Vorgok: influências de bandas como Slayer e detalhes Death Metal

Resenha - Assorted Evils - Vorgok

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Sobreira
Enviar correções  |  Ver Acessos

Os cariocas do Vorgok apresentam em seu primeiro álbum, lançado no final de 2016, uma sonoridade totalmente voltada ao Thrash Metal, com influências de bandas como Slayer e agradáveis detalhes de Death Metal.

Led Zeppelin: por que Robert Plant não gosta de cantar "Stairway to Heaven"?Metallica: o video game da banda que nunca foi lançado

Em um pouco mais de 36 minutos de duração total, 'Assorted Evils', instantaneamente chama a atenção, por sua simples, mas muito bonita embalagem em digipack, com um encarte onde as letras são bem nítidas, e que apostou em tons de cinza e azul escuro para expressar o clima de 'maldade' em suas 10 composições.

Contando apenas com os competentes Edu Lopez (vocal e guitarra) e João Wilson (baixo e violão), a então dupla começou com o pé direito, mas a bateria programada - pelo produtor Celo Oliveira - tirou um pouquinho o brilho do trabalho, mas nada que tenha prejudicado o resultado final.

Algo que precisa ser ressaltado, é que a palavra diversidade foi muito bem empregada, já que ouvimos as indispensáveis velocidade e peso, bem como trechos mais elaborados com solos e notas precisamente inseridas, e até mesmo arranjos de violão. Ainda no tópico diversidade, os vocais de Edu são bem curiosos, pois não se prendem à apenas uma técnica, e alternam de um Tom Araya a um gutural grave, quando a ocasião demanda. Além disso, sua guitarra também faz bonito, não economizando nos riifs e solos, enquanto que o baixo de João, assume o papel de fiel escudeiro, marcando, pulsando e estalando eficientemente.

Nada melhor, do que iniciar um disco com boas faixas rápidas e diretas, e aqui temos "Deception in Disguise" e "Hunger" (que ganhou um vídeo clipe), exibindo que os cariocas não vieram para brincar. De "Kill Them Dead" a diante, ainda que mantenha a pegada agressiva, começa-se a perceber a uma maior variedade de ritmos e andamentos.

"Hell's Portrait" começa tendendo para o Death Metal, com vocais mais fechados, mas retorna ao Thrash antes dos 2 minutos. As pancadas "Headless Children" e "Man Wolf to the Man" até nos fazem esquecer que a audição caminha para seus últimos suspiros, mas a bela e introspectiva "Drowning" - movida apenas a violão - confirma isso, e abre espaço para a derradeira "Mass Funeral", que foi a escolha perfeita para finalizar a obra, ora com possantes levadas de bumbo duplo ora com riffs carregados e sorumbáticos.

A proposta do Vorgok pode não apresentar nada de novo, mas o que realmente importa é a qualidade, a força de vontade e a garra em terem acrescentado mais um louvável disco ao rol do Metal Brasileiro!

Formação:
Edu Lopez (vocal e guitarra);
João Wilson (baixo)

Faixas:
01. Deception in Disguise
02. Hunger
03. Kill Them Dead
04. Last Nail in Our Coffin
05. Antagonistic Hostility
06. Hell's Portrait
07. Headless Children
08. Man Wolf to Man
09. Drowning
10. Mass Funeral at Sea.


Outras resenhas de Assorted Evils - Vorgok

Vorgok: As maldades da raça humana abordadas em Thrash MetalVorgok: Um registro forte, honesto, competente e cheio de garra



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Vorgok"


Led Zeppelin: por que Robert Plant não gosta de cantar Stairway to Heaven?Led Zeppelin
Por que Robert Plant não gosta de cantar "Stairway to Heaven"?

Metallica: o video game da banda que nunca foi lançadoMetallica
O video game da banda que nunca foi lançado


Sobre Vitor Sobreira

Moro no interior de Minas Gerais e curto de tudo um pouco dentro do maravilhoso mundo da música pesada, além de não dispensar também uma boa leitura, filmes e algumas séries. Mesmo não sendo um profissional da escrita, tenho como objetivos produzir textos simples e honestos, principalmente na forma de resenhas, apresentando e relembrando aos ouvintes, bandas e discos de várias ramificações do Metal/Heavy Rock, muitos dos quais, esquecidos e obscuros.

Mais matérias de Vitor Sobreira no Whiplash.Net.