Dynazty: novo álbum mostra competência e maturidade sonora

Resenha - Dark Delight - Dynazty

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por José Sinésio Rodrigues
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

Falemos, aqui, a respeito de "The Dark Delight", o álbum que a banda sueca Dynazty lançou, em abril de 2020. O grupo bem que poderia ser mais conhecido no Brasil, mas eu posso garantir que se trata de uma banda versátil e muito, muito competente, oleada e redondinha para alçar voos mais altos. Não é por acaso: o grupo, formado em 2007, já possui uma extensa discografia: nada menos que sete álbuns de estúdio e (incluindo este) dez singles. Deste modo, é inegável que, após tantos trabalhos lançados, o Dynazty atingiu uma impressionante maturidade sonora. O som da banda mergulha de cabeça naquela mistura de Heavy Metal em estado bruto, Power Metal e Hard Rock que os suecos parecem apreciar tanto. Não por acaso, o som do Dynazty se aproxima muito de seus conterrâneos Yngwie Malmsteen, Narnia e Europe. Ou seja: temos aqui aquele típico som com cara de anos 80, recheado de refrãos grudentos mesclados com algum peso. Em meio a tudo isso, o vocal de Nils Molin emerge se mostrando muito bem encaixado às músicas. Pronto: eis um resumo do que é o Dynazty.

Dynazty: banda anuncia novo disco e libera primeiro singleTop 5 Metallica: About.com elege os cinco melhores álbuns

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum "The Dark Delight" nos apresenta treze faixas, sendo a mais longa delas com quase seis minutos de duração. Este trabalho tem início com a faixa "Presence Of Mind", música esta que é cheia de variações, sonoridade infecciosa, vocal viajante e muito bem encaixado. Não por acaso é, em minha opinião, a melhor faixa do álbum. A faixa seguinte, "Paradise Of The Architect", avança com sonoridade viajante, com aquele vocal tipicamente Hard Rock, muito bem acoplado à música. O destaque a seguir é "From Sound To Silence" que, apesar do refrão grudento, tem um instrumental simplesmente magnífico e um andamento que evidencia todo o profissionalismo dos sujeitos. As variações nas vocalizações também são dignas de nota. A faixa "Hologram" é simplesmente excelente: começa bem lenta, com piano, como quem não quer nada, evolui para algo mais pesado, pouco depois. Uma das melhores do álbum, indubitavelmente. "Heartless Madness", a primeira faixa do álbum a ganhar um videoclipe, faz por merecer esta primazia. A mesma é praticamente perfeita, com vocal complementando magistralmente o todo, a parte instrumental em seu melhor momento. "Waterfall" é outra faixa que também ganhou um videoclipe, música que reúne vários dos elementos mostrados até aqui. Esta música tem um excelente trabalho de bateria e um dos melhores solos de guitarra do álbum. O próximo grande destaque é "The Man And The Elements", que nos traz um grandioso solo de guitarra e um vocal muito bem explorado. "The Road To Redemption" é simplesmente excelente, outra que começa não muito pesada, mas evolui por meandros indescritíveis. Da mesma forma, "The Dark Delight" pode até não ser muito interessante, no início, mas atinge pináculos de excelência, forte candidata a ser considerada uma das melhores criações da banda. Em alguns momentos, remete a algumas criações do Europe. Por fim, o álbum encerra com uma faixa bônus: "The Shoulder Devil", que não destoa em nada do que foi mostrado ao longo do trabalho: tipicamente Hard Rock, tipicamente Power Metal, vocal tipicamente inerente ao estilo.

Resumindo: temos aqui um álbum que deve agradar em cheio fãs do próprio Dynazty, mas também de bandas como Dokken, Symphony X, Beast In Black e algumas fases de Yngwie Malmsteen (sem o mesmo brilhantismo no trabalho de guitarra, obviamente).

Faixas no álbum "The Dark Delight": 13

Confira o videoclipe da faixa "Heartless Madness":




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dynazty"


Dynazty: banda anuncia novo disco e libera primeiro singleDynazty: Um belo resumo da geniosidade do power-metal europeuDynazty: banda sueca lança novo singleDynazty: banda vem ao Brasil pela primeira vezDynazty: entre as melhores bandas do hard rock da atualidadeDynazty: Hard Rock cativante, flertando com o Heavy MetalDynazty: assista o clipe de "Sultans of Sin"Dynazty: Recomendado a quem curte peso e melodiasDynazty: Tudo para cair nas graças de fãs de Hard e MetalDynazty: preview de novo álbum do grupo sueco

Top 5 Metallica: About.com elege os cinco melhores álbunsTop 5 Metallica
About.com elege os cinco melhores álbuns

Loudwire: as 10 melhores músicas do Slipknot segundo o siteLoudwire
As 10 melhores músicas do Slipknot segundo o site


Sobre José Sinésio Rodrigues

José Sinésio Rodrigues mora em Londrina, no Paraná. É professor de Ciências, agente penitenciário, aluno de Geografia e coordenador de Astronáutica de um grupo de Astronomia londrinense. É também palestrante, escritor, quadrinista, contista, ex-radialista e ex-colunista de jornal. Seu contato com o Rock aconteceu com o Faith No More e Pearl Jam, no início da década de 1990. Suas bandas favoritas são: My Dying Bride, Monster Magnet, Dominus Praelii, Acrassicauda, Slayer, Fejd, Arkona e Anabioz.

Mais matérias de José Sinésio Rodrigues no Whiplash.Net.

Cli336x280