Segredos da Indústria: Quer vender discos? Morra!

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nacho Belgrande, Fonte: Site do LoKaos Rock Show
Enviar correções  |  Comentários  | 

Por Paul Resnikoff, traduzido por Nacho Belgrande


É um dos mais sujos segredos do ramo musical, e uma verdade raramente admitida pelos executivos. Mas a morte de um artista sempre produz uma forte onda de vendas, especialmente se a morte foi trágica e prematura. E na maioria das vezes, as gravadoras estão prontas e preparadas para faturar – com o nível certo de consternação, claro.
5000 acessosJim Carrey: batendo cabeça ao som de Cannibal Corpse5000 acessosAxl Rose: como ele pegava todas as garotas que Slash conquistava

Mas porque uma morte repentina faz com que os fãs abram suas carteiras sem refletir? Há forças mais profundas em ação aqui, incluindo a necessidade de memorializar e lembrar, colocar num altar e reposicionar um indivíduo sob uma luz brilhante. Talvez não haja maior exemplo disso do que Michael Jackson, apesar de outros beneficiários como Amy Winehouse, Tupac Shakur, Nirvana e Notorious B.I.G., apenas para citar alguns.

E tudo funciona a favor da gravadora «e dos herdeiros e dos donos dos direitos de publicação». Existe até uma velha anedota sobre isso. “Não podemos matar Jimi de novo?”, teria dito um executivo de gravadora nas antigas, pelo menos de acordo com o folclore da indústria.

O princípio parece se aplicar a todo mundo, incluindo Heavy D. Você consegue se lembrar da última vez que ouviu duas músicas de Heavy D. em seguida, pelo menos depois de 1996? Bem, apenas horas depois de sua morte precoce, a rádio KMEL em São Francisco estava tocando uma maratona do material dele, enquanto também apresentava novos ouvintes a uma figura influente. “Ele colocou Diddy no jogo... não haveria Craig Mac,” a conversa dizia. Foi a fagulha perfeita para a velha e bem lubrificada máquina conhecida como a internet, que não oferece somente a coleção completa de Heavy D. vários milhares de vezes, mas também inúmeras oportunidades de compra para quem quiser.

Mas quando isso se torna simplesmente demais, e vira apenas uma flagrante ordenha de dinheiro fácil? O último disco de Amy Winehouse parece um pouco suspeito, tal como pareceu a interminável série de lançamentos póstumos de Tupac «‘havia tanto material assim dentre as sobras de estúdio? ’, teria perguntado Dave Chappelle»; No fim das contas, os fãs mais ardorosos podem ser os primeiros a brochar.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 11 de novembro de 2011
Post de 14 de junho de 2016

0 acessosTodas as matérias da seção Curiosidades

Jim CarreyJim Carrey
Batendo cabeça ao som de Cannibal Corpse

Guns N RosesGuns N' Roses
Axl fanfarrão explica como pegava todas as garotas

LoudwireLoudwire
As dez melhores bandas da era Grunge

5000 acessosGuitar Hero: veja como o jogo desgraçou uma geração inteira5000 acessosSolos: Alguns dos mais bonitos do Heavy Metal5000 acessosSeparados no nascimento: Paul Stanley e Sidney Magal5000 acessosDream Theater: saiba o que Petrucci pensa sobre Donald Trump3704 acessosAerosmith: E se isolassem o vocal de Steven Tyler em IDWTMAT?5000 acessosBlack Sabbath: Ozzy tenta falar com Bill Ward, mas só recebe gritos

Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online