Matérias Mais Lidas

A opinião de Dinho Ouro Preto sobre o rapper Mano BrownA opinião de Dinho Ouro Preto sobre o rapper Mano Brown

Por que Renato Russo não deixava ninguém sorrir no palco, segundo Carlos TrilhaPor que Renato Russo não deixava ninguém sorrir no palco, segundo Carlos Trilha

Youtuber expõe miséria que Spotify repassa a bandas de metal brasileiroYoutuber expõe miséria que Spotify repassa a bandas de metal brasileiro

A música do Metallica que Kurt Cobain não parava de pedir para Kirk HammettA música do Metallica que Kurt Cobain não parava de pedir para Kirk Hammett

Anitta explora rock e punk em nova música Boys Don't Cry, segundo revistaAnitta explora rock e punk em nova música "Boys Don't Cry", segundo revista

Chega de Angra e Megadeth: Quais as favoritas do Kiko Loureiro pra tocar de boa em casa?Chega de Angra e Megadeth: Quais as favoritas do Kiko Loureiro pra tocar de boa em casa?

Black Sabbath: o dia que o jardineiro de Iommi chamou álbum da banda de Eternal IdiotBlack Sabbath: o dia que o jardineiro de Iommi chamou álbum da banda de "Eternal Idiot"

Judas Priest: a surpreendente música que colocou a banda no mainstreamJudas Priest: a surpreendente música que colocou a banda no mainstream

O álbum que mudou vida de Tuomas Holopainen e possibilitou criação do NightwishO álbum que mudou vida de Tuomas Holopainen e possibilitou criação do Nightwish

Iron Maiden: veja Adrian Smith cantando Wasted Years durante show do Smith/KotzenIron Maiden: veja Adrian Smith cantando "Wasted Years" durante show do Smith/Kotzen

Legião Urbana: conheça o casal que inspirou Eduardo e Mônica, que virou filmeLegião Urbana: conheça o casal que inspirou "Eduardo e Mônica", que virou filme

A forte resposta de Cazuza para sua mãe ao ser questionado sobre sua orientação sexualA forte resposta de Cazuza para sua mãe ao ser questionado sobre sua orientação sexual

Kiko Loureiro e shows que fez doente com Megadeth e Angra; contando minutos pra voltarKiko Loureiro e shows que fez doente com Megadeth e Angra; "contando minutos pra voltar"

Black Sabbath: Tony Martin achou que fosse apanhar de Dio no primeiro (e único) encontroBlack Sabbath: Tony Martin achou que fosse apanhar de Dio no primeiro (e único) encontro

Kiko Loureiro comenta sobre sua perda de audição e aconselha fãs e músicosKiko Loureiro comenta sobre sua perda de audição e aconselha fãs e músicos


Stamp

Danzig: um retorno às origens com "Circle of Snakes"

Resenha - Circle of Snakes - Danzig

Por Tarcisio Lucas Hernandes Pereira
Em 19/10/17

Nota: 7

Dono de uma discografia variada, Glenn Danzig é o tipo de músico que parece fadado a criar polêmicas, dentro e fora do campo musical.
Desde sua saída da banda Misfits, ele tem se embrenhado em uma prolífica carreira solo que conheceu todos os estágios da fama, desde a aclamação mundial com o hit "Mother" e a enorme aceitação de seus 4 primeiros trabalhos até as unânimes avaliações negativas que seus lançamentos mais recentes tiveram , onde o compositor e cantor abandonou o rock puro e simples em detrimento de uma abordagem totalmente industrial, recebendo críticas em todos lugares possíveis.

Ao contrário da maioria, eu não vejo com maus olhos esses trabalhos do Danzig. Dado o tipo de "atmosfera" sombria que o músico sempre quis imprimir em seus trabalhos, creio que o estilo industrial foi uma escolha óbvia e até certo ponto natural. O mundo havia mudado, a sua carreira havia mudado, as técnicas de gravação, comercialização e vinculação haviam mudado – e Glenn tentou acompanhar essas mudanças de uma forma sonora.

Mas chega de divagações, uma vez que a proposta deste artigo é comentar apenas o álbum "Circle of Snakes", e não toda a sua discografia. "Circle of Snakes", de 2004, marca a volta de Danzig ao rock que fazia em seu início. Muita coisa aqui remete aquele começo. Riffs de guitarra simples e grudentos, certas influências de blues, punk, doom e gótico, tudo isso coroado pela voz peculiar do cantor.

Após uma introdução e uma primeira faixa pouco memoráveis – ainda que não sejam ruins – temos a música "Circle of Snakes", simples, direta, que remete bastante ao primeiro disco do grupo.

A música seguinte, "1000 Devils Rain" inaugura os grandes sons do álbum. Uma faixa excelente, com um riff bem blueseiro e linhas vocais bem melodiosas e marcantes.

As faixas vão se sucedendo, e percebemos que se trata de um disco todo direcionado para as guitarras, que sempre estão presentes, altas...talvez tal escolha seja justamente para "apagar" os resquícios da última fase da banda, onde de fato o trabalho das guitarras ficava em segundo plano.

O álbum se encerra com a faixa "Black Angel, White Angel" de forma muito digna e acertada. Não poderia ter música melhor para o encerramento: uma música de vocais fortes, guitarras que remetem a muito que foi feito no passado e um refrão grudento.

Esse ano, 2017, Danzig lançou o álbum "Black Laden Crown" que tem sido apontado como um retorno do músico às origens. Mas a verdade é que esse retorno aconteceu aqui, e se estendeu para os 2 álbuns seguintes, "Death Red Sabaoth" e o último já citado.

Acredito que o disco merece, ao menos, uma escuta descompromissada. Como ponto negativo, apenas alguns trechos onde a voz do cantor realmente está mais baixa, praticamente sumindo junto aos outros instrumentos. Está certo que a própria proposta da banda exige uma produção mais crua e obscura... mas isso deve ser feito sem exageros.

Enfim, confiram e tirem suas próprias conclusões! Gostou? Odiou? Tanto fez, tanto faz? Diga-me!

Tracks:
1. "Wotans Procession" – 2:23
2. "SkinCarver" – 3:57
3. "Circle of Snakes" – 3:07
4. "1000 Devils Reign" – 3:47
5. "Skull Forrest" – 5:06
6. "HellMask" – 3:14
7. "When We Were Dead" – 4:46
8. "Night, BeSodom" – 3:28
9. "My Darkness" – 4:21
10. "NetherBound" – 3:41
11. "Black Angel, White Angel" – 4:23

Banda:

Glenn Danzig – vocals, guitar, keyboards
Bevan Davies – drums
Jerry Montano – bass guitar
Tommy Victor – guitar

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Danzig: Suas 10 melhores músicas, pela Classic Rock HistoryDanzig: Suas 10 melhores músicas, pela Classic Rock History


Heavy Metal: as 10 músicas mais inspiradoras segundo o OC WeeklyHeavy Metal: as 10 músicas mais inspiradoras segundo o OC Weekly

Glenn Danzig: apanhei de propósito, diz sobre vídeoGlenn Danzig: "apanhei de propósito", diz sobre vídeo

Loudwire: 10 discos fodas com capas toscasLoudwire: 10 discos fodas com capas toscas


Metallica: por que 9 entre 10 fãs odeiam Load e Reload?Metallica
Por que 9 entre 10 fãs odeiam "Load" e "Reload"?

Out: os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revistaOut
Os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revista


Sobre Tarcisio Lucas Hernandes Pereira

Tarcisio Lucas é formado em música-licenciatura pela UNICAMP. Fã de praticamente todos os subgêneros do Rock e do Metal, não dispensa também um bom Jazz ou erudito! Entre suas bandas favoritas estão: YES, Sepultura, Marillion, Mythological Cold Towers, Amorphis e Misfits.

Mais matérias de Tarcisio Lucas Hernandes Pereira.