Rob Halford: vocalista fala sobre seus encontros com OVNIs

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por César Enéas Guerreiro, Fonte: LA Weekly, Tradução
Enviar Correções  

Skylaire Alfvegren, do LA Weekly, entrevistou recentemente Rob Halford, vocalista do JUDAS PRIEST, que falou, dentre outras coisas, sobre seus encontros com OVNIs.

L.A. Weekly: Rob, como você está?

Rob Halford: "Eu estou bem. O terremoto te pegou?"

L.A. Weekly: Eu estava no norte da Califórnia numa convenção UFO [Nota: UFO também é a sigla em inglês para OVNI].

publicidade

Rob Halford: "Ah, da banda?"

L.A. Weekly: Não, não da banda.

Rob Halford: "As coisas no céu?"

L.A. Weekly: As coisas no céu.

Rob Halford: "Bem, tenho umas histórias pra te contar. Eu já tive um ou dois encontros na Inglaterra, que não chegaram a ser contatos imediatos, mas foram coisas que me deixaram muito assustado. Isso é algo que me fascina. Talvez porque tenha algo a ver com arte. Acho que as pessoas que estão em sintonia com suas emoções e criatividade estão mais propensas a sentirem aquele fenômeno parecido com um sexto sentido. Apesar disso, sabemos que pessoas de todas as classes sociais vêem essas coisas no céu. Mas acho que isso é algo muito bizarro que a humanidade tem presenciado há muito tempo."

publicidade

L.A. Weekly: Vocês acabaram uma turnê na Europa e agora estão indo pra América do Norte.

Rob Halford: "Estamos detonando na parte norte-americana da turnê mundial. Estou em Kansas City descansando um pouco antes de fazer o sound check para o grande show de hoje. Faremos mais uns shows sozinhos antes de começarmos a turnê Metal Masters, que será cheia de momentos inesquecíveis, então estamos muito, muito empolgados com ela. Sou como um fã, fico sempre muito empolgado. Não consigo nem dormir!"

publicidade

L.A. Weekly: Se estivesse em seu lugar, eu tiraria um braço-de-ferro com Ronnie James Dio.

Rob Halford: "Obviamente, sou um grande fã de tudo o que Ronnie fez com o SABBATH, com a banda Dio e em outras bandas e Lemmy é — eu chamo ele de Lorde Lemmy. Lemmy é uma grande figura e tem uma presença de palco muito forte, além de ser um grande baixista e compositor. MOTÖRHEAD é uma lenda por si só. E o TESTAMENT está na ativa desde os anos 80. Acho que é sensacional termos esse grupo de menestréis do metal reunidos. Digo menestréis porque estou lendo um livro de 700 páginas de autoria de Kate Mosse chamado 'Labyrinth' [Labirinto]. [Trata-se de uma ficção sobre a Quarta Cruzada, lançada contra os Cátaros, durante a qual a nobreza dobrou o tamanho de suas terras]. A história se passa na França do século 12. Na França dos séculos 11 e 12 as bandas eram famosas. As cortes e os cortesãos, os nobres em geral, contratavam essas bandas para tocar em suas festas e casamentos, e estamos aqui fazendo a mesma coisa em 2008!"

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Vinil: quais são os dez discos mais valiosos do mundo?Vinil
Quais são os dez discos mais valiosos do mundo?

Eddie Van Halen: falando sobre o solo de Beat ItEddie Van Halen
Falando sobre o solo de "Beat It"


Sobre César Enéas Guerreiro

Nascido em 1970, formado em Letras pela USP e tradutor. Começou a gostar de metal em 1983, quando o KISS veio pela primeira vez ao Brasil. Depois vieram Iron, Scorpions, Twisted Sister... Sua paixão é a música extrema, principalmente a do Slayer e do inesquecível Death. Se encheu de orgulho quando ouviu o filho cantarolar "Smoke on the water, fire in the sky...".

Mais informações sobre César Enéas Guerreiro

Mais matérias de César Enéas Guerreiro no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin