publicidade

Chastain: Uma pequena pérola de brilho intenso

Resenha - Ruler of the Wasteland - Chastain

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Cunha
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

1986, o ano em que o heavy metal se tornou o estilo mais popular do mundo. Naquela ocasião, possivelmente, foram produzidos os melhores e maiores discos do estilo. Entre os grandes álbuns dos medalhões, há muitas pérolas que tiveram seu brilho ofuscado, mas que, justiça seja feita, foram parte importante de uma época romântica e produtiva.

Van Halen: o constrangedor encontro de Eddie com o NirvanaSlipknot: Ana Maria Braga surpreende em abertura do Mais Você

Ruler of the Wasteland (1986) é o segundo álbum do guitarrista David T Chastain, guitarrista fenomenal que produziu grandes discos através de suas várias bandas. O que temos aqui é um apanhado de nove faixas apaixonadas e poderosas, pontuadas pelo estilo marcante de David e pelos vocais estridentes de Leather Leone, uma das melhores cantoras do ramo, e, considerando que o disco data de 1986, pode-se dizer que ela é uma das pioneiras mulheres de front numa banda heavy metal. Isso não tem nada a ver com o Nightwish, Épica e similares, este é o clássico hard n' heavy americano dos anos 80 na sua melhor forma. Um legítimo representante dos anos anos 80 - época em que as bandas se concentravam mais no feeling do que na técnica e nos recursos de estúdio. Enquanto Chastain conduz o grupo com solos retalhados e se impõe com certa sutileza neoclássica, é Leone quem brilha mais, com seus vocais rasgados e estrondosos . Ela fez com que músicas como 'One Day to Live' e a balada 'Angel Of Mercy se tornassem clássicos absolutos.

Apesar de o volume haver ficado abaixo do ideal para o estilo em questão, o álbum tem muita qualidade. O fato é que naquela época, quando os recursos tecnológicos não eram tão acessíveis para qualquer banda, as produções era mais orgânicas e justamente por isso, exigiam mais dos músicos. Dessa forma, era possível compensar muitas carências de produção (gente especializada, softwares, etc). Naquelas condições, os esforços e as competências dos artistas lhes dava maior credibilidade e respeito.

Por fim, é por essas e outras que Ruler of the Wasteland é uma pequena pérola de brilho intenso e, juntamente com clássicos do porte de Somewhere in Time (Iron Maiden), Turbo Lover (Judas), The Ultimate Sin (Ozzy), The Final Countdown (Europe), e tantos outros, ajudaram a fazer daquela, uma das épocas mais profícuas do heavy metal em todos os tempos.

TRACKLIST:
01-Ruler of The Wasteland
02-One Day To Live
03-The King Has The Power
04-Fighting To Stay Alive
05-Angel of Mercy
06-There Will Be Justice
07-The Battle of Nevermore
08-Living In a Dreamworld
09-Children of Eden

Referências: The Metal Crypt, David T Chastain




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Chastain"


Van Halen: o constrangedor encontro de Eddie com o NirvanaVan Halen
O constrangedor encontro de Eddie com o Nirvana

Slipknot: Ana Maria Braga surpreende em abertura do Mais VocêSlipknot
Ana Maria Braga surpreende em abertura do Mais Você

Rock Brasileiro da Década de 70Rock Brasileiro da Década de 70
Rock Brasileiro da Década de 70

Fotos de Infância: Ozzy OsbourneBackmasking: Existem mensagens ao inverso em discos de rock?Metallica e Iron Maiden: veja a diferença absurda de faturamento em shows nos EUAOzzy Osbourne: entre artistas com letras mais mal interpretadas

Sobre Ricardo Cunha

Apaixonado por música e estudante de Filosofia, juntou os interesses para escrever principalmente sobre rock e metal.

Mais matérias de Ricardo Cunha no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336