RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemO hit da Legião Urbana que traz crítica contra "Escolinha do Professor Raimundo"

imagemBanda cancela show porque perdeu laptops e Sebastian Bach alfineta; "Isso é uma piada?"

imagemDigão diz a Jão que não quer treta mas não tem sangue de barata

imagemSe Kiko voltar, o Angra vai imitar o Iron Maiden e ter três guitarristas?

imagemO músico incrível que foi induzido três vezes ao Hall da Fama do Rock

imagemMustaine revela os critérios avaliados na hora de escolher um integrante do Megadeth

imagemJão, do Ratos de Porão, chama Digão para resolver as diferenças em um ringue

imagemO hit regravado pelo Jota Quest que na época derrubou Roberto Carlos do 1º lugar

imagemO músico que desprezou a Rainha no Live Aid e jamais iria ao funeral da Rainha

imagemBlack Sabbath: A opinião de Dio sobre "Heaven & Hell" e "Mob Rules"

imagemMais uma vez! Confira os 5 artistas que mais tocaram no Rock in Rio

imagemA banda que desbancava Roberto Carlos na época da Jovem Guarda, segundo Miguel Plopschi

imagemComo um amigo cego inspirou o hit "Sound Of Silence", de Simon & Garfunkel

imagemA curiosa analogia de Kiko Loureiro sobre Uber e F1 para explicar importância da prática

imagemNovo produtor do Slipknot esperava mais do grupo, afirma guitarrista


NFL Steve Harris

AnkerkeriA: o alto calibre do Metal extremo nordestino

Resenha - Matriarch - AnkerkeriA

Por Alexandre Veronesi
Em 03/10/21

Nota: 10

Hoje, quando o assunto é Metal extremo nacional e seus mais recentes acontecimentos, muito se fala em Crypta e Nervosa - com justiça, pois são bandas excepcionais, diga-se de passagem - contudo, na humilde opinião do redator que vos fala, o principal álbum de 2021 até o presente momento, considerando o segmento supracitado, se chama "Matriarch", que é o primeiro trabalho dos cearenses do ANKERKERIA, nome ainda pouco conhecido no cenário, tendo iniciado suas atividades no ano de 2013.

A bolacha impressiona, principalmente, por se tratar de um registro de estreia, tamanha a qualidade de composição e técnica aqui vigentes. Desde os primeiros segundos da audição, nos deparamos com um Death Metal altamente intrincado, cheio de variações e mudanças de andamento - por vezes remetendo a nomes como Suffocation e Obscura, só para citar alguns exemplos - dispondo também de apurado senso melódico, um conjunto afiado de instrumentistas, e vociferações tão raivosas quanto precisas. Tudo isso, é claro, apoiado pelo primoroso trabalho de produção, responsável por manter todas as camadas do som bem evidentes e cristalinas.

Sendo sincero, não consigo sequer apontar destaques individuais neste disco, seja em termos de repertório ou de execução. As linhas instrumentais de Marcelo Louco (guitarra), Felipe Facó (guitarra), Alessandra Castro (baixo) e Vicente Ferreira (bateria) são bastante complexas, bem pensadas, e encaixam-se inerentemente às canções, assim como faz a voz de Joice Lopes, sempre imposta de modo que visa a verbalização do tom e urgência da obra, transitando regularmente entre o gutural e o rasgado com igual eficácia. Caso deseje uma pequena amostra antes de consumir o álbum na íntegra, recomendo que assista os mais recentes videoclipes, "Baph Metra" e "Feeding Fools", ambos disponíveis no canal oficial da banda no YouTube. Posso lhe assegurar que o restante do material segue este exato mesmo padrão de qualidade.

Em suma, o ANKERKERIA foi responsável por nos agraciar com uma das maiores surpresas da temporada 2021. O que temos aqui é um trabalho de nível internacional, criminosamente negligenciado pelos fãs do gênero e boa parte da mídia especializada, o que torna esta matéria algo próximo a um manifesto em busca de justiça ao talentoso quinteto, que prova mais uma vez o grande poder de fogo que o Heavy Metal nordestino possui. E repito: "Matriarch" é, sem sombra de dúvidas, o melhor disco de Metal extremo lançado por uma banda brasileira neste ano.

AnkerkeriA - Matriarch
Gravadora: independente
Data de lançamento: 01/02/2021

Tracklist:
01 - Baph Metra
02 - Mother Of Horrors
03 - Lord Of Flies
04 - Alis Mortis
05 - Feeding Fools
06 - Decerebrate
07 - Key Of The Abyss
08 - Blessed Be Thy Shame
09 - Widow
10 - Brain Grinding Factory

Formação:
Joice Lopes - vocal
Marcelo Louco - guitarra
Felipe Facó - guitarra
Alessandra Castro - baixo
Vicente Ferreira - bateria

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Ultimate Classic Rock: os 100 maiores clássicos do rock

Supergrupos: Os melhores e piores na opinião da Metal Hammer


Sobre Alexandre Veronesi

Colaborador sem descrição cadastrada.

Mais matérias de Alexandre Veronesi.