Bloodbound: Uma noite fantástica de Power Metal

Resenha - One Night Of Blood - Live At Masters Of Rock MMXV - Bloodbound

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Jeferson Alan Barbosa
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Estive ansioso nos últimos meses para conferir o primeiro DVD oficial dos suecos do BLOODBOUND intitulado "ONE NIGHT OF BLOOD" gravado em 2015 no Festival "Masters Of Rock" na Republica Tcheca e olha... a espera valeu a pena.

Iron Maiden: quinze canções que definem a bandaSlipknot: Corey Taylor abandona os palcos se o Guns se reunir

Nota-se logo nas primeiras tomadas de palco uma bela iluminação com ótimos caracteres de palco, bem elaborados com um pano de fundo com a figura de um diabão alado.

A banda inicia com a veloz "Iron Throne" que é bem recebida pelo público.

Apesar da banda ser pouca conhecida no Brasil, goza já há alguns anos de prestigio na Europa participando de grandes Festivais e também servindo de suporte para outras bandas de renome internacional como o HAMMERFALL e PRETTY MAIDS.

'When Demons Collide" com seu jeitão meio "Children of the Grave" do BLACK SABBATH" também faz bonito demonstrando uma banda muito bem entrosada e a vontade no palco.

Uma grata supresa é o vocalista PATRIK JOHANSSON que tem um timbre de voz parecido com TOBIAS SAMMET da banda EDGUY, só que com uma voz mais firme e encorpada.

"In The Name Of Metal" e a épica "When The Kingdom Will Fall" mantém a adrenalina lá em cima e seguem empolgando com sua pegada cadenciada.

O primeiro grande momento do show se dá aos primeiros acordes de "Moria" uma ótima música com refrão contagiante comum ao estilo e que apesar de não ser tão antiga já é tida como um clássico pelos fãs da banda.

O Power Metal volta com tudo em "Nightmares From The Grave" que possui variações interessantes e um ótimo trabalho de guitarras.

"Metal Heads Unite" é um hino ao estilo e nos lembra algo da banda MANOWAR.

"When All Light Fail" e "Book Of Dead" servem para comprovar que o vocal de Patrik melhora a cada música.

É chegada a hora de "Metal Monster" clássico do primeiro trabalho da banda "Nosferatu" que contava com os vocais do excelente URBAN BREED que acabara de deixar a banda TAD MOROSE.

"Nosferatu" tem fortes influências da fase Powerslave do IRON MAIDEN e algo também de HELLOWEEN na fase "Keepers".

A ótima "Stormborn" do último trabalho, demonstra ser uma escolha acertada para ser executada ao vivo com seu ritmo cadenciado. Aqui fica evidente um crescimento positivo nas composições da banda.

É chegado o momento talvez mais aguardado pelo público presente, a execução do clássico supremo da banda "Nosferatu" com ingredientes claríssimos da forte influencia do IRON MAIDEN na base rítmica das guitarras gêmeas da banda.

Aqui, nota-se que até a interação de PATRIK com o público lembram algo da performance de BRUCE DICKINSON, seria só coincidência?

Uma performance irrepreensível, de tirar o chapéu, com todos os ingredientes necessários para um grande show de metal.

Uma banda que só vem crescendo com o passar dos anos merecendo figurar cada vez mais entre os grandes do estilo.

O DVD ainda traz extras com alguns vídeos promocionais e ao vivo além de um breve documentário em torno de 12 minutos com figuras renomadas no cenário metálico dando depoimentos sobre a banda.

Set List do DVD

1. Blood Tale
2. Iron Throne
3. When Demons Collide"
4. In The Name Of Metal"
5. When The Kingdom Will Fall
6. Moria
7. Nightmares From The Grave
8. Metal Heads
9. When All Light Fail
10. Book Of Dead
11. Metal Monster
12. Stormborn
13. Nosferatu
14. Nosferatu Symphony




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Bloodbound"


Iron Maiden: quinze canções que definem a bandaIron Maiden
Quinze canções que definem a banda

Slipknot: Corey Taylor abandona os palcos se o Guns se reunirSlipknot
Corey Taylor abandona os palcos se o Guns se reunir

Slipknot: Qual é o significado e a tradução do nome da banda?Slipknot
Qual é o significado e a tradução do nome da banda?

Supergrupos: Os melhores e piores na opinião da Metal HammerSupergrupos
Os melhores e piores na opinião da Metal Hammer

Batman: 10 razões pelas quais ele é Metal pra carambaBatman
10 razões pelas quais ele é Metal pra caramba

Linkin Park x Slayer: A ousadia de inovar ou a eterna zona de conforto?Linkin Park x Slayer
A ousadia de inovar ou a eterna zona de conforto?

Metal: os melhores álbuns segundo leitores da Metal Hammer gregaMetal
Os melhores álbuns segundo leitores da Metal Hammer grega


Sobre Jeferson Alan Barbosa

Comecei a ouvir Rock aos 12 anos, no inicio dos anos 80, meu primeiro disco foi "PETER FRAMPTON Special" mas foi através do extinto programa "Som Pop" exibido pela TV Cultura que passei a conhecer aquelas que seriam as minhas bandas preferidas, KISS e IRON MAIDEN. Como não tinha dinheiro, a única solução era pedir discos emprestados aos amigos, sendo que os primeiros foram: Fireball e Made In Europe (DEEP PURPLE), Saint n' Sinners (WHITESNAKE), Heaven and Hell (BLACK SABBATH), Iron Maiden (IRON MAIDEN) e Killers (KISS). Possuo um vasto acervo pessoal que incluem fotos, pôsteres e reportagens de muitas bandas, sendo o maior deles o da banda KISS. Assisti a inúmeros shows mas, destaco entre eles como sendo os de maior importância, as duas primeiras edições do Rock in Rio (85 e 91), onde assisti o melhor show da minha vida, o JUDAS PRIEST na tour do disco "Painkiller".

Mais matérias de Jeferson Alan Barbosa no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336