Gamma Ray: Kai Hansen comenta o novo álbum

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Milena Dias de Paula, Fonte: Metal-Rules.com, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Metal-Rules.com conversou há um mês com o frontman do GAMMA RAY, Kai Hansen, para discutir o novo álbum da banda, "Land Of The Free II".

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1989Free: a paixão de Dave Murray por Paul Kossoff

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Além da similaridade musical com a Parte I, liricamente há alguma conexão do novo álbum com ela?

Hansen: "Bem, existem algumas conexões. Você sabe, você encontra algumas frases, algumas palavras, algumas partes da história de novo, as quais mais uma vez, se você reparar na música 'Rebellion In Dreamland' ela começa com uma certa cena específica. Como, alguém sentado em algum lugar em uma praia, sabe, ouvindo aquelas vozes de um jeito, ou sendo forçado a sair andando e fazer alguma coisa e coisa assim. Na segunda parte, a última música é 'Insurrection' que na verdade meio que começa e termina com a mesma situação de alguma forma. Isso é como, essas são pequenas conexões, mas ainda um pouco diferente. Enquanto a Parte 1 foi como uma pequena história linear sobre um certo personagem saindo em uma jornada ou em busca de alguma coisa, o trabalho de agora é mais uma desprendida compilação de canções, as quais todas lidam com o tema liberdade visto de várias perspectivas"

Você vê sua banda e seu estilo de metal alcançando mais reconhecimento a partir daqui na América do Norte em comparação com o reconhecimento de 5 a 7 anos atrás ou parece difícil ser aceito e conseguir mais aceitação das opiniões pessoais no metal aqui na América do Norte?

Hansen: "Bem, eu não acho que isso seja impossível, porque eu vejo que tem se tornado melhor, pois eu sei que por muitos anos isso foi como 'os Estados Unidos, esqueça'. É como quando as pessoas perguntam 'Porque vocês não fazem turnê pelos Estados Unidos ou o que está acontecendo lá' Eu digo 'Esqueça', não há nada acontecendo lá com o nosso tipo de metal, exceto por algumas poucas pessoas espalhadas pelo país. Não apenas poucas, mas algumas milhares deveriam ser, mas você nunca soube onde elas estavam e onde elas estavam espalhadas. Então agora parece que as coisas se tornaram muito melhores para o Metal e não apenas para as novidades do metal, mas também para o metal clássico. Eu vejo que existem bandas como o Dragonforce que tem um grande e ótimo sucesso. Nós não estamos falando sobre milhões de vendas aqui, mas para uma banda de metal da Europa, ei, respeito. É muito legal."

A tradução de outra parte da entrevista pode ser lida no link abaixo.

Gamma Ray: "queríamos fazer um álbum mais alegre"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Gamma Ray"Todas as matérias sobre "Kai Hansen"


Futebol e Música: A Seleção Alemã do Heavy MetalFutebol e Música
A Seleção Alemã do Heavy Metal

Lincoln Braite: Colecionador paulistano fissurado por Kai HansenLincoln Braite
Colecionador paulistano fissurado por Kai Hansen


Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1989Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1989

Free: a paixão de Dave Murray por Paul KossoffFree
A paixão de Dave Murray por Paul Kossoff


Sobre Milena Dias de Paula

Nascida em 1988, formada em Letras pela USP, é revisora, tradutora e escritora, cheia de sonhos e projetos pra escrever seus muitos livros. Apaixonada por literatura, línguas e culturas estrangeiras, fotografia, escrever e música. Heavy/Power/Speed Metal e Hard Rock são praticamente como o ar que respira. Acha que os anos 80 são a melhor época da música e praticamente tudo o que é relacionado a esse período a fascina. No topo das bandas preferidas estão Edguy, Mr. Big e Gotthard.

Mais informações sobre Milena Dias de Paula

Mais matérias de Milena Dias de Paula no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor