Rush: Geddy Lee fala sobre "Snakes & Arrows"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Silvio Somer, Fonte: NY Daily News, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Geddy Lee, do RUSH, conversou com Phil Roura do NYDailyNews.com a sobre vários assuntos, incluindo a abordagem das letras do último álbum, "Snakes & Arrows".

248 acessosAvery Molek: medley de Rush na bateria aos 10 anos de idade5000 acessosSeparados no nascimento: Steven Tyler e Márcia Goldsmich

"Demorou um pouco", diz o vocalista-baixista-tecladista Geddy Lee. "Nós queríamos fazer algumas coisas diferentes musicalmente e apresentar uma abordagem mais fresca, mais original. Nós escrevemos uma porção de músicas acústicas e com baixo e tentamos ter certeza de que não estávamos seduzidos por música baseada em instrumentos eletrônicos. O objetivo era criar melodias inteligentes e canções que fossem fortes e significativas, e eu acho que conseguimos".

Muito mais seguros do que na época do "Caress Of Steel", o RUSH está mais contemplativo em "Snakes & Arrows" do que em qualquer outro momento de sua história.

"Nós queríamos refletir vários dos assuntos atuais", diz Lee. "Como nossas vidas estão refletidas por comportamentos religiosos extremos - tanto perto quanto longe. O que Neil está querendo dizer em suas letras é que não se trata apenas do mundo Islâmico. Qualquer comportamento religioso extremo é mau, seja no Oriente ou no Ocidente. Você anda por aeroportos e vê com o que pessoas comuns têm que lidar todos os dias".

Por que é que o RUSH sente que tem que comentar as inclinações religiosas do mundo?

"Porque é esse o mundo em que nós vivemos" diz Lee. "Esse album é mais direcionado. O mundo mudou bastante em um período de tempo bem curto. Têm havido bastante conversas, montes de livros escritos recentemente sobre religião - sobre como Deus brinca com a vida das pessoas".

Então o RUSH se tornou mais espiritual? "Não sei. Nós sempre lidamos com o mundo do nosso jeito. Um tema comum tem sido as circunstâncias que a sorte - ou falta dela - faz parte da nossa vida".

Não acredite que Lee tenha sido atingido subitamente por um raio e se tornado religioso. "Sou um judeu cultural", diz ele com uma risada. "Eu amo meu senso de humor judeu, mas não sou um praticante".

Por fim ele comenta: "olha, tenho dois filhos de 27 e 13 anos. Eu quero que eles se orgulhem por eu ter sido um músico e ter feito alguma música decente. Espero que esse seja o meu legado".

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

RushRush
Capivaras de zoológico em Toronto ganham nome do trio

248 acessosAvery Molek: medley de Rush na bateria aos 10 anos de idade474 acessosLoudwire: em vídeo, 10 maiores riffs de metal dos anos setenta0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Rush"

RushRush
Alex Lifeson não entende bandas de shows curtos

MetallicaMetallica
Geddy Lee não gosta de metal mas poderia ter produzido o "Masters of Puppets"

RushRush
Veja Steve Vai e Sebastian Bach tocando clássicos da banda

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Cristianismo"0 acessosTodas as matérias sobre "Rush"

Separados no nascimentoSeparados no nascimento
Steven Tyler e Márcia Goldsmich

NoisecreepNoisecreep
As dez melhores canções de Metal (e Hard) dos 80s

VelocidadeVelocidade
Top 10 de músicas de Metal para ser multado

5000 acessosDinheiro não é tudo mas ajuda: 5 Rock Stars que nasceram ricos5000 acessosFotos de Infância: Steven Tyler, do Aerosmith5000 acessosSlayer: Tom Araya revela seus ídolos do baixo4250 acessosPhil Anselmo: "cantar afinado é como uma obrigação"5000 acessosLars Ulrich: quando conheci o Motorhead decidi montar o Metallica5000 acessosMustaine: A7X ou Trivium? Não, ouça Metallica, Megadeth, Slayer

Sobre Silvio Somer

Inicialmente meu gosto musical foi marcado por bandas como Black Sabbath, Iron Maiden e Deep Purple, mas o que revolucionou minha forma de perceber a música foi a primeira vez em que ouvi o álbum "2112" do Rush, embora eu já conhecesse algumas músicas da banda, foram os acordes de "Overture" que colocaram tudo em uma nova perspectiva. Foi assim que aos 14 anos de idade coloquei o mundo que me cercava em cheque. Meu gosto por literatura, então, encontrou sua contra-parte de forma bastante harmônica e ambos são essenciais em minha vida. Atualmente moro em Florianópolis e estudo piano e faço o curso de letras. "We've taken care of everything / The words you hear the songs you sing".

Mais informações sobre Silvio Somer

Mais matérias de Silvio Somer no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online