RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemRoger Waters se defende, mas David Gilmour fica do lado da esposa e confirma tudo

imagemO ponto fraco de Yngwie Malmsteen segundo Ronnie James Dio, em 1985

imagemEm 1974, Raul Seixas explicava detalhes dos significados por trás da letra de "Gita"

imagemOzzy Osbourne revela qual foi o melhor guitarrista de sua carreira solo

imagemRoger Waters atende a Rússia e faz discurso para o Conselho de Segurança da ONU

imagemA reação de King Diamond ao ouvir Metallica tocando músicas do Mercyful Fate

imagemO triste motivo pelo qual o Pink Floyd não podia fazer contato com Syd Barrett

imagemQuem ganhou e quem devia ter ganhado o Grammy de metal desde 1989, segundo Loudwire

imagemRodinha de mosh gigantesca em show do System of a Down viraliza e impressiona

imagemVeja o que esperar da turnê do Mayhem no Brasil

imagemPor que Herbert Vianna gosta muito do riff de "Eu Quero Ver o Oco" do Raimundos?

imagemMegadeth é processado por artista que criou capa do último disco da banda

imagemVeja Dave Grohl cantando e agitando em show do Mercyful Fate

imagemAs 20 melhores músicas do Nightwish, em lista da Metal Hammer

imagemO show do Engenheiros do Hawaii sem Humberto, que eles achavam que havia sido sequestrado


Def Leppard Motley Crue 2

Alestorm: Ahoy, de volta marujos!

Resenha - No Grave But the Sea - Alestorm

Por Franklin Monteiro
Postado em 11 de agosto de 2018

Nota: 8

Os piratas do metal seguem navegando pelas águas turbulentas do "Metal Sea" e por onde passam vão conquistando os ouvidos com um som que leva uma influência que vai do death, até o folk.

Chegaram assim, ao seu 5° álbum de estúdio, o "No Grave But the Sea", lançado em 26 de maio de 2017 pela gravadora Napalm Records, a banda vem adotando uma inrreverência em suas letras que vem se acentuando nos últimos álbuns.

O álbum inicia com a faixa-título "No Grave But the Sea’’, sem surpresas, mantendo as características da banda, já ouvidas em álbuns anteriores, cativante, ótimo refrão e até trompete na composição típica dos piratas do metal.

Em seguida "México", com uma introdução lembrando os antigos consoles de jogos nos anos 80 e 90 de 8 bits, é divertida, carregada de leveza e, de certa forma, viciante com um refrão espetacular.

"To The End Of The World" é mais encorpada, casando perfeitamente com sua letra, um tanto mais "séria", tratando de assuntos como conspiração e Terra redonda. Temos aqui a contribuição do tecladista Elliot Vernon em vocais guturais potentes, nos backing vocals do refrão, principalmente.

"Alestorm" apresenta de forma mais descarada os guturais de Vernon, não apenas na introdução, como ao longo de toda a música. Seu vocal junto com Christopher Bowes, dão um caráter de duelo a música, que depois se unem em refrão poderoso.

Com uma introdução lembrando um ambiente de taverna "Bar ünd Imbiss" é a típica música de pirata, fórmula antiga e que dá certo em se tratando de Alestorm. È o tipo de música que você canta com uma caneca na mão.

"Fucked With An Anchor" é uma daquelas tentativas de ser engraçado, que o Alestorm, vez por outra tenta. Um verdadeiro "vá se f**** cantado".

"Pegleg Potion’’ segue a fórmula manjada e já conhecida da banda, o que não deixa de ser uma boa canção, no fim das contas

"Man The Pumps" é mais cadenciada, com um claro rítmo de quem está contando uma história.

"Rage Of The Pentahook", é uma das melhores canções do disco, agitada do começo ao fim, com uma introdução instrumental de grudar na cabeça, capaz de fazer você cantarolar por aí. Destaque para o término da música, ficou demais

"Treasure Island", última faixa, fecha com chave de ouro este álbum. Com uma pegada mais épica, mudanças de andamento, coros no refrão, riffs acelerados, alternados com riffs mais lentos, é de longe uma das melhores composições do ALESTORM até hoje. O final, não poderia ser mais digno, depois de uma parede sonora juntado todos os instrumentos, vem a calmaria ao som de violões e das ondas do mar.

No fim das contas é um álbum que vale a pena escutar e mostra como o ALESTORM vem amadurecendo e crescendo a cada álbum! Ponha o disco, aumente o volume e abra a sua cerveja!

Track List

1 "No Grave but the Sea"
2 "Mexico"
3 "To the End of the World"
4 "Alestorm"
5 "Bar ünd Imbiss"
6 "Fucked with an Anchor"
7 "Pegleg Potion"
8 "Man the Pumps"
9 "Rage of the Pentahook"
10 "Treasure Island"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Folk metal: a sua importância para a cultura


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal