Kiko Loureiro: mostrando o outro lado do seu universo sonoro

Resenha - Universo Inverso - Kiko Loureiro

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Segundo álbum solo de Kiko Loureiro, "Universo Inverso" foi lançado em 23 de setembro de 2006 e é o sucessor de "No Gravity" (2005). O então guitarrista do Angra e atual integrante do Megadeth gravou ainda "Fullblast" (2009) e "Sounds of Innocence" (2012), totalizando quatro discos totalmente instrumentais. Ao lado de Kiko em "Universo Inverso" estão o pianista cubano Yaniel Matos (do Mani Padme Trio, e que divide a autoria das composições), o baixista Carlinhos Noronha (prodígio que toca desde os 9 anos de idade e trabalhou como nomes como Banda Black Rio, Ney Matogrosso e João Donato) e o baterista Cuca Teixeira (com passagens pelas bandas de Maria Rita, Marina Lima e Paula Lima).

Megadeth: um passeio de ida e volta pelo Hangar 18Rede Globo: em 1985, explicando o que são os metaleiros

Essa formação com músicos de fora do metal faz de "Universo Inverso" o disco mais latino de Kiko, com incursões tanto pelos ritmos brasileiros quanto pelos sons cubanos. A abertura com "Feijão de Corda" já traz o frevo e uma influência do trio elétrico de Armandinho, Dodô e Osmar para a receita, tudo temperado com batidas que lembram o samba. O jazz dá as cartas em grande parte das dez composições, através de elementos de fusion e ocasionais flertes com o rock.

Um ponto que faz toda a diferença é não apenas a presença de Yaniel Matos, mas a sua participação na concepção artística do álbum. O piano de Yaniel divide o protagonismo com a guitarra de Kiko em todas as músicas, ampliando o universo sonoro - ou invertendo esse universo, como bem categoriza o título do trabalho - do guitarrista, que construiu a sua carreira associada ao heavy metal mas sempre estudou e tocou outros gêneros - não custa lembrar que o primeiro trabalho de Kiko Loureiro como músico foi na banda que acompanhava a boy band Dominó, no final dos anos 1980.

A sonoridade de "Universo Inverso" é um agradável jazz fusion com forte tempero latino, onde a suavidade e as sutilezas instrumentais ditam os caminhos. O trabalho da Carlinhos Noronha e Cuca Teixeira é incrível no baixo e bateria, fazendo o disco pulsar. Percebem-se influências não apenas de músicos brasileiros como, por exemplo, a fase instrumental d'A Cor do Som (ouça o espetacular "Ao Vivo no Montreux International Jazz Festival", de 1978, e perceba como os dois álbuns dialogam), mas também de lendas do fusion como o Return to Forever, a Chick Corea Band e até mesmo o Weather Report.

O saldo final é um álbum diferente de tudo aquilo que Kiko Loureiro gravou na carreira, como se a abordagem brasileira e os ingredientes étnicos presentes em "Holy Land" (1996) fossem amplificados, enquanto o peso e as características do metal empurradas para debaixo do tapete. O próprio Kiko comentou sobre isso em entrevista na época do lançamento de "Universo Inverso": "A primeira coisa que eu fiz com o álbum foi mostrar pra algumas pessoas que são de música brasileira, sem conhecer rock, pra ver o que eles achavam. E eles não acham que o CD é de música brasileira. E não é mesmo! Tem um lance de música brasileira, de música latina, de rock e de fusion. Veja bem, o pianista é cubano, e toda vez que ele entrava a bateria e a levada do baixo iam pro latino naturalmente. Já o Cuca mesmo fala que não toca samba como um cara de samba, porque ele toca fusion e estudou vida toda bateristas de fusion, assim como eu toco rock. Então o que soa ali é um fusion meio latino-brasileiro. E é a ideia mesmo. Pro jazzista, e pro pessoal da MPB, o rock não é nada. Convenhamos que harmonicamente o rock é nulo mesmo, a harmonia e a riqueza de melodia é muito simples em relação a eles".

Se você não é apenas um fã de metal mas, sobretudo, um fã de música, "Universo Inverso" tem tudo pra agradar o seu gosto ao mostrar um instrumentista com total domínio técnico e sem nenhum medo de experimentar novos sons.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Kiko Loureiro"Todas as matérias sobre "Angra"Todas as matérias sobre "Megadeth"


Megadeth: um passeio de ida e volta pelo Hangar 18Megadeth
Um passeio de ida e volta pelo Hangar 18

Em 19/09/1986: Megadeth lançava Peace Sells... But Whos's Buying?

Judas Priest: K.K. Downing, Tim Owens e Les Binks tocarão músicas da banda em concertoJudas Priest
K.K. Downing, Tim Owens e Les Binks tocarão músicas da banda em concerto

Megadeth: Ouça dez ótimas versões para músicas da bandaMegadeth
Ouça dez ótimas versões para músicas da banda

Megadeth: Médicos estão otimistas com o seu progresso, afirma Dave MustaineMegadeth
Médicos estão otimistas com o seu progresso, afirma Dave Mustaine

Megadeth: veja vídeo de Nick Menza tocando In My Darkest Hour em 2014Megadeth
Veja vídeo de Nick Menza tocando "In My Darkest Hour" em 2014

Em 13/09/1961: nascia Dave Mustaine, líder do MegadethMegadeth: David Ellefson sobe ao palco com Chris Poland e John Bush; veja

Megadeth: Dave Mustaine é valente, diz Kiko Loureiro sobre diagnóstico de câncerMegadeth
"Dave Mustaine é valente", diz Kiko Loureiro sobre diagnóstico de câncer

Kiko em Kaza: Gastão Moreira bate um longo papo com Kiko LoureiroKiko em Kaza
Gastão Moreira bate um longo papo com Kiko Loureiro

Megadeth: David Ellefson revela como consegue seguir na banda até hojeMegadeth
David Ellefson revela como consegue seguir na banda até hoje

Megadeth: Sei onde é o meu lugar, diz David EllefsonMegadeth
"Sei onde é o meu lugar", diz David Ellefson

Em 31/08/1999: Megadeth lançava o polêmico Risk

Resenha - Memórias do Heavy Metal - Dave MustaineResenha - Memórias do Heavy Metal - Dave Mustaine

Megadeth: um disco ao vivo de verdade, sem remendosMegadeth
Um disco ao vivo de verdade, sem remendos

Megadeth: fundindo a arrogância de Mustaine em Vic RattleheadMegadeth
Fundindo a arrogância de Mustaine em Vic Rattlehead

Dave Mustaine: imprensa mantinha a rivalidade acesaDave Mustaine
"imprensa mantinha a rivalidade acesa"

Exodus: o Metallica é, de longe, a maior banda de Metal do mundoExodus
O Metallica é, de longe, a maior banda de Metal do mundo


Rede Globo: em 1985, explicando o que são os metaleirosRede Globo
Em 1985, explicando o que são os metaleiros

Hit Parader: Os maiores vocais do Heavy Metal segundo a revistaHit Parader
Os maiores vocais do Heavy Metal segundo a revista

Musas inspiradoras: as esposas mais lindas dos rockstarsMusas inspiradoras
As esposas mais lindas dos rockstars

Musas do Metal: confira as 10 mais lindas atualmenteMusas do Metal
Confira as 10 mais lindas atualmente

Angra: Kiko Loureiro relembrando o tempo de DominóAngra
Kiko Loureiro relembrando o tempo de Dominó

Deep Purple: Blackmore e Gillan trocam agressões em vídeo de 93Deep Purple
Blackmore e Gillan trocam agressões em vídeo de 93

The Sun: os dez melhores riffs da história do RockThe Sun
Os dez melhores riffs da história do Rock


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336