Monsters of Rock: a feijoada que quase derrubou King Diamond

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por João Renato Alves, Fonte: Blog Van do Halen
Enviar correções  |  Comentários  | 

Vamos relembrar alguns fatos das quatro primeiras edições brazucas do mais tradicional festival de Heavy Metal do mundo.

5000 acessosRock Progressivo: Você sabe que está ouvindo demais quando...5000 acessosFree: a paixão de Dave Murray por Paul Kossoff

- A Philips foi a empresa que promoveu o evento no país.

- Os três primeiros Monsters tiveram como sede o estádio do Pacaembu. O último ocorreu no Ibirapuera.

- O maior público foi registrado em 1996. Nada menos que 50 mil pessoas presentes, número muito motivado pela primeira apresentação do Iron Maiden no Brasil com o vocalista Blaze Bayley.

- A primeira edição, realizada em 1994, foi a que contou com o maior número de atrações nacionais. Foram quatro bandas: Angra, Viper, Dr. Sin e Raimundos.

- Em 1996, King Diamond realizou dois shows em seqüência. Primeiro com o Mercyful Fate, depois com sua banda solo.

- Não bastasse a já dura tarefa de se apresentar duas vezes seguidas, King ainda precisou superar um contratempo de ordem intestinal. Após se esbaldar com pratos de feijoada, o cantor justificou sua alcunha de Rei e precisou sentar no trono inúmeras vezes nos dias seguintes.

- Megadeth, Slayer e Raimundos foram as bandas que mais se apresentaram na história do festival. Cada uma participou duas vezes.

- O baterista Jimmy DeGrasso esteve presente em três edições. Em 1994 com o Suicidal Tendencies, 1995 com Alice Cooper e 1998 com o Megadeth.

- Headliners do primeiro Monsters, o KISS surpreendeu por não tocar o seu maior clássico, “Rock and Roll All Nite”.

- Nesse show, Paul Stanley cometeu duas gafes. Dedicou “Cold Gin” a quem tinha visto a banda em 1982 (erro que também constava no press-release). E anunciou “I Stole Your Love”, do álbum “Love Gun” como sendo de “Rock and Roll Over”.

- No mesmo ano, o Black Sabbath trouxe uma formação atípica, com todos os instrumentistas da formação original e o vocalista Tony Martin, que jamais havia tocado com o baterista Bill Ward anteriormente.

- Apesar de toda sua história, o Sabbath se apresentou antes do Slayer. Na coletiva oficial, ao ser perguntado sobre a situação dos veteranos, o guitarrista Kerry King disparou: “Eles já deviam ter se aposentado faz muito tempo”.

- Equivocadamente escalados para o evento em 1995, o Virna Lisi foi hostilizado pela platéia o tempo todo. O ápice aconteceu quando o vocalista anunciou que iam “tocar um samba, pois estamos no Brasil”. As coisas só acalmaram um pouco quando Igor Cavalera entrou para uma participação especial.

- Um ano mais tarde, a vítima da vez seria o Skid Row. Tocando entre Iron Maiden e Motörhead, o grupo serviu de alvo para tudo que os headbangers tinham em mãos. A experiência foi tão traumatizante que Sebastian Bach lembra até hoje e constantemente cita o momento.

- Três shows realizados no festival foram lançados oficialmente. O KISS incluiu sua participação como bônus no terceiro volume da série de DVDs KISSology. Também no formato, o Manowar incluiu sua apresentação em 1998 como atração principal em Hell On Earth Part II. Do mesmo ano, o Korzus retirou sua apresentação para o CD Live at Monsters of Rock.

- O Slayer foi headliner da última edição, embora inicialmente não estivesse programado para tal função. A produção tentou trazer Judas Priest e Van Halen, mas não teve sucesso nas investidas. Coube a Tom Araya e seus asseclas realizar o último concerto da história do Monsters of Rock Brasil.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 13 de março de 2011
Post de 28 de junho de 2012
Post de 03 de outubro de 2012
Post de 01 de novembro de 2014
Post de 20 de fevereiro de 2017

0 acessosTodas as matérias da seção Curiosidades

HumorHumor
Você está ouvindo rock progressivo demais quando...

Iron MaidenIron Maiden
A paixão de Dave Murray pelo guitarrista Paul Kossoff

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
Tudo o que você sempre quis saber sobre ele

5000 acessosDia do Rock: dez tentativas brasileiras de assassinar o gênero5000 acessosIron Maiden: veja a banda como você não gostaria de vê-la5000 acessosComo formar uma banda de Hard Rock em 69 lições5000 acessosKerrang!: confira as 6 músicas mais assustadoras do rock5000 acessosRock In Rio: Fatos curiosos sobre a primeira edição5000 acessosDream Theater: Como John Petrucci vê os fãs da banda?

Sobre João Renato Alves

27 anos, jornalista formado pela Universidade de Cruz Alta. Kissmaníaco inveterado, um verdadeiro apaixonado pela banda de Gene Simmons e Paul Stanley. Idolatra com quase a mesma paixão Queen, Van Halen e Black Sabbath. Aprecia desde o Rock dos anos 50 (Elvis, Little Richard, Chuck Berry, entre outros) e 60 (Beatles, Rolling Stones, The Who, Led Zeppelin...), Hard Rock dos 70's (AC/DC, Deep Purple, Alice Cooper...) e 80's (Mötley Crüe, Def Leppard, Europe, Talisman...), Metal Tradicional (Judas Priest, Dio, Ozzy...), NWOBHM (Iron Maiden, Saxon, Angel Witch...) e Thrash oitentista (Slayer, Destruction, Kreator...). Já teve um programa de rádio, chamado "Lavagem Cerebral", na Unicruz FM. Solteiro e seguidor das idéias de Gene Simmons em relação ao casamento.

Mais matérias de João Renato Alves no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online