Alírio Netto: João de Deus é pop, para ouvir a dois

Resenha - João de Deus - Alírio Netto

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva
ENVIAR CORREÇÕES  

Nota: 8

Alírio Neto é uma das vozes mais privilegiadas do metal brasileiro. Quando EDU FALASCHI (co-produtor do álbum) saiu do ANGRA, o cantor chegou a ser cotado para a vaga que, ao final, ficou com Fabio Lione. Agora, com seu primeiro CD solo, o vocalista da AGE OF ARTEMIS surpreende por diversos motivos. E o primeiro, claro, é pelo teor altamente pop da obra, o que, obviamente, tende a afastar os bangers mais radicais, mas que pode cair no gosto daqueles mais mente aberta e, principalmente, pode alcançar um número maior de conhecedores do talento do artista.

Alírio Netto: uma versão para "Time (Waits For Nobody)", de Freddie MercuryMetallica: as 10 melhores músicas segundo a Loudwire

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"João de Deus", lançado através do selo TRM Records, chega às lojas com nove faixas em uma capa que até pode enganar os mais desatentos (a foto até faz lembrar o padre cantor Fábio de Melo), mas pode aparecer tanto no meio da seção de CDs de uma âncora do varejo quanto em lojas especializadas em Heavy Metal. Há canções bem mais românticas, de amor desmedido, mas todas de alto nível. Para acompanhá-lo na empreitada, Alírio chamou um dream team do metal, com Tito Falaschi cuidando de quase todos os instrumentos, mas também com Felipe Andreoli - ANGRA (baixo em quase todas as músicas, exceto "Retrato") e Marcelo Barbosa - hoje também no ANGRA (guitarra na faixa titulo). E Tito faz bons arranjos (nada que exceda os parâmetros que garantem uma atmosfera pop ao álbum), especialmente em "Viver (One Love)" e "João de Deus", que abrem o disco. Em tempo, Edu e Tito Falaschi são os dois produtores do disco. Tiago Mineiro também participa com seu piano na já mencionada "Retrato", uma bela canção, talvez a mais profunda do álbum, momento belíssimo. Milton Guedes, da banda de LULU SANTOS, também contribui (e faz a diferença) com seu sax na hedonista "Nada Mais Importa". O álbum tem ainda mais momentos para ouvir dançando "de rosto colado" (ou fazendo algo melhor que dançar - sim, não se faça de besta, você entendeu) como "De Sol a Sol", "Tantas Coisas" e "Segredos". Só "Retrato" soa um tanto pretensiosa demais, mas não compromete a obra. Um backing vocal feminino em "Tantas Coisas" também encaixaria bem. O álbum termina que "Your Smile", creditada como faixa bônus, a única faixa em inglês, mas que, inesperadamente, possui um que de música nordestina e lembra um pouco o ANGRA, mais especificamente na fase "Holy Land". Um bom encerramento.

Em suma, o álbum pode até afastar se você só curte o brutal, mas o cuidado na produção e a grande voz de Alírio podem conquistar o ouvinte mais mente aberta. Um álbum para não ouvir sozinho.

Tracklist:
01. VIVER (ONE LOVE)
02. JOÃO DE DEUS
03. DE SOL A SOL
04. O PALHAÇO
05. TANTAS COISAS
06. RETRATO
07. SEGREDOS
08. NADA MAIS IMPORTA

FAIXA BÔNUS
09. YOUR SMILE

Mais informações:
http://www.alirionetto.com/




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Alírio Netto: uma versão para "Time (Waits For Nobody)", de Freddie MercuryAlírio Netto: 10 Grandes momentos ao vivo (vídeo)Música em 3 idiomas: Alírio Netto e Alberto Rionda do Avalanch juntam forças

Alirio Netto: 10 discos que marcaram a vida do vocalistaAlirio Netto
10 discos que marcaram a vida do vocalista


Metallica: as 10 melhores músicas segundo a LoudwireMetallica
As 10 melhores músicas segundo a Loudwire

Led Zeppelin: as crianças da capa do álbum Houses Of The HolyLed Zeppelin
As crianças da capa do álbum Houses Of The Holy


Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva no Whiplash.Net.

Goo336x280