Qual foi a primeira gravação da sua vida? Qual o primeiro show que você viu? Qual o impacto que ele teve na sua decisão de ser vocalista?

O primeiro vinyl foi um dos Beatles. Meu primeiro show foi do The Who no The Forum em L.A. Essas coisas, além de sair com músicos (como uma groupie em certo ponto) me ajudaram a fortalecer a idéia de que eu seria uma vocalista.

Qual a primeira banda que você tocou? Qual o tipo de música que a banda tocava?

A primeira foi uma banda de garagem que eu não lembro o nome. Nós tocávamos originalmente rock em festas.

Você escutou ska ou reggae enquanto estava crescendo? Qual foi a sua primeira introdução no ska e reggae?

Eu escutei reggae e era familiarizada com artistas como Bob Marley, mas eu não era uma fã. Eu preferia o rock. Eu nunca tinha escutado o ska, até que o The Boxboys me introduziu e anunciou que eles iriam mudar de new wave para ska.

Como você conheceu os membros do The Boxboys? Quando você se juntou a banda?

Minha mãe trabalhava em uma rádio com o pai de Greg Sowder (o baterista do The Boxboys), e ele falou pra minha mãe que seu filho tinha uma banda que procurava por uma vocalista. Entre 1978 e 79 eu fui numa audição, e assim entrei na banda.

Como se deu a escolha do nome The Boxboys?

Eles ja tinham o nome quando eu entrei. Mas eu não estava feliz com isso, pois eu não queria ser um “cara-caixa”, e sim uma “pessoa-caixa”.

Como era a cena musical de LA na época do The Boxboys? Tinha outras bandas de Ska?

Em sua maioria new wave e punk. Não tinham bandas de Ska naquela época. Foi por isso que os caras escolheram seguir pelo caminho do Ska, pois eles seriam pioneiros, e ainda mais com uma vocalista mulher.

Como era tocar no O.N. Klub? Você tem alguma memória particular dos shows?

Oh meu deus! Eu tinha esquecido completamente de ter tocado nesse clube. Eu nunca se lembraria desse tempo se você não tivesse tocado no assunto. Os shows realmente eram divertidos, e a nossa responsabilidade era muito grande.

Você tem alguma história sobre os shows em particular?

Nós tocamos como Teri Nunn e Berlin, e inclusive tínhamos o mesmo empresário.

Me fale sobre as gravações de the American Masquerade e os singles em geral. Você escreveu alguma das músicas dos singles?

Eu dei a minha contribuição nas letras, mas elas eram basicamente músicas dos caras. Eu lembro que gravamos em um estúdio em San Diego. Nós gravamos duas músicas em um dia, e inclusive nos estivemos lá por várias horas. A descrição do nosso som era “Uptown Yankee Ska”. O single tinha as músicas ‘American Masquerade” e “Separate Rooms”

Por que você decidiu deixar o The Boxboys?

Essa música não tinha a minha cara. Eu sou rockeira.As minhas reais influências vem de Alice Cooper. O The Boxboys me ajudaram a saber lidar com os aspectos sexuais das minhas performances, pois antes dos shows eles me vestiam de forma sexie, e também me ensinaram como fumar “skank”. A experiência foi interessante, mas o meu coração nunca esteve nesse projeto.

Você se tornou um ícone com a banda Bitch. Como você olha para os seus dias de The Boxboys?

Eu tenho memórias carinhosas do tempo que eu era uma “Boxboy”. Os caras eram demais, eu tive uma boa experiência sobre gravações e foi ótimo estar finalmente fazendo parte de uma banda de verdade. Mais eu acho que eu sou uma “puta” melhor do que uma “Boxboy”….


O The Boxboys gravou apenas dois singles com Weiss nos vocais, e a banda entrou para a história da cena Ska de LA e dos Estados Unidos.

Uptown Yankee Ska 7" (1979-80)

A - American Masquerade
B - Come See About Me

Skaletones From The Closet 7" (1980)

A - Separate Rooms
B1 - Busy Boy
B2 - Go Go

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Bitch"0 acessosTodas as matérias sobre "Box Boys"

Metal ExtremoMetal Extremo
Chocando os jurados em reality-shows ao redor do mundo

Doom MetalDoom Metal
Os trabalhos essenciais segundo o About.com

Robert PlantRobert Plant
"Quase saí do Led quando meu filho morreu!"

5000 acessosRammstein: "Se alguém rir das gordinhas, eu quebro a cara dele!", diz Till Lindemann5000 acessosVídeo: ex-rockeiro explica o real significado da mão chifrada5000 acessosGuitarristas: E se os mestres esquecessem como se toca?5000 acessosClassic Rock Magazine: 8 vocalistas que podem substituir Brian Johnson no AC/DC4825 acessosNão culpe as gravadoras: você que é um tosco mesmo!4801 acessosIron Maiden: vídeo mostra "todos bem loucos" no Fúria Metal em 92

Sobre Victor Kataóka

Kataóka representa aqueles que prezam por nomes como Saxon, Accept, Manowar, Judas, Virgin Steele, Alice Cooper, Queensryche, Warlock, Savatage, Budgie, Dio e etc. Trajando o manto do Fortaleza EC, conseguiu ver com muito sacrifício quase todas as suas bandas favoritas ao vivo, e acredita que acima do AC/DC, somente os Beatles. Com o H2R, resenha Heavy Tradicional, Hard Rock, e o seu vício: N.W.O.B.H.M, o que não o impede de prezar demais por rock progressivo e psicodélico. Apesar de ser de 88, dentre 500GB de mp3 em um HD de valor inestimável, 95% do conteúdo vem dos anos 60,70 e 80. Não resenha Melodic, industrial, extremo, sinfônico, Power, New, Grunge e vários outros etc...

Mais informações sobre Victor Kataóka

Mais matérias de Victor Kataóka no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online