Matérias Mais Lidas

imagemBeatles: A música que Paul McCartney compôs para calar a boca de Pete Townshend

imagemAs 10 músicas mais estranhas do Guns N' Roses, em lista do Ultimate Classic Rock

imagemCinco músicas lançadas após o ano 2000 que se tornaram clássicos do rock - Parte II

imagemMaranhão Open Air anuncia line-up com 24 bandas em dois dias

imagemAs obscuras músicas favoritas do Red Hot Chili Peppers de John Frusciante

imagemA opinião de Dave Mustaine sobre a clássica "The Unforgiven", do Metallica

imagemGene Simmons sobre o Ramones: "Punk nos EUA não significava nada"

imagemBlaze Bayley diz que um dos menores shows da carreira do Maiden foi o seu melhor

imagemAudioslave: Tom Morello recorda seu sinistro primeiro encontro com Chris Cornell

imagemDez clássicos do thrash metal que não foram gravados pelo "Big Four" - Parte I

imagemBatera do Polyphia perde click e técnico salva marcando o tempo em sua perna

imagemCinco músicos que começaram vida nova após saírem de grandes bandas de heavy metal

imagemPrika Amaral esclarece por que contratou apenas mulheres europeias para a Nervosa

imagemVocalista do Anvil afirma que Rob Halford e Ian Gillan são personagens

imagemKiss: Fã de comédia romântica, Paul Stanley lista seus filmes preferidos


Dream Theater 2022

Amorphis: "Há espaço para todas as bandas na Finlândia!"

Por Rafael Carnovale
Em 06/08/06

Há 14 anos na ativa, o agora sexteto Amorphis (Tomi Joutsen nos vocais, Tomi Koivusaari e Esa Holopainen nas guitarras, Niclas Etelavouri no baixo, Santeri Kallio nos teclados e Jan Rechberger na bateria) chega com mais um CD, e novamente promovendo mudanças em sua sonoridade, que começou mais death no CD "Tales Of a Thousand Lakes", e foi aos poucos adquirindo contornos mais melódicos. Conversamos com Tomi (o guitarrista), que apesar de ser um tanto quanto lacônico, respondeu a todas as perguntas de forma bem solícita, falando sobre o novo CD e os rumos desta talentosa banda finlandesa (que não é de metal melódico, acredite!).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Entrevista concedida ao portal Mundo Rock (http://www.mundorock.net):

Mundo Rock – Desde "Elegy" (1996) a banda passou por várias mudanças e estas parecem ter atingido o ápice neste novo trabalho. Como você vê todo esse processo?

Tomi – Evolução? Sim... concordo. Mudamos muito durante os anos, mudamos de integrantes, a filosofia da banda mudou em parte. E tenho que creditar isso também a nossa evolução natural como músicos. Mudamos sim, esta é uma banda completamente nova, mas que não esquece de seu passado.

Mundo Rock – Você concorda com as pessoas que consideram o Amorphis como uma banda de death-metal melódico?

Quanto a parte melódica eu concordo... mas sobre o death-metal acho que não. (Risos).

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Mundo Rock – Tomi fez sua estréia nos vocais neste novo CD. Como foi a saída de Pasi e a entrada do novo cantor?

Tomi é um grande cara... ele tocava em bandas de amigos. Testamos alguns candidatos, mas não achamos algum que se encaixasse na banda. Aí pensamos em Tomi, e foi surpreendente, porque não precisamos sequer ensaiar ou testar... uma ou duas músicas depois ele já estava integrado a banda.

Mundo Rock – Falando sobre "Eclipse", "Two Moons" me lembrou muito os bons sons de "Elegy"? Você concorda que este CD de 1996 marcou época na história da banda?

Com certeza! "Elegy" foi o começo de várias mudanças, e até hoje é um CD do qual nos orgulhamos muito. Com ele agregamos mais melodias, e vislumbramos a chance de ser uma boa banda de rock and roll. É normal que algumas canções tenham inspiração neste álbum.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Mundo Rock – "House Of Sleep" é mais heavy tradicional e tem bons riffs. Vocês pensam em focar mais o heavy tradicional em futuros CD’s de estúdio?

Definitivamente. Tomi escreveu esta faixa, e gostamos muito dela. A atmosfera heavy metal nos agrada muito, e funciona perfeitamente com o som que estamos fazendo hoje. Não tenho dúvidas de que incorporaremos mais heavy metal no futuro.

Mundo Rock – E ao mesmo tempo o álbum apresenta grandes momentos acústicos como "The Smoke", que até podem ser considerados góticos. Você concorda com isso?

Já me falaram sobre isso, mas sinceramente, nunca parei para pensar. Se funciona para mim, tanto faz qual seja o estilo... mas ouvi comentários a esse respeito... até posso averiguar mais profundamente, mas não é algo que me preocupe.
A turnê de "Eclipse" promete ser bem interessante, pois vocês têm um espectro musical bem amplo para por no palco. Já pensaram como será elaborado o set básico dos shows?

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

É algo que iremos decidir durante os shows. Nos festivais não há muito a se fazer, devido ao curto tempo que temos para tocar, mas pensamos em fazer algo bem abrangente, como você citou, com esse espectro bem amplo.

Mundo Rock – "The Smoke" e "House Of Sleep" foram escolhidos para singles. Qual foi o critério adotado para estas escolhas?

A gravadora sugeriu um e sugerimos outro. Então "The Smoke" ficou para segunda opção, depois do lançamento de "House Of Sleep". Funcionou bem e agradou a todos. (Risos)

Mundo Rock – A Finlândia vem se tornando um berço de bandas de metal melódico como Sonata Arctica, Stratovarius e Thunderstone. Você acha que uma banda veterana como o Amorphis, e com uma sonoridade bem distinta pode ter seu espaço nessa cena?

Como você disse, somos bem mais antigos, e temos nossos fàs. Eles vêm nos seguindo, e aceitando bem as mudanças que ocorreram ao longo dos anos. Há espaço sim, porque os fãs de melódico vez por outra querem conhecer algo diferente, e estamos aí para isso. Somos todos bons amigos.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Mundo Rock – "Elegy" foi lançado no Brasil, assim como "Tuonela" e o mais recente CD. Planos para shows aqui?

Infelizmente não. Mas primeiramente queremos tocar na Europa, no inverno europeu. Depois se pintar algo será ótimo.

Mundo Rock – Tomi, obrigado pela entrevista e parabéns pelo novo CD!

Obrigado a você e mande um abraço aos fãs brasileiros. Espero poder vê-los em breve, e mostrar tudo o que é o Amorphis para o Brasil.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Vocalista do Amorphis não era fã de death metal estadunidense, mas amava o Deicide

Vocalista do Amorphis cuidou de crianças em parques para comprar sua primeira bateria

Arte Gráfica: Designer brasileiro cria versões para clássicos

Guia: do heavy ao melodic death metal, confira playlist com 12 horas de metal finlandês

Death metal progressivo: 10 músicas essenciais para conhecer o estilo

Guns N' Roses: a versão de Axl Rose sobre a separação

Metal: 16 músicas dos anos 80 para se escutar durante o treino


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale.