Sepultura: Andreas Kisser comenta novo álbum, "A-Lex"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Emanuel Seagal, Fonte: Brave Words & Bloody Knuckles, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

O Komodorock.com recentemente entrevistou Andreas Kisser, guitarrista do SEPULTURA, que falou sobre o novo álbum da banda, "A-Lex":

943 acessosSepultura: completamente diferente, sem medo de arriscar!5000 acessosMetal: As bandas mais expressivas surgidas nos últimos 15 anos

Komodorock: Em 2006 vocês lançaram um álbum conceitual, "Dante XXI", e "A-Lex" também é conceitual, baseado no "Laranja Mecânica". É este o formato que vocês como uma banda pretendem adotar?

Andreas Kisser: "Eu não sei. Para o Sepultura é realmente difícil dizer que tipo de coisa iremos fazer a seguir e essa é a beleza da coisa (risos). A idéia da trilha sonora veio de experiências que eu tive com trilhas para filmes aqui no Brasil. Dez ou onze anos atrás, Igor e eu fomos convidados a participar da trilha sonora de um filme e desde então eu tenho sido convidado para trabalhar com diferentes músicos, atores, escritores e achei isso muito interessante. Compor música para um filme é totalmente diferente de compor para uma banda. Você tem que respeitar certos limites como o ponto de vista do diretor, a história e o tempo de certas cenas, o que lhe faz ter maior comprometimento porque é preciso trabalhar com menos elementos e você realmente expande seus limites e isso o desafia a vencer estes elementos. Então é isso o que fizemos com 'Dante XXI' e funcionou muito bem e tivemos uma grande experiência fazendo isso e agora estamos fazendo novamente com 'A Laranja Mecânica' que é um grande filme, um livro espetacular e que nos inspira muito."

Komodorock: Quais são as diferenças fundamentais entre compor um álbum conceitual em relação a um álbum de estúdio?

Andreas Kisser: "Eu acho que é apenas o sabor especial do livro, pois todo álbum tem um conceito. Imagine tirando Satan do Black Metal, eles estariam perdidos (risadas). Mesmo o amor, tire o amor das músicas dos Beatles... tudo tem um conceito mas nós nos limitados ao livro e como eu disse, uma vez que você limita a si mesmo você tem a resposta para ser mais criativo. No 'A Laranja Mecânica' ele fala sobre tudo. Fala sobre drogas, violência, relacionamentos familiares, amizade, religião e hipocrisia, então nós podemos filtrar nossos pontos de vista e experiências no Brasil e viajar com nossas opiniões sobre política e religião durante o livro, então é apenas um gosto diferente, um sabor diferente de como expressar o que sentimos. Tudo tem um conceito; se você não tem um você não tem nada, você não tem como tirar informações ou provar ou mostrar sua opinião. Você tem que ter um equilíbrio ou causa para expressar algo. Para pintar ou escrever um poema... tudo tem um conceito mas se você se limita a um livro ou filme, eu acho que você expande suas habilidades".

Para ler a entrevista completa (em inglês) acesse este link.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

SepulturaSepultura
"Chaos A.D." e "Roots" ganharão versões expandidas

943 acessosSepultura: completamente diferente, sem medo de arriscar!0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Sepultura"

Max CavaleraMax Cavalera
"Até hoje não gosto de tomar banho"

Rock NacionalRock Nacional
Os 15 melhores riffs de guitarra

Rock x IgrejaRock x Igreja
Veja 12 artes que mostram essa impávida luta

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Sepultura"

MetalMetal
As bandas mais expressivas surgidas nos últimos 15 anos

AC/DCAC/DC
Isso sim é uma bela estrada para o inferno

Twisted SisterTwisted Sister
Dee Snider: "Ser pobre e famoso é uma merda"

5000 acessosMarilyn Manson: "Sou ainda pior fora do palco"5000 acessosBandas Iniciantes: 11 cagadas que vocês NÃO podem cometer5000 acessosFotos de Infância: Cliff Burton, do Metallica5000 acessosSlayer: semelhança com a "galinha marylou" do Ultraje a Rigor?5000 acessosMike Portnoy: Jam do Dream Theater com bateria isolada5000 acessosGuns N' Roses: Algumas curiosidades sobre o vocalista Axl Rose

Sobre Emanuel Seagal

Descobriu o metal com clássicos como Iron Maiden e Black Sabbath. Hoje em dia, entre outros gêneros musicais, e sem se limitar a rótulos, ouve principalmente doom, viking e folk metal. Sempre que possível está em busca de novas bandas que tenham algo a transmitir alem de clichês, e mesmo em meio a tantas novidades não dispensa pérolas como o bom e velho Candlemass. Acompanha o Whiplash! desde os primórdios, tendo iniciado sua vida de internauta no mesmo ano de criação do site (1996). Há algum tempo está envolvido com metal, seja trabalhando com eventos, bandas, gravadoras ou imprensa, na tentativa de contribuir de alguma forma para o crescimento desse que é um dos segmentos mais apaixonantes da música, o metal.

Mais informações sobre Emanuel Seagal

Mais matérias de Emanuel Seagal no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online