Matérias Mais Lidas

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden tocou no primeiro show de 2022

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemDee Snider cutuca bandas com falsas aposentadorias e ingressos caros

imagemJen Majura disse que sair do Evanescence não foi decisão dela e recebe apoio dos fãs

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemVeja Iron Maiden tocando músicas do "Senjutsu" pela primeira vez ao vivo

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemSentado em cadeira de rodas, Paul Di'Anno faz primeiro show em sete anos

imagemIron Maiden apresenta Eddie em versão samurai ao vivo; veja vídeo oficial

imagemO clássico do Helloween que fez Angra mudar nome original de "Running Alone"

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"


Ted Nugent: "Se estiver muito alto, você está muito velho!", disse ele sobre o album

Resenha - Ted Nugent - Ted Nugent

Por Mauro Cestarolli
Em 03/12/20

Após quase uma década liderando os AMBOY DUKES, o guitarrista TED NUGENT embarcou em uma carreira solo em 1975 com seu álbum de estreia autointitulado. Com um grupo recém-formado que trazia a seção rítmica mais recente dos Dukes, Nugent desenvolveu um conjunto impressionante de melodias de hard rock que são ao mesmo tempo, vanguardistas e como uma vitrine para as guitarras do Rock.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Nascido em Michigan, Nugent formou os Dukes enquanto ainda estava no colégio em 1964. O grupo lançou seu álbum de estreia autointitulado em 1967 e obteve pouco sucesso com o álbum seguinte "Journey to the Center of the Mind" e com o single do mesmo nome. Eles passaram por muitas mudanças de formação no início dos anos 1970, com vários outros lançamentos de álbuns e turnês constantes, mas sem nenhum avanço comercial real. Finalmente, Nugent decidiu dissolver o grupo e fez um hiato de três meses no deserto do Colorado para renovar suas energias. Quando voltou à civilização, Nugent formou uma nova banda e convidou o vocalista/guitarrista DEREK ST. HOLMES para liderar o grupo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

TED NUGENT AND THE AMBOY DUKES "Cannon Balls (1973)"

Depois de fechar um contrato com a "Epic Records", Nugent e companhia entraram em estúdio com os produtores Tom Werman e Lew Futterman. O objetivo principal era desenvolver um álbum definitivo de rock and roll, e gravar tudo de forma espontânea e desinibida para capturar a energia do momento.

O álbum começa com o hino deliberado, mas poderoso, "Stranglehold". A longa faixa com mais de oito minutos, é uma verdadeira vitrine da guitarra de Nugent, mas que ao mesmo tempo, exibiu o talento dos outros membros do grupo, desde os majestosos vocais de Derek aos distintos efeitos de "flanger" do contrabaixo (um efeito que simula o som de um tipo de avião a jato), somados aos ataques dos pratos posicionados estrategicamente de cabeça para baixo, do baterista CLIFF DAVIES.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

TED NUGENT "Stranglehold (Live, 1976)"

"Stormtroopin'" tem uma duração um pouco mais curta, com destaque para produção nítida da percussão em apoio à guitarra de Nugent. "Hey Baby" foi uma composição solo de Derek e se tornou o segundo single do álbum. Este blues rock tem um pouco da vibe southern do LYNYRD SKYNYRD com algum órgão fornecido pelo convidado STEVE MCRAY.

O próximo é "Just What the Doctor Ordered", construído sobre variações do arpejo de riff de Nugent ao longo de rudimentos rítmicos e percussão executados por Davies. "Snakeskin Cowboys" é um rock muito sólido que começa com um riff de guitarra e baixo deliberativo antes de entrar em ação. Uma melodia frenética para combinar com seu nome, "Motor City Madhouse" apresenta os vocais principais de Nugent, contrabaixo pulsante e um refrão de apoio para gancho do título.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Explorando alguma diversidade musical, "Where Have You Been All My Life" é um blues rock animado com um riff fino combinado a vocais distintos e ásperos de Holmes. "You Make Me Feel Right at Home" começa com uma breve introdução de bateria antes de entrar em uma melodia jazz, completa com vocais principais e vibrafone de Davies. A faixa final, "Queen of the Forest" retorna ao projeto do hard rock com muitos rudimentos rítmicos para completar o álbum.

TED NUGENT "Motor City Madhouse (Live, 1977)"

Em declaração a "Louder" em 2018, o próprio Nugent definiu seu primeiro álbum com a frase "Se estiver muito alto, você está muito velho!". E isso não é nenhum exagero do guitar man se considerarmos que tendo completado 45 anos de seu lançamento em setembro, o álbum ainda soa "alto" e se tornou a marca e o marco para o grupo decolar sucessos até o final da década de 1970, com suas obras "Free-for-All" (1976), "Cat Scratch Fever" (1977) e o ao vivo multi-platina "Double Live Gonzo!" (1978).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Nugent que costuma causar polêmica por suas declarações pessoais em relação à política, homosexuais, feministas, uso de armas de fogo e uso de drogas entre outras, tem seu mérito na história como músico e guitarrista - e isso é inquestionável.

Ouça as nove faixas do álbum original "Ted Nugent" na versão remasterizada com quatro músicas bônus.

FONTE: Classic Rock Review
https://www.classicrockreview.com/2020/09/1975-ted-nugent/


Outras resenhas de Ted Nugent - Ted Nugent

Resenha - Ted Nugent - Ted Nugent

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Axl Rose: vocalista é o 1º da lista dos mais idiotas do rock



Sobre Mauro Cestarolli

Veterano colecionador e pesquisador, tem o Rock como hobby. Criador do PHRock blog nos anos 2000, atualmente comanda a programação da webrádio do Fofinho Rock Club, em conjunto com os ouvintes.

Mais matérias de Mauro Cestarolli.