Matérias Mais Lidas

imagemSteven Tyler dá entrada em clínica de reabilitação após sofrer recaída

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemEncontro entre Paul Di'Anno e Steve Harris resultou em "algo que será discutido"

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemMark Tremonti, do Alter Bridge, revela que é grande fã de lendária banda de metal

imagemO que Adrian Smith descobriu ao retornar ao Iron Maiden

imagemO dia que os membros do Black Sabbath foram amaldiçoados por uma seita satânica

imagemShavo Odadjian, baixista do System Of A Down, conta quais álbuns mudaram sua vida

imagemNick Mason relembra a época que o Pink Floyd desastrosamente tentou tocar reggae

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemMarcello Pompeu agradece mobilização de fãs

imagemAs composições de Paul McCartney nos Beatles preferidas de John Lennon

imagem"Eu não tinha ideia de quão grande o Maiden iria ficar", diz Bruce Dickinson

imagemIntegrantes do Rush relembram a época que abriram shows para o Kiss, em 1975


Alkonost: Provando que os russos sabem fazer metal

Resenha - Oktagrama - Alkonost

Por José Sinésio Rorigues
Em 22/08/19

Nota: 10

Em ocasiões anteriores, já afirmei, aqui mesmo, que sou fã dos trabalhos lançados por bandas da Rússia e demais ex-repúblicas soviéticas, ainda que a maioria delas opte por criar músicas cantadas em seu idioma pátrio (idioma impermeável, para mim). Inclusive, já deixei clara a minha opinião até mesmo em trabalhos acadêmicos, em minha época de faculdade (como no do link abaixo). Assim, não é de admirar que eu apareça outra vez por aqui para falar de uma banda proveniente da Rússia; trata-se do ALKONOST, um grupo de Folk Metal cujo álbum de 2018, chamado Oktagrama (Октаграммa, em alfabeto cirílico), é um dos melhores e mais viciantes que eu já ouvi na vida. Verdade seja dita: por algum motivo, nove entre dez bandas de ex-repúblicas soviéticas têm preferência por executar suas músicas em seu idioma pátrio. O ALKONOST não é diferente; todas as faixas são em russo, língua que tem uma sonoridade que se encaixa muito bem no Metal. Por eu não entender absolutamente nada do que a vocalista está cantando, tem ainda um certo mistério. Como eu gosto disso!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

União Sovietica: história e cultura abordadas por bandas de Heavy Metal

O som do grupo é uma mistura de Folk Metal com Metal Sinfônico, tendendo ao Gothic Metal. Apenas o vocal feminino se faz presente em todas as faixas. Inclusive, esta é a minha banda favorita entre as que possuem vocal feminino. A voz da vocalista Ksenia Pobuzhanskaya é, na maior parte, angelical e doce, sem cair naquele gótico operístico enjoativo que virou modinha. Só ouvindo para entender. Volto a dizer: este lançamento foi um dos melhores álbuns que eu ouvi em 2018 (e, até este momento, em 2019). Não espere aqui aqueles solos de guitarra sem fim; em nada, esta banda tem exagero algum. Aliás, nada aqui é enjoativo, tudo soa perfeito e bem encaixado, as músicas todas diferentes umas das outras. É praticamente impossível destacar alguma faixa, em particular, pois todas, da primeira à última, da mais rápida à mais mansa, todas soam absolutamente perfeitas. Raramente, em minha vida, ouvi um álbum completamente recheado com músicas tão bem-feitas quanto este. Impressionante!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum Oktagrama possui nove faixas, sendo que todas se encaixam perfeitamente dentro do estilo apresentado, sendo impossível destacar uma ou outra. O negócio é simplesmente perfeito. Até a introdução é interessante, só com teclado e voz. Raramente ouvi uma banda que tenha atingido tal nível de perfeição. Pena que o álbum Oktagrama possui apenas nove faixas. Mas já estou na expectativa, esperando por novos lançamentos do grupo. Em 2019, eles já lançaram um single, prolíficos que são. Só estou esperando ele estar disponível na internet, para eu matar a curiosidade.

Formação:
* Ksenia Pobuzhanskaya - Vocal
* Andrey Losev – Guitarra
* Rustem Shagitov – Baixo
* Mark Kirichenko - Bateria

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Bandas similares:
AGLAROND, do México (sem o vocal gutural);
TIARRA, da Roménia (sem vocal masculino);
THE SINS OF THY BELOVED (sem vocal masculino e sem a sonoridade sinfônica);
ASHES YOU LEAVE, da Croácia;
WITHIN TEMPTATION, da Holanda (sem vocal gutural);
TRISTANIA, da Noruega (sem vocal operístico ou gutural);
SIRENIA, da Noruega (particularmente com o vocal de Monika Pedersen).

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Exodus: "Rick Rubin é uma verdadeira fraude", diz Gary Holt